Crítica: Sexta Feira 13: Parte 8 - Jason Ataca em Nova York (1989) - Sessão do Medo

31 de dezembro de 2014

Crítica: Sexta Feira 13: Parte 8 - Jason Ataca em Nova York (1989)


Aloha para todos... Bom, tirando o gancho das minhas duas ultimas criticas, eu vou falar sobre o oitavo filme da franquia antagonizado (ou estrelado, se preferir) por Jason Voorhes. 'Friday 13th Part 8 Jason Takes Manhattan' ou 'Sexta Feira 13 Parte 8 Jason Ataca em Nova York'. 

Tirando o ator Kane Hodder que volta a usar a mascara de Jason pela segunda vez, nenhum ator dos filmes anteriores voltaram para esse. As inovações que ocorreram nas partes 6 e 7 (principalmente na parte 6) fizeram com que Jason tivesse potencial para outro filme. Contudo, a história da floresta sombria e do assassino a espreita já estava ficando saturada, sempre a mesma coisa: 'um grupo de jovens vão para uma casa no meio do nada e lentamente são mortos pelo Jason, até que no final alguém o 'mata''.

Foi pensando em sair desse mesmo de sempre que Rob Hedden criou uma história onde Jason saía de Crystal Lake\Forest Green rumo à uma cidade grande. É, como o título sugere, New York. Nesse sentido, infelizmente, o roteiro se limitou a fazer só essa mudança. O que eu quero dizer é que, pelo titulo, a minha real ideia sobre o filme era de que o Jason ia matar os moradores de Nova York, sem grupos de jovens... Apenas Jason e a população dessa megacidade que numa falta de sorte acaba se esbarrando com ele. Mas quase nada disso que mencionei acontece, o filme volta a se limitar em um grupo de jovens cuja história (ou matança) será focada do inicio ao fim.

Após uma introdução ao ritmo de "The Darkest Side Of The Night", mostrando a cidade de New York, posso dizer que o roteiro buscou obviamente pegar a parte negra da cidade. Uma Times Square durante as altas horas da madrugada, um restaurante com higiene 'nota 0', becos escuros, assaltantes drogados roubando e agredindo pessoas desatentas. Entre outras coisas. Porque isso? Eu não sei, mas admito que mostrar as coisas boas de NY ao invés de ruins causariam mais impacto ao telespectador, algo como "Eu só quero ver Jason causar o terror aí". Mas isso é do meu ponto de vista mesmo.

Após a introdução nostálgica provocada pela musica, a história vai para Crystal Lake onde um Iate com um casal vaga pelo 'lago' perto de um acampamento... Jim ao ver onde eles estavam conta para Suzie a história de Crystal Lake, desde o afogamento do menino deformado, passando pela morte de sua mãe doente e chegando aos massacres provocado pelo assassino da máscara de hockey. Curiosamente, o Jason ganha uma nova lenda urbana. Além daquela de que ele teria visto a sua mãe ser decapitada por Alice no primeiro filme. Jason puxa o pé de todos aqueles que não sabem nadar e vão para o lago. E ele fica ali esperando que alguém apareça nas terras amaldiçoadas de Crystal Lake para atacar.

Para completar, Jim tem a bordo uma mascara de hockey. Definitivamente ela (a máscara) não quer abandonar o Jason desde a parte 3 quando ele a usa pela primeira vez. Após uma brincadeira que Jim da em Suzie, os dois começam a se pegar.

Enquanto isso, uma descarga elétrica provocada pela âncora do barco trás Jason de volta a vida. Lembrem-se, ele estava no fundo do lago desde o final da parte 7 quando Tina fez o seu pai morto ressucitar, pegar o vilão e o levar para o fundo do lago.

Jason sobe a bordo do Iate e faz o que sabe fazer de melhor. Jim e Suzie se tornam as suas primeiras vitimas do filme.

A partir daqui os furos de roteiro começam a ficar mais notórios. O barco em que Jason está chega a um rio, e lá temos um grupo de estudantes que vão passar alguns dias em Nova York para comemorar a formatura. De cara nós podemos descrever quem vive e quem morre. Não tem mistério algum, os mesmo adolescentes sem noção e burros estão aqui, só que na pele de outras pessoas e indo para NY. EEEEH.


Para começar. Lago é um área cheia de água e coberta por terra em seus arredores, se houvesse ligação com o mar, seria um canal ou rio... Então não deveria ser Crystal Lake. Além disso, nunca foi mencionado se o Lago Crystal era de água salgada ou doce, embora seja possível, não creio que ele seja de água salgada já que ninguém em nenhum dos longos 8 filmes mencionaram isso.

Outro ponto é: Jason sempre voltou para Crystal Lake... Na parte 6 ele passa boa parte do filme fazendo um trajeto do cemitério até o acampamento, em todos os outros filmes da franquia, Jason mata nos arredores de sua casa. Sem contar que ele passou a vida naquele lugar. Então, porque sair de lá para e ir para New York voluntariamente? É uma pergunta da qual não se tem resposta.


Tudo bem, voltando até onde eu narrei, Jason está num porto nos arredores de Crystal Lake onde uma turma está embarcando rumo a NY... Jason simplesmente embarca nesse navio junto com os jovens, escondido é claro. E o resto... Preciso dizer?... Um a um Jason vai matando. Temos mortes criativas aqui, aliás, o Jason também mata de tudo quanto é forma aqui, menos com o terçado que por ironia é a arma mais famosa do vilão em questão, ele usa pedras, machados, arpão, faca, guitarra, vidro, chave de fenda, as mãos, peixeira (mesmo que sendo uma espécie de terçado, aparece em menos de 30 segundos para uma morte rápida)... Entre outros. 

Assim como a parte 7. O diretor resolveu continuar com a história do sobrenatural. Aqui não tem pessoas com poderes, mas sim um Jason ainda pior. Ele aparece e desaparece a hora que quiser, por exemplo: você está na rua e vê o Jason, aí você pega um ônibus, um avião, um navio e uma nave para chegar até a sua casa. Adivinha quem está lá esperando você! Ele mesmo. Algumas pessoas dizem que Jason é um fantasma, mas eu não creio nisso, se fosse um fantasma, ele não mataria ninguém, só minha opinião.

Para mim, o fato de ele matar as pessoas nesse filme sugere que ele é uma espécie de zumbi com um único desejo, matar... E que cada vez que o Jason morre, ele se torna um predador mais cruel e mortal, assim como a cada morte a sua aparência fica mais medonha e grotesca (morte de verdade, aquelas mortes finais do assassino no filme). Daí poderia ser justificado o fato de o Jason aparecer mais 'apodrecido' na parte 3 com relação a parte 2. E a mesma coisa acontece na parte 4 em relação a parte 3. 

Além da história do massacre, temos outra história, a do trauma da protagonista Rennie com o seu exagerado medo de água. Toda vez que ela entra na água, ela vê o pequeno Jason, ou puxando o seu pé ou gritando por ajuda (lembra da lenda do Jason puxar o pé da pessoa que não sabe nadar? Pois é).

Bom, infelizmente, o grupo chega em NY nos minutos finais do filme, o massacre principal já havia ocorrido e todos sabiam que Jason estava por trás de tudo. O ultimo ato aconteceria em Nova York, mas com pouco tempo sobrando, não há muito o que explorar. Jason se resumi em perseguir os sobreviventes do Navio, passando por todas as partes vista na introdução do filme. Ele não mata ninguém na Times Square, nem no metrô, nem no restaurante sem higiene, ele apenas passa por entre os nativos como se fossem postes que estavam entre ele e os jovens que estavam no navio. Jason aparentemente ficou mais sociável indo para NY (não que seja grande coisa)... Ele só mata um policial, dois assaltantes e um encanador, fora alguns poucos sobreviventes do massacre no navio. 

E por falar nos assaltantes (os mesmos que aparecem na introdução do filme), eles após roubarem o grupo de sobreviventes, raptam Rennie e a levam para um canto para estuprá-la. Mas, Jason aparece para estragar os planos dos criminosos. Não sei o que dizer sobre isso, acho que o diretor tentou ganhar tempo com essa situação, definitivamente, a presença desses dois criminosos no filme não mudam a trama e só estão lá para se tornarem mais números na lista de vitimas do 'vilão'.

Após o sequestro, o tio Charles da a 'melhor ideia' que alguém poderia dar na ocasião em que eles se encontravam: "Vamos nos separar!"... Com isso, alguns membros do grupo acabam se tornando alvos fáceis do Jason que com o seu poder de sumir e aparecer, está mais difícil ainda fugir dele.



Aqui se descobre que Rennie tem medo de água porque seu tio Charles havia a empurrado no lago de Crystal Lake para ensiná-la a nadar e Jason a puxara para o fundo do lago sendo que ela foi salva pelo próprio tio. E que tio chato é esse gente, super protetor e irritante, demora para morrer, e quando morre e de pular de alegria.

Seria muito interessante ver o Jason metendo o terçado em todo mundo na Times Square em hora de grande movimentação, como as 6 da tarde. Ver o Jason matando no Central Park de repente, confundindo o local com o Crystal Lake, enfrentando a policia de NY, matando na quinta avenida, arremessando alguém contra os vidros da famosa loja Macys, ou quem sabe, Jason causando terror na Broadway. Mas não, nada disso acontece, pelo contrário. Jason anda atrás dos protagonistas pelas áreas mais sombrias de Manhattan, becos, metrô, esgoto. Inclusive é no esgoto que acontece a morte de Jason.

Rennie joga uma lata de produtos tóxicos nele e pronto, o homem fica fraco, depois ocorre um despejo de produto tóxico no esgoto matando o grande Jason, tudo isso sem muito esforço, ao menos Tina sofrera mais para matar ele no filme anterior. 

Um detalhe importante que devo mencionar aqui. Depois que o lixo tóxico aparece vindo com violência na direção do Jason e o atinge, ele vira criança (?), mas não antes dele 'vomitar' água. A minha teoria (não tem nada que comprove que essa minha tese é verídica), é que o Jason realmente tem medo da água como Freddy mencionará em Freddy Versus Jason (2003), quando a água vem em violência, acho que o subconsciente do Jason vem a tona junto com o seu medo por água, afinal, ele morreu afogado, não é.

Finalmente a dupla protagonista pode respirar aliviados e aproveitar a parte macabra de NY ao som da musica introdutória do filme. O protagonista masculino do filme é Sean, se eu não falei dele até agora, é porque ele não faz muita diferença se vive ou morre, desde o começo já da para saber que ele é o tipico par romântico da protagonista que não quer ser capitão como o pai, gosta da Rennie, mas o tio protetor dela (Charles) quer que ele mantenha distancia dela. 

Esse Sexta Feira 13 foi feito com baixo orçamento, por isso algumas mortes são bem 'estranhas', como a cena em que Jason enfia uma pedra quente na barriga de um cara na sauna do navio, podemos ver nitidamente um balde de sangue embaixo de uma borracha em tom de pele. 


Outra coisa é, muita gente odeia esse filme pelo fato de a maior parte dele se passar dentro do navio e não em NY. Bom, o titulo é "Jason Ataca em Nova York", mas NY só aparece nos 30 minutos finais do filme... Isso para muitos foi considerado como uma 'propaganda enganosa'. Contudo, mesmo que por pouco tempo, Jason promove uma matança na cidade que nunca dorme. O filme só não chegou a cumprir com as premissas que ele dava ao telespectador, portanto o filme não é uma propaganda enganosa. 

Agora, concordo que o filme mostrou pouco de inovação e mais do mesmo ao mesmo tempo. Se esse longa fosse apenas a primeira parte da trajetória de Jason em Manhattan, seria mais aceitável. Mas tudo bem, nada é como a gente quer. Apesar de tudo, o filme não é ruim. Como eu disse, ele tem uma excelente trilha sonora, o seu clima no navio é tenso e sinistro, e justamente pelo fato de ele mostrar a parte obscura de NY se tem a sensação de insegurança o tempo todo. Isso é bom, não é o melhor, mas é aceitável. 

Enfim, essa parte 8 ainda não é a mais ruim da franquia na minha opinião, mas admito que ela tem mais 'furos do que queijo italiano metralhado' como diria o meu amigo e contribuinte do grupo, Marcelo. E que esse filme em relação com a franquia como um todo, deixa a desejar.

Então a minha nota é 6,5.


E com certeza vale a pena tê-lo na coleção até porque esse é o ultimo filme que segue a linha cronológica, depois disso a New Line já com os direitos da franquia da Paramount faz o 'belíssimo' 'Jason Goes to Hell' ou 'Jason vai para o inferno' e 'Jason X'.

E vale dizer as curiosidades do filme como:

- O filme foi feito em New York, então os moradores ficaram apavorados ao verem Jason andando por suas ruas. Eles não foram avisados das filmagens.

- Um morador teria tido um infarto ao ver Jason matando um personagem através de sua janela. Não confirmado.

- O homem que Jason joga contra o vidro num restaurante em Nova York é na verdade Ken Kirzinger, ele iria interpretar o Jason em 'Freddy X Jason' mais tarde. 

Então é isso gente. Obrigado, beijos, abraços e I LV NY. See ya.


Elenco: Todd Caldecott, Tiffany Paulsen, Kane Hodder, Tim Mirkovich, Jensen Daggett, Barbara Bingham, Peter Mark Richman, Warren Munson, Fred Henderson, Scott Reeves, Gordon Currie.
Direção: Rob Hedden.
Roteiro: Rob Hedden, baseado em personagens criados por Victor Miller.

Por: Michael Kaleel.

7 comentários:

  1. Essa teoria que sugere que Jason é um fantasma ou zumbi poderia ser explorada e explicada no próximo filme dele em 2015, right?
    Se eu fosse um ator (que em breve serei) e tivesse no elenco desse filme, eu opinaria essa tese para o diretor pra eles não cometerem mais erros do que acertos.
    O mais engraçado foi quando o tio Charles fala pra um personagem "Pelo amor de Deus, para de falar de Jeison....", hilarious XD

    ResponderExcluir
  2. Anônimo1/04/2015

    Michael, adoro suas críticas; são as melhores do blog. Sempre entro só pra ler seus posts!!

    ResponderExcluir
  3. cara. so nao entendi pq o jason ao invés de morrer com o lixo tóxico se transforma num menino. ou aquilo foi so uma visao da rennie? mas o namorado dela tb viu... alucinação coletiva? hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luizim, boa pergunta. Eu tenho uma teoria, mas não é uma resposta definitiva. Bem... Um ponto explorado no Freddy X Jason é que o Jason tem medo de água, o Jason virou uma criança na cena em que Freddy descobre que o rival teme a água. Foi a mesma reação dessa parte 8. A minha teoria é que quando tem água agitada vindo na direção dele ou de certa forma atrapalhando ele, ele fica com medo. O Jason pequeno que aparece é uma referência ao Jason "humano" antes de morrer afogado em 1958.

      Excluir
  4. Aqui entrando no clima deste filme!!!!! Ótima crítica, amigão!

    Lucas

    ResponderExcluir
  5. Me inspirando aqui com relação a este filme!!! Crítica lindamente escrita, amigão!

    ResponderExcluir
  6. O baixo orçamento do filme é nítido mesmo.
    Além da cena mencionada, existe aquela do arpão na barriga do rapaz, em que dá para ver que as tripas são mangueiras de borracha.



    ..
    Eu Sou a ressurreição e a vida
    Eu Sou a ressurreição e a vida
    Eu Sou a ressurreição e a vida

    ResponderExcluir