Crítica: Quando um Estranho Chama (2006) - Sessão do Medo

27 de junho de 2014

Crítica: Quando um Estranho Chama (2006)


Clique aqui para ler a crítica do original "Mensageiro da Morte (1979)"

Remake. Pronto, metade do público corre. Nos dias de hoje, após vários êxitos e flops, os fãs do gênero acabaram adquirindo certa repulsa pelos remakes, pois, em maioria, não ficam bons. E poucos sabem que esse filme aqui é um remake de um filme de 1979 (leia a crítica no link acima). Muitos não gostam dele, mas sinceramente, eu gosto desse filme. E ele é melhor do que original.

No filme, acompanhamos Jill (Camilla Belle), uma adolescente que vai trabalhar de babá para os filhos do casal Mandrakis. Localizada em uma parte distinta da cidade, sem vizinhos, a luxuosa casa dos Mandrakis é cheia de proteção, passando uma ilusão de segurança para Jill, que logo começa a receber ligações ameaçadoras. Após ligar para polícia, a mesma rastreia as chamadas, descobrindo que elas vem de dentro da casa.

No filme original, a trama é dividida em duas, diferente desse. Quando um Estranho Chama pega somente a melhor parte do original e a prolonga para uma hora. Porém, não fica cansativo, como uma série que continua sendo renovada, deixando sua história desleixada. Há, a todo momento, o suspense, a tensão, aquela verdadeira sensação que algo acontecerá se você piscar.


O filme começa indicando que o vilão do filme já vinha fazendo vítimas antes da protagonista, mas parece tudo desnecessário, pois nada ajuda na história. Somente um prólogo avisando o que estaria por vir. Após isso, conhecemos nossa protagonista, que é logo levada para à casa gigante que me fez lembrar A Casa de Vidro (2002). A trama apesar de enrolar um pouco até ganhar ação, não cansa. Faz com que você, como disse acima, fique à expectativa que algo aconteça, até isso acontecer.

Porém, o filme é fraco. Ele fica no mais do mesmo até ter a perseguição final, que achei muito boa. O filme erra exatamente no que está na sua premissa e no que ela apresenta. A história base do filme explora o medo provocado pelo desconhecido, no caso, pelo estranho. E o roteiro até tenta desenvolver isso na história, porém, os "retoques" hollywoodianos, repletos de clichês, dados pelo diretor Simon West (Os Mercenários 2) acabam deixando a história fraca, limitada de apenas alguns sustos e pronto.


Se o filme ficasse mais realista, poderia até cair na graça do público. Até por que, é tão normal você ser uma adolescente que vai trabalhar de babá em uma mansão-de-vidro no meio-do-nada, onde não há vizinhos e um estranho aparece te vigiando e ameaçando pelo telefone. A história poderia ter ficado mais realista se levasse à uma vida normal americana, como no filme original. Digo isso, por que filmes que se parecem realistas acabam levando o público a uma certa tensão, como o desconhecido Megan Is Missing (2009) e o novo The Den (2014).

Por fim, Quando um Estranho Chama acaba por ser mais um filme normal, com uma história que se fosse melhor trabalhada poderia ter rendido um bom filme. Garante alguns sustos, mas não é muita coisa, uma vez que o filme acaba sendo fútil, com um final desnecessário com uma alucinação da protagonista.

por Neto Ribeiro

Título Original: When A Stranger Calls
Ano: 2006
Duração: 87 minutos
Direção: Simon West
Roteiro: Jake Wade Wall
Elenco: Camilla Belle, Brian Geraghty, Katie Cassidy, Clark Gregg

3 comentários:

  1. Anônimo6/27/2014

    Cara nem sabia que esse filme era um remake.Mais é bom filme para assistir.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo7/09/2014

    O final é tipo: 'Já acabou?'.

    ResponderExcluir