Critica: A Volta dos Mortos Vivos 3 (1993) - Sessão do Medo

18 de julho de 2014

Critica: A Volta dos Mortos Vivos 3 (1993)


Esse filme é o mais diferente em relação aos seus anteriores, aqui não tem nada de cemitério e nada de terror com humor negro... Nem a famosa musica tema dos seus antecessores está aqui. O diretor Brian Yuzna resolveu fazer uma mistura de terror com romance apelando para o lado mais sério e dramático. A grande maioria das pessoas fãs da série odiaram essa parte por causa dos furos de roteiro, da maquiagem ruim e da história sem muito sentido. Eu gostei.

A narrativa é focada no casal Curt e Julie que resolvem se aventurar na empresa em que o pai de Curt, o Coronel John Reynolds, trabalha.


É logo aí que Curt vê o seu pai fazendo testes com o gás 'Trioxin 457' com corpos de pessoas. Curt fica surpreso com o trabalho do pai, por outro lado Julie acha tudo incrível. Mas numa falha durante o experimento faz com que o pai de Curt seja transferido para Oklahoma. Curt não quer se separar de Julie e por isso resolve fugir com ela em sua moto. Durante uma brincadeira bem tosca, os dois acabam sofrendo um acidente e Julie morre. Curt resolve usar o gás do tambor para ressuscitar Julie, e para nossa surpresa da certo até dá mais do que se esperava.

Julie volta a vida com consciência, a princípio como ela mesma, amando e 'maluca' como sempre foi, mas com o tempo a coisa vai ficando feia. Julie passa a sentir fome e a desejar carne humana, mas para não ferir Curt, ela prefere se machucar e sentir dor que segundo ela: "faz a fome ir embora".

A história desse filme é basicamente isso. Para mim, é um ótimo filme de romance onde nem a morte e o instinto de um zumbi podem destruir o amor que Julie senti por Curt. Parece ser piegas, mas é isso mesmo que o filme nos mostra. Ah sim, apesar da trilha ter mudado, admito que gostei da nova, assume um tom mais de terror e sério do que os outros filmes, entretanto ela é inferior.

Vamos começar a analise pelo gás trioxin em si... Ele mudou, antes, o gás era de tom verde e possuía uma mal cheiro (mostrado no primeiro e no segundo filme), agora o gás é branco e sem cheiro. Tudo bem, isso não afeta muito a história, o que afeta mesmo é o fato de nesse filme a mordida ser contagiosa, e é justamente através da mordida que Julie vai deixando um rastro de zumbis pela cidade. Mas, não acontece epidemia não (seria ótimo se acontecesse). Conforme Julia deixa um zumbi (involuntariamente). O pai de Curt com alguns membros da empresa que ele trabalha vão eliminando esses zumbis em busca de seu filho que está fugindo com Julie.

Bom, pelo fato de a cor da fumaça do gás ter mudado e de os tambores estarem na empresa em que se faz experiências com os mesmos. Eu deduzi que o gás que fez Julie voltar a vida, não é o mesmo dos filmes anteriores. Deve ser alguma variação daquele, por isso a mordida aqui é contagiosa. Isso é dedução minha, posso estar errado, mas para preencher os buracos do filme, ligar a história com a sua imaginação é uma forma eficiente de preencher essas lacunas, e aqui isso funciona muito bem.
Bom, explicado isso, vamos ao filme em si... Para começar. Que empresa negligente é aquela? Parece que ela é num galpão, segurança não tem, o único policial que aparece é justamente para virar comida de um zumbi de látex que estava dentro do tambor que Curt usa para ressuscitar Julie. Talvez isso se deva pela baixo orçamento do filme, arranjar um lugar que realmente pareça um laboratório e uma instalação do exército com pouco dinheiro é complicado, aliás, quando o rapaz invade a empresa carregando o corpo de Julie para ressuscitá-la, ninguém percebe ou vê alguma coisa de diferente.

Outro problema está no roteiro do filme, existem momentos em que as coisas não fazem sentido deixando o telespectador a deriva. Como por exemplo, na parte em que ocorre o assalto no armazém, o dono da loja leva um tiro e Julie morde o braço de um dos latinos... Curt, Julie e o dono do armazém (ferido na barriga), tentam ir para o hospital na van do dono do armazém, a policia chega atirando e matando o cara com um tiro que arrancou metade da cabeça dele. Já pensou a policia chegar num lugar e de repente sair atirando para todos os lados com a esperança de acertar os 'assassinos' e sem se importar com os reféns? Foi quase isso que aconteceu.
O furo no roteiro não para por aí... Mogo (o latino mordido por Julie durante o assalto) está doente e o líder da gangue, Santos, resolve querer se vingar de Julie por ter infectado o amigo com "...Gangrena ou raiva...". É aí que aparece outro furo. O membro da gangue, Felipe, diz que a única forma de encontrar Julie é através dos esgotos (?)... Não me perguntem como, eu também não sei. Aliás, nem sei de onde ele tirou essa ideia já que nada no filme inteiro até aqui indicava que Curt e Julia iriam parar num esgoto.


Pois bem, é no esgoto que Curt conhece o Riverman ou "Homem do Rio", se preferir. Um morador de rua bem maluco e simpático que resolve ajudar o casal. 

Reparem que ainda não me aprofundei em Julie, é porque o grande momento dela é justamente na parte em que a gangue os encontra no esgoto. Desde que Julie voltou até aqui, ela vem sofrendo com o problema da fome que não para de crescer, e nós como telespectador conseguimos acompanhar e ver a evolução dessa fome, o que é bem interessante. 

Logo quando ela volta a vida, ela está normal, depois ela começa a reclamar de fome por carne humana, e depois começa a se ferir para sentir dor e a fome passar (em certos momentos ela não aguenta), até que chega num ponto em que ela se fere literalmente até chegar a ser a zumbi da capa do filme. É muito legal a transformação, até porque Julie fica mais bonita assim do que antes hahaha... Enfim, o filme não acaba por aqui. Após matar e transformar a gangue do Santos em zumbi. Ela tenta atacar os amigos, agora sim ela se torna um zumbi que conhecemos, os sem noção dos "Brains! More Brains", matando o Riverman. 

Nesse momento final, Curt é salvo pelo pai e a sua equipe que chega na hora e imobiliza todos os zumbis com uma arma especial criada pela empresa que ele trabalha.

Eles tinham uma história legal nas mãos, seria bom ver uma epidemia zumbi e caos na cidade sendo provocado por Julie. Além de mostrar, é claro, essa evolução da 'doença' na própria zumbi que foi muito bem explorada, mas infelizmente o roteiro se limitou 
durante a maior parte do longa em Curt, Julie e a Gangue de latinos.

Julie é levada para a empresa e Curt acaba descobrindo que os zumbis estão sendo usados em teste para serem soldados de guerra e que inclusive o Riverman em sua versão zumbi estava sendo torturado e revestido sobre um traje de ferro, isso tudo coordenado pela substituta do pai do Curt, a Sinclair.

Então Curt resolve resgatar Julie que milagrosamente recuperou a consciência, a partir daí, vários zumbis começam a se libertar e a saírem dos tambores que estavam ali. O alarme é tocado e várias portas de acesso são fechadas. Tudo isso para complicar ainda mais a vida de Curt e Julie. Um detalhe que me incomodou um pouco no filme foi que... Pow, Julie está morta, ela é um zumbi, então não entendo o porquê de alguns zumbis quererem atacar ela como acontece nesse final, foi um furo de roteiro bem incomodo.   
Enquanto isso, os empregados da empresa não conseguem controlar o Riverman que também passa a matar os trabalhadores dali. Aí começa outro ataque. Os zumbis nesse final são feios e grotescos, mas bem legal... Pouco lembram os zumbis dos filmes anteriores. É um momento interessante onde mostra o verdadeiro lugar de Curt e Julie, acho que a sensação foi transmitida com sucesso visto que eu concordei com todas as ações de Curt. Então, é um filme que vai agradar a todos que não se importam se a trama fugir da história do original em partes, mas vai dar uma boa lição para os que gostam de um romance. Não é a toa que esse filme é considerado "Romeo e Julieta com zumbis da sétima arte". 
Para terminar, eu digo que 'A Volta dos Mortos Vivos 3' é um típico filme que é preciso ver com 'os olhos certos', ignorar o terror e o contexto dos dois primeiros filmes e ver esse como um romance dramático, talvez funcione como funcionou para mim. Então eu considero esse filme um marco no cinema mesmo que ele seja inferior as partes 1 e 2. 

Nota: 6,5
Titulo Original: Return of the Living Dead Part 3.
Direção: Brian Yuzna.
Roteiro: John Penney.
Elenco: J. Trevor Edmond, Melinda Clarke, Kent McCord, Basil Wallace.
Género: Terror\Romance.


Por: Michael Kaleel.

3 comentários:

  1. Falem o que quiser, esse é o meu filme favorito da franquia. Brian Yuzna é mestre!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu gostei e concordo com o Marcelo ai em cima, foi o melhor da franquia...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo9/30/2014

    É o que mais gosto da franquia. Detesto filme de terror que apela pra humor ou trepação de adolescentes com rock como trilha sonora. Curto TERROR com trilha de TERROR e focado no TERROR.

    ResponderExcluir