Crítica: Enterrado Vivo (2010) - Sessão do Medo

25 de outubro de 2012

Crítica: Enterrado Vivo (2010)


Amigos do blog, hoje eu chego até vocês para fazer a critica de um dos filmes mais originais em muitos sentidos que eu já vi: Enterrado Vivo. Um filme simples, porém eficaz. A história do filme é bem simples:Paul é um homem encarregado de levar suprimentos para o Iraque, tem seu comboio atacado por terroristas, e quando ele percebe, está amarrado dentro de um caixão de madeira enterrado só Deus sabe onde. No caixão com ele só tem um isqueiro e um celular com a bateria que já não está completa. E é basicamente isso. Desse modo o filme vai se desenvolvendo de um jeito único.

Uma coisa que eu gostei MUITO nesse filme é que ele foi bem direto ao ponto. Quando eu ouvia falar desse filme, eu achava que ele iria começar como todos os outros: ia mostrar a vida de um dia do personagem principal, ai ia acontecer algo de estranho, ele ia brigar com alguém e provavelmente essa pessoa com quem ele brigasse, iria enterra-lo vivo. Mas não, no primeiro segundo de filme Ryan Reynolds já tá lá debaixo da terra.

O filme não é o melhor filme de suspense que existe, mas consegue ficar bem acima da média, sem dúvida o diretor conseguiu um filme único e bem conduzido além de super barato. Não é preciso uma superprodução Hollywoodiana para conseguir um clima claustrofóbico decente. E esse filme conseguiu o feito com certeza, e se voçê é claustrofóbico fica ainda pior.


É impossível não falar da atuação de Ryan Reynolds (o único ator do filme), ele consegue conduzir o filme muito bem dentro de um único cenário e deixar o expectador ligado em cada cena do filme, mas é claro que também temos de dar crédito ao diretor que não deixa o filme maçante em nenhum momento.

Quando eu digo que o diretor não deixa maçante o filme, eu falo sério. Já tinha lido em outras criticas que o filme "realmente vai te surpreendendo" e não fica chato em nenhum minuto. Eu não acreditava que um filme que se passa inteiramente em um caixão, poderia manter minha atenção em todo o filme. Mas ele conseguiu porque o diretor vai adicionando elementos extras ao filme (tudo isso dentro do caixão com apenas um ator).

Só que o filme se mostra bem mais do que um cara preso em um caixão, ele mostra muita coisa da realidade com Paul se comunicando por um celular com pessoas que aparentemente não estão nem ai pra ele e que só se importam com o conforto próprio. A realidade imita a ficção ou vice versa ?


O final do filme é um verdadeiro show a parte, vou falar o menos que eu puder porque quero que vocês tenham a mesma sensação que eu tive quando eu o assisti, só digo que o final fecha muito bem o filme, poderia ter sido diferente sim, mas fecha muito bem.

Recomendo o filme para aqueles que querem sentir um pouco de claustrofobia, e um pouco de tensão num filme bem construído que não abusa de gore e pessoas penduradas mas que mesmo assim consegue ser um bom filme.

Postado por: Igor Afonso

5 comentários:

  1. Anônimo10/26/2012

    comece a asssitir uma vez, e comecei a axar chato e pareicom20 min. sera q dei bobeira?rs

    ResponderExcluir
  2. Dizer que esse filme é bom é um pecado, até eu faria um filme melhor que esse se tivesse dinheiro, a palavra Horrível define!!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom.
    Também assisti e tive as mesmas impressões.
    Também recomendo!
    []s

    ResponderExcluir
  4. Também gostei, um filme diferente, não tem a violência gratuita dos filmes de ação americanos, mas consegue prender a atenção do espectador pela história bem sacada.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo3/27/2016

    eu acho que foi a pior coisa que eu fiz na vida,ter parado pra ver essa porcaria de filme.É uma merrrda, nao vejam...só se quiserem perder o seu tempo obvio

    ResponderExcluir