Crítica: Vírus (2009) - Sessão do Medo

27 de dezembro de 2011

Crítica: Vírus (2009)


Existem vários filmes sobre o tema “vírus mortal” no gênero terror. 10 entre 10 produções envolve zumbis (Madrugada dos Mortos, Resident Evil...), infectados (Extermínio, Quarentena) ou loucos (A Epidemia). Diferente da maioria dos filmes do gênero, Vírus foca somente no tema vírus mortal e deixa os zumbis e os infectados de lado. 

O filme acompanha quatro amigos que viajam pela estrada a procura de refúgio em uma praia isolada longe da infecção.

Vírus foi vendido como terror, mas funciona somente como drama, como terror e suspense o filme não funciona, não há momentos de tensão, nem um clima de suspense. O roteiro é vago e pouco aproveitado, não explica de onde surgiu o vírus nem até onde ele se espalhou.

Mesmo sem zumbis ou infectados raivosos, o filme poderia se sair bem como terror, se tivesse explorado melhor o tema "vírus mortal", mostrar o caos que o vírus causou ao mundo e o perigo pra quem é infectado, coisas que foram exploradas brilhantemente em Extermínio.

Vírus até tem os seus momentos: (spoilers, leia por conta própria):

Como quando alguém é infectado e tem que ser deixado pra trás, ou quando os soldados querem matar eles por pensar que eles estavam infectados, mas nada disso é o bastante pra sustentar o filme como terror.


O filme é sobre sobrevivência e decisões difíceis, talvez por isso não funcione como terror, pelo fato de ser focado nas decisões de cada personagem e o rumo que cada um toma pra se manter vivo, nada de zumbis ou infectados, o terror do filme se encontra nas situações que os personagens se encontram e o que eles fazem para se manter vivos.

O grande mérito do filme é tentar criar algo novo no subgênero tentando ser sutil e realista, porém o resultado é um filme parado que se arrasta pelos seus 84 minutos (que mais parecem 120).

Se tivessem explorado melhor o tema de vírus mortal e sobrevivência teria dado um ótimo filme.

Postado por: Marcelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário