Crítica: Atividade Paranormal 2 (2010) - Sessão do Medo

13 de julho de 2013

Crítica: Atividade Paranormal 2 (2010)



Atividade Paranormal, filme independente dirigido por Oren Peli se tornou um dos maiores sucessos comercias dos últimos tempos e um dos filmes com o maior custo/beneficio, custou pouco e faturou muito, muito mesmo...Era de se esperar que uma continuação fosse lançado pela Paramount, mas a dúvida era: O filme de fato teria uma continuação boa? Sendo que o primeiro filme tinha uma história bem limitada e sem pontas soltas para serem amarradas, a não ser pelo desfecho? 

O primeiro filme tinha deixado Jogos Mortais comendo poeira nas bilheterias e era certo que Atividade Paranormal ia ser a nova franquia caça-niqueis do cinema terror.


Atividade Paranormal 2 foi lançado exatamente um ano depois do primeiro filme na véspera do dia das bruxas americano e foi outro sucesso de bilheteria e para surpresa de muitos, uma boa continuação.

O enredo antecede os eventos do primeiro mostrando outra família sendo assombrada. Logo no inicio somos apresentados a uma família, formada pela sobrinha adolescente, o sobrinho bebê, o cunhado e a irmã de Kate (protagonista do primeiro filme). Ao chegarem em casa um dia encontram a casa toda revirada, mas nenhum objeto de valor foi roubado. A família então decide instalar câmeras pela casa para o caso de o tal invasor volte a invadir a casa e começam a captar fenômenos paranormais, no mesmo esquema do primeiro.

O filme segue o mesmo estilo e premissa do primeiro, só que com mais câmeras espalhadas pelo local, dessa vez na casa toda, com direito a câmeras com visão noturna. Assim como o primeiro o filme se desenrola com passos de tartaruga, são várias noites até algo interessante seja mostrado. O quê mais se vê é o cotidiano da família de moradores da casa, as cenas de assombração são sutis demais para assustar, essa sutileza funcionou no original, mas não causa tanto efeito na continuação. Diz ai: É assustador uma porta fechando sozinha? Ou uma aspirador se mexendo sozinho? Não! 

O filme ganha pontos ao anteceder os eventos do primeiro e acrescentar coisas ao enredo e traz boas surpresas no enredo. Mostrando o possível motivo da assombração de forma criativa.

Assim como no primeiro o filme vai deixando o público na expectativa, mostrando as manifestações aos poucos. O lance de assombração no quarto do bebê foi um acerto, o filme fica mais tenso lá pela metade.

O filme também deixa coisas em aberto para o filme seguinte, mistérios sobre a família de Kate e Kristi. O casal de protagonistas faz uma ponta nessa continuação, coisa inesperada e bem vinda nesse filme. Um dos pontos altos desse filme é estar diretamente relacionado com o primeiro, coisa rara de se ver em franquias de terror que geralmente só reciclam a ideia original e não acrescentam em nada, já esse filme é um contraponto, ele além de estar diretamente relacionado ao primeiro, acrescenta bastante a primeira parte e deixa pontas soltas para serem amaradas no terceiro. Acrescentando coisas a mitologia da série, mesmo que boa parte não faça sentido, como foi o caso da foto queimada que foi dito pela Kate que tinha se perdido na casa depois do incêndio da casa das duas irmãs na infância.


O clima de tensão é muito bem trabalhado lá pela parte final, que faz bom uso das câmeras para assustar o público, usando até visão noturna no estilo [REC] numa cena tensa. O desfecho é uma das melhores surpresas do filme, surpreendente e inesperado.

Atividade Paranormal 2 pode não ser um dos melhores filmes dos últimos tempos ou um novo clássico, mas é uma boa continuação que irá agradar quem gostou do primeiro filme.

Postado por: Marcelo

Um comentário:

  1. Anônimo7/14/2013

    Olá a todos do blog. Boa critica gostei dessa continuação como foi falado na critica mas sinceramente para mim esse filme assim como o primeiro nao caiu no meu gosto assisti uma vez e concerteza nao verei mais. Abraço Josias.

    ResponderExcluir