Crítica: Delivery - The Beast Within (2013) - Sessão do Medo

25 de junho de 2014

Crítica: Delivery - The Beast Within (2013)


Delivery The Beast Within (2013)

Sinopse: 
Um reality show familiar acompanha Kyle e Rachel Massy, um jovem casal que aceita documentar sua primeira gravidez. A produção sai de controle quando as câmeras capturam uma série de eventos inexplicáveis, levando Rachel a acreditar que um espírito possuiu a criança em seu útero.

Duração: 84 minutos
Roteiro: Brian Netto
Adam Schindler
Direção: Brian Netto
Elenco: Stars: Laurel Vail, Danny Barclay, Rob Cobuzio | Link do elenco completo no IMDB »


Depois da bomba do ano chamada O Herdeiro do Diabo, que já comentamos aqui no blog, chegou a vez de outro filme com a mesma premissa e o mesmo estilo de filmagem do outro ser lançado. Trata-se de Delivery The Beast Within, que segue exatamente a mesma idéia e estilo de O Herdeiro do Diabo, e é engraçado notar que houve algum plágio de um dos dois filmes, mas não se sabe ao certo qual copiou qual. 

Delivery estava marcado pra ser lançado ainda em 2013 e foi adiado por mais de 1 ano, sendo lançado só agora, no meio de 2014. Os trailers e imagens já eram divulgados desde o começo de 2013, enquanto O Herdeiro do Diabo só teve divulgação no fim do mesmo ano e lançado no começo desse ano. 



Delivery segue o estilo do já manjado found footage, dessa vez simulando um programa de TV sobre um casal que está esperando o primeiro bebê. São eles Kyle (O desconhecido Danny Barclay) e Rachel (A também desconhecida Laurel Vail), ambos estão animados com a ideia de ter um bebê, já que a primeira tentativa não deu certo e Rachel sofreu um aborto. Toda a nova gravidez é monitorada por câmeras de um programa de TV. 

Antes do filme começar é apresentado um depoimento do diretor do tal programa informando que algo deu errado durante a gravidez de Rachel e que o programa nem chegou a ser exibido na TV e logo na primeira cena, o tal diretor afirma que ela foi assombrada durante a gravidez. Os primeiros 20 minutos de Delivery é no formato de piloto de um programa de TV, mostrando o cotidiano do casal, embora isso seja chato de se ver em um filme de terror, isso é bem usado na hora de apresentar os personagens.  



Os atores que dão depoimentos durante o filme, relatando os acontecimentos que ocorreram durante a gravidez são convincentes, aquelas cenas que eles comentam sobre o tal documentário passa um realismo que raramente é visto em filmes assim. Infelizmente, Delivery cai na mesmice e é quase tudo que já foi mostrado em outros filmes como Atividade Paranormal e o próprio Herdeiro do Diabo. Em vários momentos o filme é idêntico ao primeiro Atividade Paranormal, tendo até cenas iguais como a da personagem levantar a noite e ficar agindo de forma estranha, enquanto uma câmera no quarto monitora tudo que acontece a noite.


É bacana notar como o lance do filme ter depoimentos em forma de documentário é envolvente e poderia ser melhor explorado; Tem depoimentos de um sacerdote que comenta sobre a possível assombração citando um demônio chamado Alastor e dá pequenas informações sobre o tal demônio, coisa que o filme não explora como deveria, joga uma informação aqui e outra ali e fica por isso mesmo.

Delivery é um filme regular, segue a mesma premissa do péssimo O Herdeiro do Diabo, mas é superior, mesmo podendo ser muito melhor. Pode-se dizer que é uma de Bebê de Rosemary com Atividade Paranormal, porém inferior a ambos os filmes.

Por Marcelo Alves

Trailer: 

4 comentários:

  1. Anônimo6/27/2014

    Marcelo, o título do filme está errado. É Beast, não Best.

    ResponderExcluir
  2. Consertado. concertado
    Valeu, nem tinha notado o erro de digitação!

    ResponderExcluir
  3. Roberto Santos7/02/2014

    Não sei como funciona por lá, mas por aqui as leis contra plágio são muito sérias e uma das duas produções pode pagar caro por isso. Mesmo assim, fiquei curioso com o filme, pela crítica parece ser uma produção regular para passar o tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, você tá certo, mas o lance de plágio é algo mais sério quando é algo envolvendo direitos autorais, tipo algo famoso. De uns tempos pra cá Hollywood caiu tanto em criatividade que é fácil ver produções que copiam as outras, como é o caso das produções da produtora Asylum, por exemplo.

      Acho que ninguém mais liga pro lance de produção copiar produção, eles só ligam pro faturamento da produção. Infelizmente é assim que pensam os produtores e executivos na terra do Tio Sam.

      Excluir