Crítica: Resident Evil - Recomeço (2010) - Sessão do Medo

28 de janeiro de 2012

Crítica: Resident Evil - Recomeço (2010)


Resident Evil se tornou uma das maiores franquias de terror do cinema atual e conseguiu se estabelecer como franquia com filmes divertidos, mas que não são nem um pouco fiéis aos jogos em que se baseiam. Resident Evil: Recomeço é um filme divertido e bom como cinema pipoca, mas que falha terrivelmente como uma adaptação e como filme de terror.

O enredo continua de onde o anterior parou, com Alice invadindo a Umbrella, junto com um grupo de clones dela para matar o presidente da Umbrella Wesker, meses depois da explosão da Umbrella onde todos os clones dela morrem e Alice perde os poderes de X-Men (boa sacada de roteiro), ela parte para o Alasca onde procura os sobreviventes do filme anterior, que foram para um lugar chamado Arcadia. Chegando lá ela encontra Claire, uma das sobreviventes, mas a moça sofreu uma perda de memória e não lembra de nada. Uma boa jogada no roteiro foi criar um mistério em torno de Arcadia e o que aconteceu com os sobreviventes.

Depois de explicar algumas coisas para Claire, as duas vão de helicóptero para Los Angeles, onde encontram alguns sobreviventes que se refugiam em um presidio abandonado, cheio de zumbis do lado de fora. Boa parte do filme se passa dentro desse presidio, onde os sobreviventes querem sair dali a salvo, sem serem mortos pelos zumbis.
 

De todos os 4 filmes da franquia esse é o mais estiloso em termos de cenas de ação e de terror, mas é o filme com o enredo mais vago e pouco trabalhado da franquia. Os zumbis foram deixados em segundo plano e parecem meio deslocados nesse filme. O filme só utiliza alguns elementos dos jogos e personagens para criar o próprio enredo. Em termos visuais o filme é um espetáculo, tanto nas cenas de ação como nas cenas que mostram o pós-apocalipse. Em terror quase nada se destaca, há poucas cenas de tensão e pouca violência, o suspense é quase inexistente.

Não precisa ser um gênio pra notar que o filme foi bastante influenciado por Matrix (1999), tão influenciado que esse filme tem um estilo meio futurista e sci-fi, boa parte das características de terror se perderam.

Um dos maiores defeitos do filme é não dar continuidade a partes importantes do enredo do 3º, que mostravam que o sangue da Alice era a cura para o vírus, coisa que poderia ter sido usada para fechar a franquia, mas que foi completamente ignorado nesse filme.

Os atores estão ótimos nos seus papéis, Milla Jovovich está fodona como Alice, parece até a versão feminina do Chuck Norris, Ali Larter está muito bem como Claire Redfield, Wentworth Miller manda bem como Chris Redfield e Shawn Roberts está ótimo como Wesker.

Resident Evil: Recomeço é um ótimo filme de ação e aventura, mas que falha como terror por ter perdido boa parte das características desde o primeiro filme.
por Marcelo Alves

Título Original: Resident Evil: Afterlife
Ano: 2010
Duração: 97 minutos
Direção: Paul W. S. Anderson
Roteiro: Paul W. S. Anderson
Elenco: Milla Jovovich, Ali Larter, Wentworth Miller, Kim Coates, Shawn Roberts, Spencer Locke

2 comentários:

  1. Anônimo8/05/2012

    Não achei ter perdido as características, pois pelo que eu sei o T-Vírus evolui, perdeu o suspense? Sim, mas eu acho com quase certeza que os zumbis do Resident Evil são os melhores e segui a historia perfeitamente.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9/12/2012

    Eu gosto dos filmes do resident evil! achei um tanto matriz algumas cenas e não é o dos melhores

    ResponderExcluir