Crítica: A Hora do Pesadelo (2010) - Sessão do Medo

18 de abril de 2012

Crítica: A Hora do Pesadelo (2010)


O que mais se vê hoje em dia são remakes, nos dias atuais os grandes estúdios investiram em remakes de filmes de terror conhecidos pelo público, entre eles Sexta-Feira 13, Halloween, O Massacre da Serra Elétrica entre outros... A Hora da Pesadelo que é uma das franquias de maior sucesso do terror não podia ficar de fora e a Platinum Dunes comprou os direitos da franquia. A produtora de Michael Bay é a mesma responsável pelos remakes de Horror em Amityville, A Morte Pede Carona, Sexta-Feira 13 e O Massacre da Serra Elétrica, que mesmo com uma boa produção todos os filmes são dirigidos por marinheiros de primeira viagem  diretores iniciantes, sem experiência cinematográfica, tendo dirigido apenas vídeos musicais e/ou comerciais pra TV. Ao anunciar um remake de A Hora do Pesadelo boa parte dos fãs do original criticou a idéia de refazer o filme, ainda mais depois que o criador Wes Craven disse que era contra esse remake, mesmo estando envolvido nos remakes de dois de seus filmes, o remake de Quadrilha dos Sádicos e de Aniversário Macabro, intitulados de Viagem Maldita e A Última Casa.

Mesmo contra a vontade de Wes Craven e a revolta de vários fãs a produção teve continuidade e o filme foi lançado em 2010 com direção de Samuel Bayer e a comparação é inevitavél, mesmo sabendo de cara que o original é muito superior ao remake.Então vamos lá...

O enredo é quase o mesmo do original, com algumas modificações no decorrer da trama. No enredo um grupo de jovens é atormentado nos sonhos por um homem misterioso com a cara queimada e com luvas com laminas, depois que o primeiro morre na ótima cena que dá inicio ao filme, a namorada do personagem acha uma foto de quando tinha cinco anos junto com o namorado em um jardim de infância, mas ela não lembra de nada e a mãe dela tenta esconder que os dois se conheciam na infância, aos poucos todos eles vão notando que todos tem algo em comum e que tem relação com infância misteriosa que os pais tentam esconder e que pode estar relacionado ao homem dos sonhos.

Gostei de várias coisas nesse remake e nem tanto de outras, a escolha do elenco em parte foi acertada, Jackie Earle Haley (que eu já conhecia da série Human Target e do filme Watchmen) foi a escolha perfeita para o papel de Freddy Krueguer, o ator deu um ar mais assustador ao personagem. Mesmo tendo sido imortalizado pelo ator Robert England, Jackie fez um ótimo trabalho fazendo uma nova versão do personagem que é mais sádico e menos sarcástico do que a versão do Robert. O restante do elenco é dividido entre bons e ruins, a escolha da mocinha foi equivocada, assim como modificar a personagem do original que era uma garota forte, já nesse a personagem Nancy é uma garota tímida e fraca, interpretada por Rodney Mara, que por incrível que pareça concorreu ao Oscar de melhor atriz esse ano. Aqui ela não traz nenhum tipo de carisma a personagem que é sem dúvida uma das piores do filme. Já a atriz Katie Cassidy (do remake de Natal Negro e da série Supernatural) seria a escolha perfeita pra ser a protagonista, sendo a personagem mais carismática do filme, o ator Kyle Gallner (que estava ótimo em Evocando Espíritos) é um dos personagens mais sonsos do filme com aquela cara de sono, por mim ele não duraria um minuto na tela, mas infelizmente foi escolhido como um dos protagonistas do filme, fazendo uma das duplas mais sem sal que eu já vi em um filme.


Uma das muitas coisas que foram criticadas nesse remakes foi o visual novo do Freddy Krueguer, eu mesmo sendo fã do filme original achei muito maneiro o visual novo do personagem, com uma maquiagem mais "realista", parecido mais com uma vitima de queimadura, mas que não chega a tão ser bizarro quanto a maquiagem do Cropsy em Chamas da Morte. A voz do personagem também ficou bem bacana.

Outra coisa que foi bastante criticada e eu curti foram as mudanças no roteiro, sempre achei que se é pra fazer um roteiro igual  é melhor nem fazer. A trama foi bem mais explorada que o original e o lance de Freddy ser um pedófilo foi uma cereja no bolo, além de criativo foi bem corajoso do roteirista recriar o personagem dessa forma. Gostei do mistério ao decorrer do filme sobre o passado das crianças e a dúvida se Freddy era ou não inocente. Outra qualidade que merece destaque é a fotografia do filme, bem escura principalmente nas cenas dentro dos sonhos que me lembrou muito Silent Hill. O diretor assim como Marcus Nispel fez no remake de O Massacre da Serra Elétrica contribuiu muito para o visual bacana do filme, os dois são conhecidos por dirigir video clipes e entendem bem do lance visual.


Um dos pontos negativos do filme é ser limitado demais, acho que o diretor quis fazer uma especie de Batman Begins com o clima soturno e tudo mais, mas não deu certo deixando o filme muito limitado em termos de terror.Tanto que eu não vejo como esse filme poderia dar inicio a uma nova franquia.


As mortes do filme são muito boas e violentas, algo que tinha se perdido na franquia que foi perdendo a força nessa parte com mortes toscas do tipo fulana virando barata e sendo esmagada (Parte 4), o outro tendo a cabeça explodida com o barulho de uma lousa (Parte 6). Já no remake mesmo que sejam poucas as mortes são muito boas, mostrando a pessoa morrendo no sonho e na realidade ao mesmo tempo.

Algo bacana no filme original que foi cagado no remake é aquele lance de não saber se o fulano está sonhando ou não, já nesse filme fica claro quando neguinho cai no sonho, a fotografia muda subitamente do nada. Isso tirou um pouco de elemento surpresa que era algo bem utilizado no filme original.

Quem assistir o trailer vai notar também que várias cenas maneiras foram cortadas, parece que os pesadelos iam ser mais explorados, mas acabaram ficando de fora da versão final do filme, que deu mais foco ao passado misterioso dos personagens e as investigações em volta disso.

O roteiro dá mais foco ao suspense e ao mistério da trama e deixou o terror um pouco de lado. Uma coisa que irrita são os sustos faceis a cada cinco minutos, com cortes rápidos e som alto, coisa típica de produções de terror atuais.


Algo que pode ser destacado nesse remake é que mesmo sendo um remake e sendo o 8º filme de uma longa série de filmes, ele ainda assim apresenta idéias criativas, entre elas aquela que os personagens sonham acordados e trazem os sonhos para a realidade, coisa que se tivesse mais destaque deixaria o filme ainda melhor.

É um filme ruim? Vai depender de quem assistir, o filme diverte de boa, mesmo sendo bem inferior ao filmaço do caralho que é o original de 84, mas esse remake tem suas qualidades, a principal é ser um filme de terror, algo que tinha se perdido no decorrer da franquia.

Postado por: Marcelo

11 comentários:

  1. Sinceramente,eu vi A Nigthmare on Elm Street remake primeiro e depois o original.Claro,que original é original,mas o novo é bem mais assustador e amei mesmo ele.Concordo plenamente a questão da Nancy...achei ela muito sem sal.O Quentin até que foi legal,mas ela não foi como a nossa de 84 !!! Eu admirei muito o trabalho da Kate,mas quando ela morreu,eu me decepcionei muito.Queria que ela fizesse a protagonista.Mas o filme é bom...muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gostei do filme, mesmo a maioria tenha odiado. O remake resgatou o terror do primeiro filme e como eu disse ai fez umas alterações maneiras no roteiro.

      Excluir
  2. Excelente critica. Parabéns, Marcelo!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo10/02/2012

    bom o final de cara ja puxa para uma sequencia só que tipo eu não sei como pode continuar só restaram 2 sobreviventes e tambem nesse remake sabemos a quantidade de crianças que freddy quer matar o problema é que são poucas.

    ResponderExcluir
  4. Esse remake tem muitos lados bons como você comentou, tipo a voz do Freddy e o ator Jackie Earle Haley ficou muito bom como o novo Freddy. Também gostei muito do Kyle Gallner em evocando espiritos mas nesse filme ele estava muito fraco. Enfim, também prefiro infinitamente o original, mas o remake na minha opinião ficou abaixo da media.

    ResponderExcluir
  5. cade robert englund?mew...na boa..tinha que ser ele..como freddy..sem fala qui eu odiei a maquiagem mew..axei o filme meia boca!

    ResponderExcluir
  6. Anônimo7/29/2013

    Pessoalmente não gostei do ator que fez o Freddy, ele não está a altura de Robert! talvez pq faltou desenvolver nele o espírito do verdadeiro freddy. Achei o roteiro meia boca, pensei que pelo tempo que passou sem novos filmes do maníaco, esse viria para surpreender, o que não ocorreu! Realmente chego pensar que os produtores do filme fizeram por fazer e não por amor a franquia!

    ResponderExcluir
  7. Anônimo12/13/2013

    gostei muito desse filme,o fato do roteiro não ter seguido igual ao original fez ele ficar melhor..
    na minha opniao foi bom em tudo. roteiro,filmagens,efeitos especias... para a atualidade esse filme foi ótimo, como o de 84 foi para aquela época..

    ResponderExcluir
  8. Anônimo12/13/2013

    Fora q ele teve um ar muito mais sombrio, e a alternância das cenas entre sonho e a realidade ficaram ótimas..

    ResponderExcluir
  9. Eu achei o enredo (alterações) e os personagens desse remake muito superiores ao do original. Com exceção da Nancy, seus pais e do Freddy Krueger, eu achei os personagens do original bem sem graça. Os do Remake são superiores, com exceção da Nancy, realmente eu gostei mais da PERSONAGEM original apesar de eu achar a Heather Langenkamp uma pessima atriz, já o namorado da Nancy, tanto Kyle Gallner quanto o Johnny Depp foram bem meia boca no papél. A grosso modo: O Remake tem melhor enredo e o Original tem melhor terror. Mas os dois são igualmente bons, o pessoal mete a boca no remake mas nem mencionam: A Hora do Pesadelo 4 (meia boca), A Hora do Pesadelo 5 (ruim) e A Hora do Pesadelo 6 (ridiculo, o pior de todos)

    ResponderExcluir
  10. Concordo em partes e discordo em partes.As mortes que mencionastes na sua crítica como "toscas" pra mim,foram até criativas e bem de acordo com o senso de humor negro do Freddy, até senti um pouco de falta disso no remake. No geral, eu gostei do remake, assim como do original e embora eu ainda prefira o Freddy Krueger do Englund, o novo também me agrada

    ResponderExcluir