Critica: O Mestre dos Brinquedos 3 - A Vingança de Toulon (1991) - Sessão do Medo

3 de maio de 2014

Critica: O Mestre dos Brinquedos 3 - A Vingança de Toulon (1991)


Bom, finalmente chego nessa terceira parte. O famoso filme das marionetes assassinas completam a sua primeira trilogia com muito louvor. Ok, antes de você seguir adiante, preciso dizer que essa critica contêm revelações do roteiro e spoilers. 

Também conhecido como "A Volta do Mestre dos Brinquedos", esse filme narra a história ocorrida com Andre Toulon antes dos eventos narrados nos dois primeiros capítulos da franquia. 

Dirigido por David DeCoteau, o filme teve sua estreia e 15 de abril de 1991. A sua história, como já foi dito antes, se passa em Berlim, durante a Segunda Guerra mundial. O construtor de marionetes André Toulon, depois de perder a esposa, resolve se vingar dos nazistas, e para essa vingança ele usa as suas marionetes que estão vivas devido ao uso de um segredo egípcio que o homem conhece. 

O legal desse capítulo é que ele não é 'mais do mesmo'. O hotel Bodega bay Inn, não é mencionado e temos a história de alguns dos bonecos vistos nos filmes anteriores como é o caso de "Leech Woman" e "Blade". Também existe o fato interessante de mostrar como Andre e Elsa eram em vida, o amor que um sentia pelo outro e a cumplicidade que eles tinham com relação ao segredo de suas marionetes. Achei interessante isso porque tudo o que havíamos visto nos filmes anteriores era que Toulon era solitário e amava as suas marionetes (no primeiro filme), tanto que ele os escondeu antes de se matar e que quando ele voltara a vida (no segundo filme), ele pensava só nele e em Elsa, tanto que os bonecos se revoltaram contra ele o matando. Então de certa forma essa terceira parte une tudo o que foi mostrado aqui e reafirma que quem volta a vida através da porção magica não é o mesmo de quando era vivo. O filme se passa na Alemanha de Hitler no auge da segunda guerra mundial. 
Enquanto Toulon fazia seus shows satirizando Hitler. Os soldados do líder da ideologia nazista estavam num projeto que visava trazer soldados mortos de volta a vida para usá-los nas guerras, projeto esse sob a supervisão do Dr. Hess e aos mandos do major Krauss. Sabe aquele vilão sem escrúpulos que da raiva e que você não vê a hora dele morrer? Esse é o major Krauss.

Como eu disse na critica da segunda parte dessa franquia. Em cada filme, um boneco ganha destaque. No caso desse filme, o boneco da vez é Six Shooters, o Cowboy de seis braços. Ah sim, Torch não aparece nesse filme, o fato se deva talvez porque Andre o construiu depois dos eventos narrados desse filme. 

Ao ficar sabendo das sátiras a Hitler, o major Krauss ordena que um de seus espiões veja o tal show de marionetes. É nesse momento que o espião descobre que os bonecos agem como se estivessem vivos. Dr. Hess, ao tomar conhecimento do assunto, ele diz que a formula que da vida aos bonecos pode ser a 'peça chave' para o seu projeto. É aí que um grupo de nazista invadem a casa de Toulon, e de forma covarde, Krauss mata Elsa. 

Com sede de vingança, Toulon junto com Pinhead, Tunneler, Shester e Six Shooters resolvem matar todos que contribuíram para o assassinato de sua amada mulher. Então sim, nesse filme tem muita morte. Tunnler e Pinhead rapidamente matam os homens que levavam Toulon até Krauss e mais tarde, outras mortes vão acontecendo tendo cena até do Six Shooters escalando uma parede como uma aranha.

É com muito prazer que digo que nesse filme temos mortes tão boas e caprichadas quanto nos filmes anteriores, os efeitos especiais continuaram bons.

No inicio dessa critica eu disse que o filme conta a história de algumas marionetes. Vou explicar:

Leech Woman: Ela é Elsa, isso mesmo. A falecida mulher de Andre. Após sua morte, Andre pegou uma boneca que ele havia dado para a sua esposa e a transformou na famosa assassina que vomita sanguessugas. 
Leech Woman antes de ganhar vida. Elsa em vida. Leech Woman após Toula dar vida e ela
Blade: Um dos bonecos mais famosos da franquia não aparece muito nesse filme. Dr Hess, apesar de trabalhar para Krauss e Hitler, ele não gosta dos ideias nazistas e com o tempo passa a ter certeza de que pessoas como Andre Toulon devem ficar vivas. Assim o doutor troca de lado e passa ajudar Toulon, infelizmente tal homem acaba sendo assassinado pelos soldados alemães e Andre o ressuscita em Blade. O boneco cuja imagem representa a maldade de Krauss e de seus ideais. 
Andre mostrando Blade após fazê-lo. Dr Hess, o homem cuja alma vai para Blade
Jester: Em vida foi um simpático e engraçado bibliotecário Chamado de Hans Sileman. Andre o descreve como um homem cheio de truques e palhaçadas e que foi assassinado pelos nazistas.
Pinhead: Foi um caminhoneiro chamado Herman Strauss. Também foi assassinado pelos nazistas após roubar comida para um campo de judeus. 
Tunneler: A história dele não é mencionada nesse filme, mas já que estamos falando disso, por que não dizer a do Tunneler?... Bom, ele foi um soldado capturado e obrigado a trabalhar nas minas de sal dos nazistas até a sua morte. Seu nome era Joseph Sebastian.

Six Shooters: A sua história também não é contada por Andre aqui, mas nos outros filmes da franquia (mais precisamente em "O Mestre dos Brinquedos Retrô), é dito que o "Seis Braços" foi o homem que explicara a Toulon o segredo que faz as coisas inanimadas terem vida. O nome dessa pessoa nunca foi revelada. 
Numa rápida conversa entre Hess e Toulon, o mestre das marionetes revela que o grande segredo para que a formula funcione é que cada pessoa tem que ser voluntária para passar a sua alma para as marionetes quando eles morrerem. Daí o motivo dos constantes fracassos de Hess em usar a formula para ressuscitar os soldados mortos durante a guerra. 

Eu não poderia deixar de comentar também o envolvimento de Andre com um garoto que assistia os seus shows de marionetes e que se uniu ao homem para fugir dos nazistas visto que a sua família não são Alemãs. O Peter Hertz. Com a morte de seu pai, Peter acaba se tornando o discípulo de Andre o ajudando a cuidar de suas marionetes. 

A vingança que as marionetes fazem contra Krauss é 'dolorosa' e 'cruel' com forte referência ao filme como um todo, por esse motivo eu achei ela muito bem elaborada. Acredito que grande parte das pessoas que a viram, também gostaram. 
Major Krauss
O filme acaba com Andre e Peter num terminal partindo da Alemanha para a Suíça e quem sabe, depois para os Estados Unidos. E assim se fecha a trilogia.

Eu sei que os bonecos nesse filme não são 'malvados' pois você torce para Andre e seus amigos matarem todo mundo. Além disso, os nazistas dão motivos para você não gostar deles, a superficialidade e a banalidade desses soldados contribuem para esse sentimento. Contudo, o grande ponto do filme foi justamente esse na minha opinião. É isso, ele fecha com chave de ouro a primeira parte dos "Bonecos da Morte" e também vale a pena tê-lo em sua coleção pois ele vai garantir bons momentos nostálgicos e divertidos.  

Nota:7,5


Diretor: David DeCoteau
Produtor: Charles Band
Roteiro: Charles Band, C. Courtney Joyner, David Schmoeller
Elenco: Guy Rolfe, Sarah Douglas, Walter Gotell, Ian Abercrombie, Kristopher Logan, Aron Eisenberg, Matthew Faison e Richard Lynch.
Musica: Richard Band
Ano de Lançamento: 17 de outubro de 1991
Duração: 86 minutos

Por: Michael Kaleel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário