Crítica: American Horror Story - Asylum | 2ª Temporada (2012) - Sessão do Medo

3 de janeiro de 2015

Crítica: American Horror Story - Asylum | 2ª Temporada (2012)


Mal podia esperar para escrever esta crítica. Isso por que esta é definitivamente a melhor temporada de American Horror Story e nenhuma até hoje conseguiu se equivaler à ela. Se você não é um fã dela, convido a se retirar pois vou rasgar muita seda. Claro que irei justificar minha opinião, mas estou só dizendo isso pra adiantar o inevitável. Após um excelente start na televisão, Ryan Murphy e sua equipe anunciou a segunda temporada do show, trazendo grande parte do elenco da primeira temporada de volta numa nova história sem conexão com a anterior.

A trama de Asylum se passa na década de 60, em Briarcliff, uma instituição para doentes mentais, localizada em Massachusetts. O sanatório é comandado com mãos de ferro pela rigorosa Irmã Jude (Jessica Lange) e seu braço direito, a Irmã Mary Eunice (Lily Rabe). Tudo começa quando um novo paciente chega ao asilo: Kit Walker (Evan Peters), que foi acusado de ser o "Cara Sangrenta", um assassino que matou três mulheres e arrancou suas peles! Atrás de sua chance para o estrelato, a repórter Lana Winters (Sarah Paulson) invade o sanatório à noite. Quando é pega pela Irmã Jude, Lana acaba sendo presa no instituto injustamente, através de chantagens da Irmã. Agora que tem ciência de que o asilo tem várias brechas na administração, Lana irá fazer de tudo para sair de lá.


Fazendo amizade com Kit e Grace (Lizzie Brocheré), uma jovem acusada de ter matado os pais, Lana aos poucos vai descobrindo os perigosos segredos de Briarcliff, assim como ela descobre a inocência de Kit. Tentando salvar a si mesma e aos seus amigos, Lana irá se aliar ao Dr. Thredson (Zachary Quinto), um psiquiatra contratado pelo governo para tratar Kit, mas que percebe as irregularidades do instituto e decide ajudá-la.

Por esse resumo que fiz anteriormente, a temporada pode parecer um drama, até mesmo uma aventura policial, porém, assim como Briarcliff, Asylum tem seus segredos. Ao longo dos 13 episódios, conhecemos as várias faces de horror, que vai de neonazismo até alienígenas. Os personagens de Asylum são os personagens mais bem escritos da série. É impossível não simpatizar com os protagonistas e até mesmo com os vilões.

A história alterna-se em dois tempos: 2012 e 1962. No primeiro, vemos a história de um casal, Leo (Adam Levine, vocalista do Maroon 5) e Teresa (Jenna Dewan-Tatum, Tamara) que na viagem de lua-de-mel resolvem viajar pelos 12 locais mais assombrados dos EUA. Infelizmente, na última parada, um antigo manicômio abandonado, eles se deparam com um assassino mascarado. Já a história de 1962 é aquela que resumi acima.


Acho que o maior acerto de Ryan Murphy nessa temporada foi ter dado mais destaque à Sarah Paulson, que só fez uma personagem recorrente de 3 ou 4 episódios na primeira temporada. Aqui começava a jornada de Sarah a se tornar um dos rostos principais do show, é extremamente talentosa e mostrou isso a todos em uma performance digna de Emmy nesta temporada. Sua personagem é uma das melhores da série inteira, além de ser a minha favorita. A coitada come o pão que o diabo amassou nessa temporada - além de retornar para um cameo na sexta temporada, Roanoke.

Não só Sarah se sai bem. A maravilhosa da Jessica Lange também traz uma performance espetacular como a Irmã Jude, uma personagem complicada e difícil, sem dúvidas. Ela não é nada preto no branco e isso é perceptível durante a temporada. Lily Rabe incorpora a demoníaca Irmã Mary Eunice, uma das personagens mais memoráveis da série. Outros destaques são Chloe Sevigny em uma participação rápida mas impactante, James Cromwell como um dos vilões e Evan Peters também!

Melhor cena da temporada!

Porém, assim como expus os pontos altos da temporada, irei expor também os pontos baixos. Asylum começou de forma magnífica, assim como todas as quatros temporadas da série, porém, em algum lugar se perdeu. Desde o início, a história que mais me prendeu (e tenho certeza que a muita gente também) foi a dos aliens. Todos pensavam que a season finale da temporada iria explicar tudo numa reviravolta incrível, porém, nada aconteceu e a história foi desperdiçada. Alguns acham que esse arco tem uma história subjetiva mas a verdade é que poderia ter sido facilmente retirada que não faria falta, sacaram?

Viram como Asylum é a melhor temporada do show? Não faltam elogios. É o ano que mais soube condensar drama e horror de um jeito convincente e com uma trama excelente e cheio de momentos assustadores. Também teve os personagens mais bem desenvolvidos da série e não é à toa que muitos dos queridinhos dos fãs vem daqui.

por Neto Ribeiro

Criada por: Ryan Murphy
Canal: FX
Episódios: 13
Elenco: Jessica Lange, Sarah Paulson, Evan Peters, Lily Rabe, Zachary Quinto, James Cromwell, Joseph Fiennes, Chloe Sevigny, Lizzie Brocheré, Naomi Grossman


Description: Rating: 4.5 out of 5

2 comentários:

  1. A primeira temporada de AHS foi tão sem graça que quase que desisto de assistir a segunda, mas aí decidi dar uma chance ao piloto de Asylum. Realmente, é uma ótima temporada, com mistérios que te prendem até o fim. Os personagens são fantásticos, os atores atuam tão bem que você acaba esquecendo que é uma ficção. O clima vintage combinou muito bem com a história. Enfim, ótima crítica. Espero que assistam!

    ResponderExcluir
  2. Eu também achei essa 2ª t. melhor que a 1ª. Sempre prendendo a atenção da pessoa a ponto de causar ansiedade para ver os próximos episódios.
    A Band realmente tropeça em termos de divulgação, até porque as series começam a passar na tv a cabo, depois dvd/blu-ray e por último chegam na tv aberta, acho que poucas pessoas se interessam em ver ela novamente por causa dessas coisas...

    ResponderExcluir