Crítica: Martyrs (2008) - Sessão do Medo

27 de maio de 2013

Crítica: Martyrs (2008)


O cinema francês de terror atualmente é o responsável por vários filmes memoráveis e que já podem ser vistos como novos clássicos do gênero, pode-se dizer que o cinema francês atual é tão ousado ou até mais do que Hollywood nos anos 70, com filmes pessimistas, violentos e sem nem um apelo comercial, que só estavam ali com o objetivo de chocar, assustar e elevar o status do gênero, bem diferente dos filmes comerciais feitos em Hollywood atualmente, que vive numa crise de falta de criatividade. Tal falta de criatividade no cinema americano fez o público se voltar ao cinema internacional de terror e descobrir o cinema francês, que é sem dúvida o mais ousado e impactante nos dias atuais e responsáveis por grandes filmes como Alta Tensão, A Invasora, A Fronteira, Eles e o próprio Martyrs, que já pode ser considerado um clássico do terror atual.

Martyrs é um dos melhores filmes da decada e uma verdadeira aula de como se fazer um filme de terror tenso, chocante e assustador. Dirigido por Pascal Laugier (Diretor do recente The Tall Man) o filme começa nos anos 70 e mostra uma menina chamada Lucie fugindo de um cativeiro, onde foi mantinda por dias, sendo vitima de maus tratos e torturada por pessoas desconhecidas e sem motivo aparente. Ela é levada a um abrigo ou orfanato -não fica claro-, depois dos abusos a menina não é mais a mesma e se torna hostil, a unica que consegue criar uma relação com ela é uma outra menina chamada Anna, relação essa que vai ganhando força com o passar dos anos. Anos se passam e Lucie decide procurar os culpados e se vingar dos responsáveis pelo seu tormento, sem saber que seria o começo de um pesadelo muito pior.




O filme se divide em duas metades, a primeira é carregada de suspense e tensão, completamente imprevisível, onde é impossível prever os rumos da história. A segunda parte é focada na violência e tortura, tanto física, quanto psicológica. Lá na metade o filme dá uma virada na trama, com uma reviravolta na história e apresenta ideias criativas. Tudo funciona com perfeição, o ritmo do filme, o roteiro inteligente, as cenas de terror e acima de tudo a atuação das duas atrizes. E para finalizar o filme termina de forma espetacular, com um desfecho bizarro e muito criativo.

O quê faz Martyrs funcionar tão bem, é que além de terror, o filme é um drama, do começo ao fim. O roteiro dá espaço aos personagens e seus tramas, principalmente na primeira metade, onde mostra o quanto Lucie é atormentada e Anna que faz de tudo para ajudar.

Não vou me estender muito, só digo que Martyrs  é um filme altamente recomendado a todos os fãs do terror. Filme pesado, criativo, impactante, um novo clássico e uma obra prima do terror...

Postado por: Marcelo

3 comentários:

  1. Eu assisti esse filme umas 2 semanas atrás, e já é um dos meus favoritos de terror. Doentio e te prende do inicio ao fim.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5/29/2013

    tb axei foda

    ResponderExcluir
  3. Anônimo5/30/2013

    Favorito Mor.

    ResponderExcluir