Crítica: A Enfermeira Assassina (2014) - Sessão do Medo

3 de janeiro de 2015

Crítica: A Enfermeira Assassina (2014)


O prazer dela é sua dor.

A produção de Nurse esteve atrasada por dois anos até ter seu primeiro poster divulgado. Desde então, todo mundo sabia que o filme ousaria, assim como apelaria. O poster trazia uma Paz de la Huerta completamente nua coberta de sangue. Assim como ele, mais fotos foram liberadas, algumas com a atriz nua na mesma situação do poster, outros com ela vestida de enfermeira, etc. O filme, na verdade, é uma homenagem aos exploitation setentistas e oitentistas trazendo uma história ridícula, porém divertida, protagonizada por uma atriz que parece estar fazendo uma imitação bizarramente bizarra de Angelina Jolie durante todo o filme.

Nurse traz Abby (Paz de la Huerta, Perseguição Assassina), uma simpática enfermeira que trabalha em um dos principais hospitais de Nova York. Dentro do All Saints Memorial Hospital, Abby é uma funcionária exemplar. Porém, ninguém imagina que quando anoitece, Abby vira uma "justiceira" de mulheres casadas com homens infiéis. Quando Danni (Katrina Bowden, Tucker e Dale Contra o Mal), uma nova enfermeira, junta-se à sua equipe, Abby vê nela uma ótima parceira de crime. Porém, depois que a mesma a rejeita, Abby fará de tudo para infernizar a vida de Danni.


A primeira e principal coisa que você pode perceber ao assistir Nurse é como ele é apelativo. Tanto no quesito publicidade, onde os cartazes são sempre chamativos quando na direção e no roteiro do longa. No filme, há cenas exageradas, que tentam usar o 3D ao seu favor mas que não tem muito êxito, então pode sair algumas risadas daí ou apenas desconforto. Além de usar o sex appeal das duas atrizes principais e a tensão sexual entre suas personagens, claro.

O elenco, encabeçado pela Paz de la Huerta, que acreditem ou não, um dia já teve o rosto normal, não exige muito talento. A própria protagonista é robótica, superficial e não demonstra um pingo de emoção (deve ser por conta do excesso de botox que tem no rosto). Katrina Bowden, a co-protagonista, é carismática apesar de não ser um referencial em atuação. O resto do elenco não se destaca, exceto pela ótima Niecy Nash (Scream Queens), que aqui faz uma enfermeira hilária do hospital. 


Apesar de ter muita coisa ruim no filme, ele acaba sendo bastante divertido. As cenas de violência são caprichadas, ainda que algumas usem CGI para o sangue (!!!), e você acaba entrando no clima da história à medida que o final se aproxima. Aliás, os últimos 20 minutos são bacanas e também bem violento.

Se você está apto à apenas se divertir vendo um filme meia-boca, dar umas risadas, etc, Nurse é a escolha certa. O filme acabou de entrar no catálogo da Netflix, então enjoy. Mas não vá ver esperando espetacular.

por Neto Ribeiro

Título Original: Nurse 3D
Ano: 2014
Duração: 83 minutos
Direção: Doug Aarniokoski
Roteiro: Doug Aarniokoski, David Loughery
Elenco: Paz de la Huerta, Katrina Bowden, Corbin Bleu, Boris Kodjoe, Niecy Nash,

Nenhum comentário:

Postar um comentário