Critica: Brinquedo Assassino 2 (1989) - Sessão do Medo

19 de fevereiro de 2014

Critica: Brinquedo Assassino 2 (1989)


Olá, hoje eu decidi fazer uma crítica em cima de um filme que qualquer adorador de filmes de terror já viu ou ouviu falar. Trata-se de "Brinquedo Assassino 2". 

Antes de começar a comentar, eu preciso dizer que a tradução dos filmes do titulo original para o português é lamentável. Vejam bem, o titulo original do filme é "Chils's Play" a sua tradução literal seria "Brincadeira de Criança". Agora vamos analisar, em nada o titulo fala de um boneco assassino, isso deixa o telespectador curioso para saber do que se trata o filme, além de proporcionar o suspense e estimular a imaginação do publico. O primeiro filme foi impactante porque o diretor Dom Mancini brincava com o publico. Quem matava as pessoas, o boneco Good Guy "Chucky" ou Andy Barclay? Era uma grande pergunta e ninguém sabia a resposta, nós não víamos o brinquedo agindo, só tínhamos a palavra do Andy contra um fato até então impossível, o boneco criava vida e saia cometendo as mortes. Do meio do filme para o final, nós vemos quem realmente é o responsável pelas mortes, Chucky aparece vivo nas mãos de Karen Barclay e assim nós somos apresentados a um dos mais marcantes vilões de todos os tempos. 

O titulo brasileiro já joga ao publico que o filme vai tratar de um boneco assassino, o clima de tensão e de curiosidade em saber quem comete os assassinatos se reduz ao minimo, isso acaba se tornando prejudicial para o entretenimento do publico brasileiro pois um dos pontos mais fortes do filme criado por Mancini foi quebrado (isso não acontece só com Brasil, mas em vários países ao redor do mundo).

Falar sobre essa franquia é complicado, existem uma série de interpretações e curiosidades que podem fazer uma análise ser errônea, por isso a interpretação feita nessa critica é algo pessoal, mas sempre analisando as provas que defendam tal analise. 

O filme começa com a reconstrução do que sobrou do Chucky do filme original. É uma cena bem curiosa onde é mostrado passo a passo da reconstrução do boneco. Logo durante esse começo nós vemos 'Chucky matando' de uma forma muito estranha um dos homens que estavam o construindo. Algumas pessoas dizem que foi o próprio Chucky que provocou a descarga elétrica, eu acho que aquilo foi justamente o que provocou a ressurreição do assassino no corpo do boneco, ou seja, um acidente. Tipo, no final do primeiro filme, Chucky levou um tiro no coração e morreu, Fim. Então quer dizer que é só reconstruir o boneco que o assassino dentro dele volta a tona? Acho que não, seria muito fácil e sem sentido ao mesmo tempo.

Pelo fato do boneco ter sido reconstruído em cima do que sobrou do Chucky, tecnicamente falando, o boneco é o mesmo. Pensando nisso, Chucky repara que precisa de Andy para sair do corpo do boneco. A caçada começa.


Enquanto isso, Andy tenta seguir com a sua vida. Segundo o que é mencionado no filme, Karen Barclay confirmou as alegações de Andy de que o boneco Chucky era o responsável pelos assassinatos, por esse motivo ela foi internada numa clinica para se tratar. O policial Mike simplesmente não é mencionado em momento algum. Andy fica sozinho num orfanato, desde então ele é transferido para ficar na casa de uma família, os Simpsons. Essa família é composta por Phil Simpson, Joanne Simpson e a rebelde Kyle que assim como Andy, está de passagem na família. 

Como várias crianças passaram pela casa dos Simpsons, vários brinquedos acabaram ficando na casa. Um deles, é claro, um Good Guy, Tommy. 

Andy tenta evitar ficar perto do boneco no começo, mas para mostrar que ele está se recuperando do trauma e deixando de "inventar coisas como, 'um boneco assassino tentando matá-lo'", ele se aproximar do boneco na frente dos Simpons para os convencerem de que ele está curado. Essa é uma ideia muito interessante, e o longa ganha ponto por ter uma história coerente e manter uma ligação bem forte com o filme original.


Não demora muito para Chucky começar a fazer suas vitimas e encontrar Andy. Um grande ponto do filme para mim é quando o vilão encontra o boneco Tommy e quebra o seu rosto com uma peça de porcelana. Aqui nós temos uma previsão, o boneco Tommy seria mais tarde o boneco que Tiffany usara para ressuscitar Chucky em "A Noiva de Chucky". Aqui temos outro ponto a favor do filme, Chucky substitui o boneco Tommy, ou seja, todos pensam que aquele boneco é realmente um 'Bonzinho'. Até mesmo quando Andy descobre que boneco é aquele, ninguém acredita em sua palavra ao alegar que Chucky estava por perto, aliás, quanto mais Andy insistia em dizer que todos estavam em perigo, mais Phil botava em sua cabeça que aceitar o menino em sua casa foi um erro.


Sendo ignorado por todos, Andy resolve enfrentar Chucky que está no porão da casa. O garoto armado com uma faca elétrica vai ao encontro do seu pior pesadelo, é nesse momento que Phil descobre que Andy falava a verdade o tempo todo, mas foi tarde demais.

É bem legal ver a evolução de Andy, o menino chorão e irritante do primeiro filme está mais corajoso e decidido, apesar disso tudo, Andy ainda é uma criança que gosta de brincar e se divertir e isso não é deixado de fora do filme, assim podemos ver o mesmo Andy do primeiro filme só que mais maduro.


Após a morte de Phil, Joanne decide devolver Andy ao orfanato. Antes de ir embora, Andy adverte a Kyle de que Chucky ainda está no porão, ela pega o boneco e o joga no lixo, e é por acaso que ela encontra o boneco Tommy, então quando ela vai checar o boneco que havia acabado de jogar fora, surpresa!!! Ele não está mais lá. Quando Kyle descobre que Chucky está vivo ela tenta informar Joanne, tarde demais novamente. O primeiro confronto entre Kyle e Chucky é muito bem feito, não é perfeito, pois acredito que a expressão de terror de Kyle ao ver o boneco vivo poderia ser mais explorada assim como foi com Karen Barclay no primeiro, mas não deixa de ser boa. 

Andy está no orfanato outra vez e Chucky 'recruta' a adolescente para levá-lo até o menino. A cena em que Kyle dirige o carro com Chucky no carona é bem hilária com alguns diálogos bem engraçados como a parte em que Kyle diz a um policial que assim como existem bonecos que fazem xixi, existem bonecos que sagram como o Chuchy, hahaha. 

O grande clímax vem logo após Chucky encontrar Andy no orfanato. A luta de Kyle para salvar o menino das garras do vilão é muito divertida, com direitos a perseguição de carro, uma corrida num labirinto feita por caixas de bonecos Good Guys numa fábrica que os produzia e a tensão sempre constante em não saber aonde o boneco está. A ideia do terceiro ato ser na fábrica foi genial, bom pelo menos foi criativa.

Não estou dizendo que o filme é perfeito, mas as séries de situações curiosas que ele nos dá, no minimo nos diverte, como a cena do Chucky atacando a professora na escola após ela brigar com Andy (quem não queria ver a Srta. Kettlewell se dando mal? hahaha), a do Chucky matando a diretora do orfanato, a Grace Poole, ou até mesmo a morte de um vigia da fábrica, sendo essa uma das mortes mais bizarras da franquia. 

Fico feliz em dizer que a dupla Andy e Kyle funcionou muito bem, os dois não só convencem como dão um show em atuação. A trilha sonora produzida por John Stanley é muito boa. A equipe técnica trabalha com perfeição, os movimentos do Chucky são bem feitos, a qualidade de imagem subiu muito em relação ao seu antecessor.

Reparem que eu mencionei muito o apelido de Charles Lee Ray, é porque Chucky tem mais destaque nesse filme. Logo no começo ele começa a ir atrás de Andy, as suas aparições repleta de sarcasmo e com excelentes efeitos garantem a diversão, Chucky está mais presente que o anterior e isso anima porque o ponto alto desse filme é ver o boneco entrando em ação. Uma outra curiosidade desse filme em relação ao primeiro é que o Chucky como boneco, mudou.


Pessoas menos detalhistas não repararão. A fisionomia do Chucky tanto como Good Guy quanto o boneco se mexendo e fazendo as suas expressões bizarras e está mais séria e realista, isso não afeta a história em nada, mas é interessante notar essa mudança. Além disso, no primeiro filme, o boneco ia se tornando humano a medida em que a alma de Charles estava no Good Guy, com o passar do tempo as sobrancelhas de Chucky deixaram de ser de tinta, a face do boneco ficou mais cheia de traços (Em parte isso explica como Chucky conseguiu engravidar Tiffany em "A Noiva de Chucky", se o boneco vai ficando humano com o passar do tempo. Então ele poderia desenvolver órgãos reprodutores). Mas, nessa continuação isso não acontece, eu achava até uma ideia boa porque a medida que o boneco ia ficando humano, Chucky em si ia ficando mais feio e assustador.

A única coisa que não mudou foi a transformação interna do boneco, órgãos e sangue passam a fazer parte do sistema dele com o tempo, podemos notar isso em partes como as que Chucky começa a sangrar pelo nariz ou quando ele decepa a sua mão. Vale lembrar que as situações do primeiro filme levam dois dias. Em "O Brinquedo Assassino 2", a trama ocorre num período de três dias, então existe uma coerência de Chucky não conseguir passar sua alma para Andy visto que ele demorou mais que o primeiro filme para tentar fazê-lo. 

Vale também mencionar um final alternativo onde um pedaço do que sobrou do Chucky cai dentro de um tanque cheio de borracha derretida, nesse final uma cabeça de Good Guy é feita e ela sorri para a câmera dando a entender que haveria um terceiro filme, fato esse que ocorrera em menos de um ano em relação ao lançamento dessa parte 2.


Bom, a critica acima não tem como objetivo principal explicar cada parte do filme, até porque quem o viu terá a sua opinião sobre o assunto, a questão aqui foi discutir os pontos interessantes e as curiosidades que essa continuação trouxe para a saga, situações essas que contribuíram para que este fosse considerado por muitos como, o melhor filme da franquia.

Nota: 8,0.









FICHA TÉCNICA


Titulo original: Child's Play 2.

Titulo brasileiro: Brinquedo Assassino 2.

Direção: John Lafia.

Roteiro: Don Mancini.

Elenco: Alex Vincent (Andy Barclay), Jenny Agutter (Joanne Simpeson), Christine Elise (Kyle), Brad Dourif (Charles Lee Ray/Chucky), Gerrit Graham (Phil Simpson).

Sinopse: Chucky está de volta! O notório boneco assassino com sorriso satânico volta à vida neste novo capítulo, mostrando a aterrorizante luta entre o jovem Andy Barclay e o boneco demoníaco tentando se apoderar de sua alma. Apesar de ter sido torrado em sua última escapada, Chucky ressurge das cinzas após ser reconstruído por uma fábrica de brinquedos, para desfazer a publicidade negativa. Inteiro de novo, Chucky segue sua vítima até um lar adotivo, onde a caçada começa novamente nesta maldosamente inteligente sequência.


Por: Michael Kaleel.

6 comentários:

  1. Anônimo2/19/2014

    ótima critica .... parabéns! quando ao titulo sao sempre vergonhossos!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo2/20/2014

    parabéns pela critica, gosto dessa franquia 1,2,3 e esse ultimo a maldição de Chuck...
    não gosto da noiva e nem do filho,são bem ruins..

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2/26/2014

    Olá a todos do sessaodomedo !! Gostei da critica tava faltando esse clássico no site. Esse filme é perfeito pra quem gostou do 1° pois tras andy de volta, o que todo bom fã de uma franquia gosta é ver os principais atores voltarem o filme é ótimo da um UP em chucky pois ele vem bem nervoso nesse aqui ! Acredito que foi essa sequência quem oficializou chucky como um dos famosos assassinos do cinema ! Abraço a todos de um antigo seguidor do blog Josias !!!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo7/06/2014

    Excelente critica, meus parabéns. Pode até ser que esse não seja o melhor filme da franquia (perdendo apenas para o primeiro), mas incrivelmente essa parte 2 é a preferida dos fãs, como você citou...acho que é porque é um filme mais movimentado que o primeiro, as mortes são mais bem elaboradas, Chucky está muito mais cruel e sádico, os personagens são bem trabalhados (com destaque para a carismática e belíssima Kyle), os efeitos animatronicos foram os melhores já feitos e a trilha sonora é ótima e emblemática.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo12/16/2014

    uma das melhores sequências de terror...A crítica está impecável como todas as outras...meus PARABÉNS!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Anônimo12/16/2014

    Impecável crítica como todas as outras ,meus PARABÉNS!!!

    ResponderExcluir