Crítica: O Último Exorcismo - Parte 2 (2013) - Sessão do Medo

16 de maio de 2013

Crítica: O Último Exorcismo - Parte 2 (2013)


Parte 2 deixa a desejar e esquece totalmente o suspense do primeiro filme.

O Último Exorcismo conseguiu surpreender muita gente, positivamente ou negativamente. Tinha um razoável clima de suspense, estava no auge dos filmes found-footage(falsos documentários) e um enredo até interessante. Claro que o primeiro filme foi mal conduzido mas nos deixou esperanças para uma continuação. Esperança que parece ter morrido de vez, com esta segunda parte.

O filme conta a história de Nell e sua luta interna contra o demônio(persistente) Abalam, que a possuiu no primeiro filme e causou destruição de sua família.Agora, Nell está um pouco mais velha, recém-saída da adolescência e após algumas sessões psiquiátricas é encaminhada à uma casa de "recuperação" para jovens garotas que passaram por algum tipo de distúrbio. Lá ela é estimulada pelo administrador da casa à tentar levar uma vida normal ou quase normal.


O filme é ambientado na cidade de Nova Orleans, sem passar por paisagens mais vislumbrantes do local. O que o filme tenta nos mostrar é a tentativa de uma vida normal, baseada no cotidiano contra a excentricidade  de uma possessão demoníaca, ou seja, a fotografia é comum, sem retoques visuais mais estilizados e os efeitos especiais são mínimos, quase inexistentes, as cenas de impacto são poucas e o suspense não convence. O enredo do filme centralizam Nell e o amor platônico do demônio Abalam sobre ela e como este amor vai interferir na vida dela, atormentando-a até pelo Youtube e aniquilando qualquer um que tente interferir no fim desta relação. Aliás eu diria que pela atuação do elenco de apoio, quem morreu só fez bem à trama.


A atuação da atriz Ashley Bell é o único ponto alto do filme, com todos os trejeitos da adolescente atormentada no primeiro filme. O diretor Ed Gass-Donnelly não consegue criar cenas fortes e nem os sustos fáceis são bem aplicados aqui. Talvez, a cena de maior tensão seja a de abertura, quando Nell aparece amedrontada na casa de um casal. Nem mesmo a parte final entre o exorcismo(nada tenso!) e o desfecho com um boa música de rock e efeitos especiais consegue dar ao filme algo que valha a pena ser lembrado. 

Acho que dessa vez, foi o último exorcismo mesmo...

Postado por: Jon

Nenhum comentário:

Postar um comentário