Crítica: Resident Evil - Apocalipse (2004) - Sessão do Medo

11 de setembro de 2012

Crítica: Resident Evil - Apocalipse (2004)


Em 2002, Paul W.S. Anderson adaptou o jogo Resident Evil para o cinema. A adaptação era um prelúdio do jogo e mostrava os eventos anteriores aos eventos de Raccon City, antes do vírus se espalhar pela cidade, sendo assim a continuação Resident Evil: Apocalipse além de ser uma continuação direta do primeiro filme, também é a primeira adaptação que se baseia inteiramente nos eventos dos jogos. Introduzido pela primeira vez os personagens do jogo como a Jill Valentine e o Carlos Oliveira, além de trazer de volta a protagonista do primeiro filme. Quem conhece bem o jogo, sabe que Apocalipse foi o filme que começou a bagunça na franquia, o grande erro foi não se decidir se seria uma continuação sem relação com o jogo, ou se seria fiel aos eventos do jogo. O roteiro é uma mistura, bagunçada. Tem coisas que são adaptadas direto do jogo como o Nêmesis e alguns personagens, além de algumas cenas tiradas diretamente do jogo, mas de resto é uma bagunça.

O enredo continua onde o primeiro parou, os executivos da Umbrella descobrem o incidente que aconteceu na colmeia e tentam conter o vírus lacrando a cidade inteira, onde ninguém pode entrar, nem sair. A filha de um dos executivos da empresa sofre um acidente ao ser retirada da cidade e se esconde em uma escola, dentro de Racon City que é invadida pelo caos depois que o T-Vírus se espalha pelo lugar. No meio do caos entra em ação Jill Valentine, junto com um policial e uma repórter local. Os 3 tentam controlar a situação, mas a Umbrella toma controle. Depois de serem salvos por Alice na igreja o grupo recebe uma ligação, onde é feito um trato, se eles conseguirem salvar a menina na escola e levar ela em segurança até o pai, eles podem sair vivos da cidade, antes que a Umbrella exploda a cidade.


O maior defeito dessa continuação foi deixar de lado o clima do primeiro, que era um filme contido na ação, mas que tinha o clima de suspense dos jogos. O roteiro viajou e transformou a personagem do primeiro em super-heroína com poderes de X-Men. Isso tirou uma boa parte do terror que o primeiro tinha por ser um filme mais simples com menos agitação, apostando no clima pesado, já esse é o oposto é pura ação.

O ritmo do filme é excelente, ação do começo ao final, nunca desanda ou fica chato. As cenas de ação são muito boas e empolgam, muita explosão, tiros, saltos, pancadaria pra deixar qualquer um satisfeito. Um filme divertido que vai agradar quem curte um filme de ação e decepcionar quem busca um filme de terror.
por Marcelo Alves

Título Original: Resident Evil - Apocalypse
Ano: 2004
Duração: 94 minutos
Direção: Alexander Witt
Roteiro: Paul W. S. Anderson
Elenco: Milla Jovovich, Sienna Guillory, Oded Fehr, Thomas Kretschmann, Mike Epps, Jared Harris

Nenhum comentário:

Postar um comentário