Crítica: Antes de Dormir (2014) - Sessão do Medo

30 de dezembro de 2014

Crítica: Antes de Dormir (2014)


Quem nunca assistiu ou nunca ouviu falar do filme Como Se Fosse A Primeira Vez? Estrelado por Adam Sandler e Drew Barrymore, o filme conta a história de uma jovem garota que sofreu um acidente um ano atrás e adquiriu amnésia por conta do mesmo. Quando o personagem de Sandler a conhece, instantaneamente se apaixona e todos os dias ele tenta conquista-la de forma diferente. Bom, o filme aqui em questão, Antes de Dormir é mais ou menos isso, mas sem o romance e a comédia.

Christine (Nicole Kidman) acorda todos os dias sem se lembrar de seu marido Ben (Colin Firth) e de seus últimos 20 anos. Quando ela recebe uma ligação de um médico neurologista (Mark Strong) indicando uma câmera com filmagens dela mesma, dias atrás, Christine começa a desconfiar das intenções de seu marido e começa a ficar paranoica para descobrir a verdade por trás de sua amnésia.


Eu, particularmente, gosto muito de filmes de thriller. E sem dúvidas, esse ano trouxe alguns notáveis do gênero. O mediano Regressão, o espetacular Garota Exemplar e agora esse filme. Apesar de seu ritmo lento e dos clichês, Antes de Dormir consegue ser um ótimo passatempo.

Infelizmente, o filme demora para decolar, tem um roteiro meio piegas e só consegue emplacar perto do final, que além de rápido, é meloso. Sem dúvidas, o maior triunfo do filme é o elenco. Nicole Kidman dá um show de atuação no papel da amedrontada Christine. Muitas vezes, me senti perdido como a personagem, pois não sabíamos em quem confiar: em Ben ou o médico. Não vou falar da atuação de Colin Firth por que pode estragar a surpresa no final do filme, então... Mark Strong (Regressão) infelizmente não faz nada de mais e seu personagem é só “enche-linguiça”.

Pesquisando sobre o filme, acabei descobrindo que ele é baseado num livro de mesmo nome, do autor S. J. Watson. Sem dúvidas, vou conferir (apesar de já saber o final). Quem sabe, não posto a resenha aqui?

Por fim, Antes de Dormir é um filme aceitável. Não foi um dos melhores do ano, mas pode agradar se você não for muito crítico. Um thriller psicológico que funciona mais como passatempo do que um bom filme que você fica pensando a semana toda. Mas o que falar desse filme em um ano que só lançou piores?

Nota: 5 

por Neto Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário