Crítica: O Massacre da Serra Elétrica 3 (1990) - Sessão do Medo

5 de janeiro de 2015

Crítica: O Massacre da Serra Elétrica 3 (1990)

Atenção: O post abaixo contém spoilers sobre o filme.

A serra é a família.

Todos sabem que após o sucesso estrondoso do primeiro Massacre, várias continuações foram lançadas, sendo todas inferiores ao original. A única que foi realmente boa foi o remake de 2003, que sem dúvidas, é um dos melhores filmes de terror da década. Porém, antes dele, três continuações foram lançadas: O Massacre 2, essa e o péssimo O Retorno. Poucos conhecem a existência desse filme, que é a segunda continuação do Massacre original de 1974.

Lançado em 1990, esse filme foi uma verdadeira bomba. Com o orçamento de aproximadamente $2.000.000 de dólares, o filme só conseguiu $5.000.000 na bilheteria. E além do fracasso no box office, o filme foi bombardeado pela crítica, tendo somente 19% no Rotten Tomattoes. Porém, o filme, não é de todo péssimo. A franquia tem piores (muito piores). E para você gostar (um pouco mais) desse filme, é só assistir a versão Uncut (sem cortes), que é muito fácil de ser encontrada na internet.


Primeiramente, o filme começa com um letreiro explicando novos detalhes da história como: Sally (a sobrevivente do primeiro filme) morreu; W. E. Sawyer foi preso, acusado dos crimes, e morto numa câmara de gás; e a Polícia achava que Leatherface não existia, que era somente uma segunda personalidade de W. E.

Após essas informações, há uma cena inicial de Leatherface matando uma garota em sua "sala de trabalho". Tudo enquanto a irmã dela assiste pela janela, assustada. Sem querer, essa garota quebra um galho, fazendo com que Leatherface saia para perseguí-la. Logo, conhecemos o casal principal da história: Michelle (Kate Hodge) e Ryan (William Butler), que estão viajando pelo Texas. Dá para perceber que dois estão em uma crise no relacionamento, pois eles discutem a cada cinco minutos.

Enquanto viajam, à noite, eles acabam passando por um local cercado por policiais e repórteres, onde foram achados vários corpos em decomposição. Uma clara referência ao primeiro filme, que se inicia com uma cena semelhante. Mas isso não é a coisa que mais chama atenção nessa cena. Podemos ver no meio dos policiais, a radialista Stretch (Caroline Williams), sobrevivente d'O Massacre da Serra Elétrica 2 gravando uma cena com seu cenografista. Anos depois, a atriz confirmou sua participação no filme. Assista a cena abaixo:


Continuando... No dia seguinte, Michelle e Ryan param num posto de gasolina para pedirem informação. É lá que conhecem o cowboy Tex (Viggo Mortensen), que defende Michelle após descobrirem que o dono do posto, Alfredo, estava espionando Michelle no banheiro. Quando Alfredo se estressa e começa a atirar, Michelle e Ryan resolvem sair num atalho sugerido por Tex.

Quando a noite cai, um carro desconhecido passa por eles e joga um coiote no para-brisas. Tentando desviar, os dois acabam furando o pneu do carro. Enquanto Ryan tenta trocar o pneu, Leatherface aparece, atacando-os. Os dois entram no carro e atropelam Leatherface, fugindo. No meio do caminho, eles encontram Benny (Ken Foree, O Despertar dos Mortos), um ex-soldado, que resolve ajudá-los.

Os três acabam encontrando Tinker, um homem que tem um gancho no lugar de uma das suas mãos, que se dispõe a ajudá-los. Porém, quando Benny vê uma motosserra em seu carro, ele percebe as verdadeiras intenções de Tinker. É quando Leatherface reaparece. Benny então começa a lutar com ele, mas é salvo quando Sara, a garota do início que viu sua irmã ser morta por Leatherface, o atrai para longe e depois se encontra novamente com Benny. Ela conta para ele que Leatherface tem uma família que vigia as estradas constantemente, impossibilitando-a de escapar.


Benny ouve Michelle e Ryan chamá-lo e vai atrás dele, deixando Sara sozinha. Logo não demora muito para a mesma ser morta por Leatherface. Ele começa a perseguir Michelle e Ryan, que acaba ficando preso numa armadilha de urso e sendo levado por Leatherface. Após Michelle fugir, ela acha uma casa isolada. Num dos quartos, ela encontra uma garotinha (Jennifer Banko, que fez a Tina pequena em Sexta-Feira 13: Parte 7 - A Matança Continua) brincando com ossos de animais mortos e uma boneca macabra. Assustada, Michelle é pega por Tex, o cowboy do início, que a leva até a cozinha da casa e prega suas mãos à uma cadeira.

Na cozinha, somos apresentados ao resto da família. O Vovô está de volta! Morto pela explosão no segundo filme, ele só aparece nesse filme como um cadáver. Também há uma mulher, que parece ser a matriarca da família. Logo, Tinker reaparece, trazendo consigo, o corpo de Ryan, desmaiado. Junto com Tex, Tinker o pendura em ganchos de carne, de cabeça para baixo.

Na hora do jantar, a garotinha retorna apenas para matar Ryan, numa cena forte que foi cortada da versão do cinema. Leatherface também se prepara para matar Michelle. Só que o barulho da motosserra atrai Benny, que estava perto da casa. Com isso, Benny começa a atirar, matando a matriarca da família, arrancando dois dedos e a orelha de Tinker e derrubando Leatherface, dando tempo para Michelle conseguir se soltar da cadeira, esfaquear Tex e se juntar à Benny do lado de fora.


Leatherface pega a caminhonete de Tinker e começa a perseguir-los. Benny manda Michelle fugir para o pântano e acaba sendo atropelado. Leatherface continua atrás de Michelle, enquanto Benny se levanta e é atacado por Tex. Porém, Benny joga gasolina em Tex e o incendeia com um isqueiro, e depois vai atrás de Leatherface e Michelle. Felizmente, Benny chega a tempo de impedir que Leatherface mate Michelle e os dois iniciam uma briga até, aparentemente, Benny ter sido morto. Leatherface volta sua atenção para Michelle, que pega uma grande pedra e esmaga a cabeça dele.

Ao amanhecer, Michelle está na estrada, desolada, quando uma caminhonete, dirigida por Benny aparece e a pega. Alfredo reaparece e ataca Benny com uma marreta. Michelle atira em Alfredo, que morre. E então os dois vão embora.

O filme, ao todo, não é ruim. Dá para perceber, em basicamente todas as cenas violentas, que a intenção era mostrar o gore. Porém, os produtores da New Line caíram matando nos cortes, procurando atingir um público maior. Se pelo menos, as cenas cortadas, estivessem presentes na versão do cinema, talvez o filme não tivesse sido o fracasso desastroso que foi.


Darei três exemplos aqui: A cena da morte de Sara seria mais forte. Haveria sangue espirrando na cara de todo mundo e mais segundos de duração. A morte de Ryan, que na versão do cinema, foi offscreen e feita por Tex, na versão sem cortes é onscreen e ainda é feita pela menina, como já falei acima. E no roteiro inicial do filme, havia uma cena em que um homem seria serrado ao meio, sendo mostrado detalhadamente. Porém, os produtores cortaram! Acho é pouco o prejuízo que tiveram.

Além desses cortes, havia um final alternativo, presente na versão Uncut. Nele, Benny morre no pântano, Michelle foge de Leatherface e enquanto está na estrada, um carro de polícia passa, com a garotinha dentro, que acena para Michelle pela janela do carro.

Apesar de tudo, o filme tem diversos defeitos. O primeiro de todos é o Leatherface. A não ser pela máscara e a motosserra, o vilão desse filme nem parece ter parentesco com o original. O lance dos fones ouvidos foi a gota d'água. Leatherface nesse filme é mais lerdo e, digamos assim, piedoso. Mas não piedoso estilo A Lenda Continua, com a prima dele e tal. Piedoso estilo retardado. Uma merda.

A única coisa que eu realmente gostei nesse filme foram o casal principal, Michelle e Ryan, interpretados por Kate Hodge e William Butler. A atuação de Butler não é nada, mas a de Hodge é incrível, sem dúvidas, a melhor coisa no filme. Os personagens foram uma escolha certa, para não repetir a história de "cinco jovens se deparam com a família canibal".

Por fim, Leatherface - O Massacre da Serra Elétrica 3 pode ter seus defeitos, mas em terra de cego, quem tem um olho é rei, então... Vocês devem ter entendido.
por Neto Ribeiro

Título Original: Leatherface - Texas Chainsaw Massacre 3
Ano: 1990
Duração: 81 minutos
Direção: Jeff Burr
Roteiro: David J. Schow
Elenco: Kate Hodge, Ken Foree, Viggo Mortensen, William Butler, Tom Hudson, Joe Unger

Um comentário:

  1. Odeio “críticas” onde o autor ao invés de falar sobre o filme, passa quase todo o texto apenas contando a história do longa.

    ResponderExcluir