Crítica: Identidade Paranormal (2011) - Sessão do Medo

20 de agosto de 2013

Crítica: Identidade Paranormal (2011)


Ainda to tentando entender o quê aconteceu com esse filme! Foi filmado em 2008, lançado em 2010 no Reino Unido e continua inédito nos Estados Unidos, no Brasil saiu em 2011 pela Califórnia Filmes, direto em DVD. Além das datas, o filme tem dois títulos diferentes, no Reino Unido foi intitulado Shelter, que traduzido seria Abrigo ou Refúgio e nos Estados Unidos está previsto para sair com o título 6 Souls (6 Almas). Geralmente quando filmes ficam engavetados, ou saem sem destaque pode ter certeza que boa coisa não é, o mais estranho de tudo é que o filme não tem motivo para ter ficado tanto tempo inédito, com certeza merecia mais atenção. A direção é da dupla Björn Stein, Måns Mårlind, diretores de Anjos da Noite: O Despertar e o roteiro foi escrito por Michael Cooney, o mesmo roteirista do ótimo Identidade. Mesmo antes de pesquisar o nome do roteirista eu já havia notado a grande semelhança do enredo de Identidade Paranormal com Identidade, ambos os filmes são focados no mesmo tema: transtorno múltiplo de personalidade. A grande diferença é que esse tem elementos sobrenaturais, enquanto o outro é focado no suspense.




O filme conta a história de uma psiquiatra forense, Cara Harding (Julianne Moore de Hannibal), que não acredita em múltiplas personalidades, em um dos casos ela até condena um de seus pacientes a morte, depois que o tal paciente cometeu homicidios, culpando a outra personalidade. Mesmo cética, ela fica intrigada ao conhecer o novo paciente, Adam (Jonathan Rhys Meyers de Missão Impossivel 3 e o futuro Drácula), e sua outra personalidade David. David é um jovem paraplégico, calmo e simpático e Adam, um sujeito agressivo, que parece ser um psicopata. Cara decide pegar o caso e começa a investigar, tentando achar uma explicação e acaba descobrindo que uma das personalidades do rapaz é de alguém que já havia morrido. Para piorar ainda mais a poha toda, Adam vai ganhando novas personalidades e se tornando cada vez mais perigoso...


Identidade Paranormal é um bom suspense, a história é bem trabalhada e o filme prende a atençao do inicio ao fim, mesmo que o ritmo seja meio vago em algumas cenas. A história vai muito além do que eu descrevi aqui, tem muitas sacadas criativas e inesperadas. Jonathan Rhys Meyers ganhou meu respeito pela atuação nesse filme, ótima atuação, o cara muda completamente a cada personalidade, com tom de voz, olhares e sotaques diferentes, isso foi muito bem trabalhado durante o filme, não vai ganhar o Oscar, mas vai ganhar o respeito de muita gente. A atuação de Julianne Moore tem o mesmo destaque e a personagem é bem trabalhada pelo roteiro.


Mesmo o sobrenatural sendo a proposta do filme, acho que não caiu tão bem como deveria, não sei explicar o motivo, talvez pelo tom de suspense da primeira metade, da metade para o final o filme apresenta ideias, que mesmo que sejam criativas, parecem deslocadas na trama, não vou dar detalhes por conta dos spoilers. Além do elemento sobrenatural o filme foca um pouco em crenças e religião, com a personagem principal com medo de perder a fé e tals.


O grande destaque foi o final, saiu do convencional e foi bem diferente do esperado, certeiro e criativo, sem aqueles finais de sempre. O filme lembra muito Os Demônios de Dorothy Mills, só que é muito melhor que esse e Identidade. Roteiro criativo boas atuações, um filme recomendado!




Sinopse:
Cara Jessup (Julianne Moore) é uma psiquiatra dedicada que concentra a sua reputação profissional em desmascarar a ideia da síndrome de múltipla personalidade. Ela duvida completamente desses casos até conhecer Adam, um paciente criminal com problemas mentais que desafiam a explicação mais racional. Esse contato misterioso com o mal perturba o seu mundo e ela começa a questionar suas próprias crenças.
  • Direção: Björn Stein, Måns Mårlind
  • Roteiro: Michael Cooney
  • Elenco: Brooklynn Proulx, Frances Conroy, Jeffrey DeMunn, Jonathan Rhys-Meyers, Julianne Moore
  • Produção: Darlene Caamano, Emilio Diez Barroso, Mike Macari, Neal Edelstein
  • Fotografia: Linus Sandgren
  • Trilha Sonora: John Frizzell
  • Ano: 2010
  • Duração: 112 minutos
  • País: Estados Unidos



6 comentários:

  1. Anônimo8/20/2013

    filme bem legal, julanne como sempre fodona!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é véi, nem sei como esse filme ficou tanto tempo engavetado. Ainda nem saiu nos Estados Unidos. :(

      Excluir
  2. Anônimo11/05/2013

    Isso eu ñ acredito! Que esse filme ainda ñ foi lançado in USA,esse filme é bom,mas tudo ...Eu ñ entendi esse filme direito,acho porque estava distraído pelo sono rsrsrs...começou com a condenação do pastor,dezenas de anos depois o pastor volta(o corpo físico),e vai tomando identidades diferentes após matar a vítima,primeiro o pobre do david,depois o solitário adam e ai é um troca troca de identidade e no fim a menina vira,depois de morta o "cavalo" (expressão dos umbandistas ) e começa recebendo o espírito de david e o filme acaba...é muita maluquice esse filme

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. li santos12/02/2013

      Tbm não entendi mto, e eu tava acordada! mas é isso aí q vc falou, achei mta coisa nada a ver.

      Excluir
  3. acabei de ver o filme pela HBO e adorei.. bem legal...

    ResponderExcluir
  4. Filme muito bom nota 100...só que eu não intendi o final, pra mim ficou bagunçado na ultima parte!

    ResponderExcluir