Crítica: American Horror Story - Coven | 3ª Temporada (2013) - Sessão do Medo

3 de janeiro de 2015

Crítica: American Horror Story - Coven | 3ª Temporada (2013)


Aqui estou eu de volta para fazer a crítica do terceiro ano de American Horror Story, com o título de Coven, que quer dizer "clã", relacionado à bruxas. Infelizmente, esta foi a temporada em que a série começou a decair bruscamente. Depois de uma tão excelente quanto Asylum, claro que fica difícil atender as expectativas que estavam altíssimas, mas ainda, essa temporada é uma escorregada tão grande mas tão grande que é impossível não criticar. E eu gosto muito de criticar algo, seja de uma forma boa ou ruim. Adivinhem de que forma vou falar de Coven? Vamos lá...

Na terceira temporada de American Horror Story, acompanhamos a Academia para Jovens Garotas Excepcionais da Miss Robichaux, localizada em Nova Orleans. Dirigida pela simpática Cordelia Foxx (Sarah Paulson), a Academia acolhe um tipo especial de garotas. Bruxas. Infelizmente, o clã está sob ataque e poucas se voluntariam para ir. Com isso, o instituto só tem quatro alunas: A inexperiente Zoe (Taissa Farmiga), a jovem telecinética Nan (Jamie Brewer), a barulhenta boneca-vodu-humana Quennie (Gabourey Sidibe, estreando na série) e a arrogante ex-atriz Madison (Emma Roberts, também estreando na série).


Todo clã elege uma Suprema por geração. Essa Suprema, ao final do seu mandato, deve eleger uma nova Suprema e por aí vaí. A atual é a egocêntrica Fiona Goode (Jessica Lange), mãe de Cordelia, que sempre procura uma forma de rejuvenescer, para continuar com o poder de Suprema - matando até para conseguir tal coisa. Finalmente ela descobre um jeito que pode ser permanente e desenterra a antiga socialite francesa Madame LaLaurie (a estréia da espetacular Kathy Bates) de seu túmulo, onde foi enterrada viva após tomar uma poção que garante a imortalidade como castigo. Porém, ao fazer isso, Fiona automaticamente compra briga com Marie Inês Brasil Laveau (Angela Bassett), a líder do clã vodu da cidade, que enterrou LaLaurie viva após a mesma ter matado seu amante, no século passado.

Assim como toda temporada (exceto por Roanoke), Coven começou se forma excelente, cheia de excitação, promessas e imprevisibilidades. Muita coisa no episódio me chocou e é sem dúvidas um dos melhores "pilotos" da série. Os episódios seguintes também não erraram e pelo menos até o episódio nº 5 manteve a qualidade. Mas logo depois disso que a temporada tombou e não conseguiu se recuperar.


Graças às decisões de sabe Deus quem, Coven virou um jogo repetitivo e enfadonho onde até as mortes dos personagens se torna algo banalizado. Fulano morreu? Ah, algo deve revivê-lo daqui a alguns episódios. Isso tirou qualquer choque que uma morte na série poderia causar. A reta final ainda tentou demonstrar um pouco de interesse mas foi tudo tão preguiçoso e previsível que não tinha mais volta.

Acompanhar a temporada virou algo bem irritante, não só pelas mil voltas que o roteiro dava, mas pelos próprios personagens que pareciam competir para saber quem irritava mais. A partir de certo ponto, eles perderam o brilho e personalidades. Parecia que não sabiam o que fazer com eles. O desfecho só prova mais ainda este ponto, descartando todo mundo de forma ridícula e sem um pingo de sentimentalismo. O desserviço foi tanto que eu nem lembrava mais que fim levaram alguns ao escrever a crítica e tive que pesquisar!


Porém, o prêmio de personagem inútil do ano vai para Kyle, interpretado por Evan Peters. Morre no primeiro episódio, volta todo remendado no segundo, fala três palavras na temporada inteira e ainda vira cachorrinho da Zoe e da Madison. Uma pena Ryan Murphy ter desperdiçado o talento de Evan nesse papel escroto e facilmente descartável. Foi patético.

Sinceramente, de todos os episódios, somente os 5 primeiros são bons. Ryan Murphy fez uma verdadeira cagada com essa temporada, que podia até ter superado Asylum, mas nem chegou aos seus pés. Outro problema da temporada foi ter apelado muito para o público mais jovem. De início não era uma coisa que afetaria a história, mas quando Ryan viu que a merda tava sendo feita, começou a apelar para referências à cultura pop e briga de divas (algo que geralmente eu adoro) mas que destoou bastante do que a temporada se propôs a princípio. Uma verdadeira pena.
por Neto Ribeiro

Criada por: Ryan Murphy
Canal: FX
Episódios: 13
Elenco: Jessica Lange, Sarah Paulson, Kathy Bates, Angela Bassett, Taissa Farmiga, Frances Conroy, Emma Roberts, Lily Rabe, Gabourey Sidibe, Evan Peters, Danny Huston, Jamie Brewer, Patti LuPone



Description: Rating: 2.5 out of 5

5 comentários:

  1. nossa graças a deus que vc não eh roteirista de nada né mozi

    ResponderExcluir
  2. Porém, Stevie Nicks como uma bruxa cantando The Seven Wonders pelos corredores da mansão foi ridículo, tirando toda a seriedade, que já era escassa, da temporada.

    parei de ler aqui, e fingi q não é vdd essa bobajada q cê escreveu

    ResponderExcluir
  3. realmente coven foi uma bosta, no inicio me empolguei mas se monstro uma verdadeira porcaria

    ResponderExcluir
  4. Uma bosta essa terceira temporada... A segunda bem melhor.... Ainda não vi a quarta

    ResponderExcluir