Crítica: No Cair da Noite (2003) - Sessão do Medo

2 de setembro de 2013

Crítica: No Cair da Noite (2003)


"Olho por olho, sua vida por um dente" 

Jonathan Liebesman, esse nome soa familiar? A maioria nunca deve ter ouvido esse nome ou lido nada a respeito, mas com certeza deve ter visto alguns dos filmes do tal cara. O diretor começou dirigindo vídeos musicais de bandas desconhecidas e foi escalado pela Sony para dirigir No Cair da Noite, o filme em questão que vamos comentar aqui. No Cair da Noite foi o primeiro filme, logo nesse primeiro filme ele já provou ter taleto como diretor e tenho que admitir que curto muito o estilo dele, em todos os filmes as caracteristicas de filmagem são as mesmas, câmera agitada, edição rápida e frénetica, de todos os filmes, acho que No Cair da Noite é o que mais usa desse estilo. Mas quem é esse tal de Jonathan Liebesman? Jonathan Liebesman ganhou mais notoriedade depois da direção do excelente O Massacre da Serra Elétrica - O Inicio (2006), prequel do remake de O Massacre da Serra Elétrica (2003), antes disso ele havia dirigido o curta metragem Círculos, baseado na história da fita maldita de O Chamado (2002), o tal curta faz parte do DVD de O Chamado 2. Depois de O Massacre, dirigiu o não tão conhecido Manipulador de Cérebros (2009), depois veio o blockbuster Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles (2009) e por último Fúria de Titãs 2 (2012). Então, mesmo o cara sendo desconhecido, ele dirigiu muita coisa boa, e tem talento como diretor, o primeiro trabalho já é uma prova disso.


No Cair da Noite foi lançado em 2003 e passou despercebido por todo mundo,o filme ficou só uma semana em cartaz no Brasil e foi passado para trás por Navio Fantasma, produção fraca da produtora Dark Castle que estreou na mesma semana aqui no Brasil. Nos Estados Unidos faturou muito pouco nas bilheterias, mas apareceu na lista de top 10 dos DVDs mais vendidos da América no mês em que foi lançado, passando até de X-Men 2. Se você ir procurar agora críticas sobre o filme no Google vai achar várias malhando o filme, falando mal, eu mesmo não sei o motivo, No Cair da Noite é um filme excelente e que com toda a certeza merecia mais atenção por parte do público. A história explora uma lenda infantil, muito conhecida pelos americanos, que é a fada dos dentes, uma lenda infantil que os pais contam aos filhos para poderem arrancar o dente deles em troca de uma moeda. Como um filme sobre uma lenda infantil sobre a fada do dente pode ser bom? Do mesmo jeito que a maioria dos filmes bons, história bem trabalhada e bem conduzida, mesmo que seja simples e pouco elaborada, a história é bem cuidada, tanto no enredo, quanto nos personagens.

O filme começa com um flashback ambientado no século XIX numa cidade chamada Darkness Falls, onde uma velha senhora chamada Matilda Dixon era adorada por todas as crianças do local e chamada de fada do dente, já que quando elas perdiam um dente, Maltilda dava a elas uma moeda. Uma noite Matilda foi vitima de um incêndio e ficou completamente desfigurada, e com a pele tão sensível que só podia sair a noite, e sempre com uma máscara, para que ninguém pudesse ver o seu rosto desfigurado. Para piorar, foi injustamente acusada de um crime que ela não cometeu, depois que duas crianças desapareceram misteriosamente.  Uma multidão enfurecida a assassinou brutalmente e antes de morrer ela anunciou: "O que antes era gentileza, tomarei para sempre por vingança".


Depois dessa introdução é apresentado o jovem Kyle, que acaba de perder o último dente, naquela noite ele recebe a visita da tal fada do dente que acaba matando a Mãe dele, mas ele consegue se salvar, sendo o principal suspeito do assassinato e internado numa clinica psiquiatria, a única pessoa que acredita nele e a amiga Katlin. 15 anos se passam e o filme mostra Katlin numa clinica psiquiatria, onde o irmão mais novo Michael, um moleque de uns 11 anos, tá tenso problemas de terror noturno e com fobia do escuro, afirmando que é visitado a noite pela fada do dente. Os médicos não conseguem explicar o problema de Michael, então Katlin procura Kyle para ajudar no problema. Mesmo depois de adulto, com tratamento e vários medicamentos, Kyle não se recuperou do trauma de infância e é o único que acredita que Michael é visitado a noite pela fada do dente e faz de tudo para ajudar...

Histórias de assombração e maldição estão manjadas, mas esse filme aqui tá longe de seguir os passos das várias produções envolvendo esses temas. No Cair da Noite é um filme dinâmico, bem agitado e que foge um pouco do padrão. Achei o filme muito bem feito, bem editado, bem filmado, com efeitos especiais de ótima qualidade.Mesmo fugindo dos padrões, é claro que não foge dos clichê, é cheio deles, coadjuvantes morrem e os mocinhos se salvam de várias situações, isso entre outras coisas....


Outra parada bem trabalhada no filme é o lance de escuridão, a tal fada do dente só aparece no escuro, e isso é bem explorado durante o filme, com os personagens sempre procurando locais iluminados, mesmo quando a luz está precária depois de um apagão na cidade. O quê mais vemos é uma amontoado de cenas de perseguição, correria e mortes, com muito suspense e pouca ou nenhuma violência. Uma das cenas que eu mais curto é aquela na delegacia depois do apagão, com a fada do dente matando todos os policiais no mesmo estilo da cena final de Olhos Famintos.

A concepção da fada do dente nesse filme é bem bacana também, poderia facilmente fazer parte da galeria de monstros mais maneiros do cinema de terror atual, junto com o Creeper de Olhos Famintos e a fantasma Samara de O Chamado.

No Cair da Noite é uma boa pedida para quem procura um filme divertido, bem movimentado e sem compromisso, não vai ser taxado de clássico, nem de um dos melhores filmes dos últimos tempos, mas é um ótimo filme que merecia mais destaque por parte do público e crítica.

Postado por: Marcelo

Um comentário:

  1. Eu vi em DVD pouco depois que foi lançado.
    Muito bom filme!

    ResponderExcluir