Crítica: O Massacre da Serra Elétrica (2003) - Sessão do Medo

6 de janeiro de 2015

Crítica: O Massacre da Serra Elétrica (2003)


Se é medo que você deseja, é medo que você terá!

Falar de remakes é uma coisa complicada. Em maioria das vezes dão em merda, mas sempre há algumas exceções, como exemplo O Chamado, remake do asiático Ringu ou o recente Maníaco, do filme oitentista de mesmo título. E o remake aqui em questão tinha tudo para estragar tudo, dado ao rumo que a franquia estava tomando. Mas realmente surpreendeu, reinventando a série.

O Massacre da Serra Elétrica foi o primeiro remake da produtora Platinum Dunes, criada por Michael Bay. Depois dele, veio outros como Horror em AmityvilleA Morte Pede Carona, Sexta-Feira 13 e A Hora do Pesadelo. Mas, além da Platinum Dunes, o filme influenciou vários outros remakes, como Halloween - O Início e Piranha 3D.

A produção do filme começou em meados de 2001. Aos poucos as notícias foram saindo, o diretor Marcus Snipel (que veio a dirigir o remake de Sexta-Feira 13 seis anos depois) foi contratado, o roteiro filmado e o filme lançado em 2003. Porém, aqui no Brasil, o filme só veio chegar dois anos depois, em 2005.


Tentando ficar próximo ao original, o filme se passa no mesmo ano que ele, 1973. Cinco amigos, Erin (Jessica Biel, O Homem das Sombras), Kemper (Eric Balfour, Skyline), Andy (Mike Vogel, Under the Dome), Morgan (Jonathan Tucker) e Pepper (Erica Leerhsen, Floresta do Mal) viajam pelo Texas para ir a um show da banda Lynyrd Skynyrd. Quando, no meio do caminho, eles quase atropelam uma garota, que andava no meio da estrada. Ajudando-a, eles dão carona para ela.

Quando ela percebe que eles estão indo pro lugar de onde ela estava voltando, a garota começa a chorar, dizendo que eles todos vão morrer. Com isso, ela tira uma arma que estava escondida entre suas pernas e se suicida. Chocados, os cinco amigos param num açougue de carne mais próximo, gerenciado por uma mulher mal-humorada, para poder ligar para o xerife. O mesmo fala para os cinco o encontrarem em um antigo moinho abandonado.

Chegando lá, eles só encontram um pequeno menino maltrapilho, chamado Jedidiah, que fala que o xerife deve estar em casa enchendo a cara. Com isso, Erin e Kemper resolvem ir até a casa dele, que fica depois do bosque perto do moinho. Lá mora um velho aleijado, alegando que aquela não é casa do xerife, mas permite que Erin faça uma ligação para ele, deixando Kemper esperando do lado de fora. Quando ela termina, o velho pede ajuda para ela. Kemper, preocupado, entra na casa para procurar a namorada, porém, é atacado por Leatherface com uma marreta e é levado para o porão da casa, onde Leatherface arranca seu rosto e faz uma máscara nova. Erin vai embora, pensando que Kemper foi também. Quando chega no moinho, seus amigos avisam que o xerife já tinha vindo e havia levado o corpo da menina, porém, Kemper não estava lá.


Andy se voluntaria para voltar à casa do velho Monty junto com ela. Enquanto Erin distrai o velho, Andy entra na casa sorrateiramente, mas sem querer, derruba umas coisas no chão, chamando a atenção de Erin, que entra na casa, pensando que algo grave aconteceu. Quando se junta à Andy, o velho chama Leatherface, que sai do porão com a serra elétrica em mãos, atacando-os. Erin consegue fugir para o bosque, mas Andy tem sua perna cortada por Leatherface, que o leva para o porão e o ergue em um gancho de açougueiro.

Erin volta para a van no moinho, onde estão Pepper e Morgan, porém o carro não liga. E para piorar, o xerife volta e acha um cigarro de maconha no carro, fazendo eles saírem do carro e se deitarem no chão. Após torturar psicologicamente Morgan, o xerife o prende e o leva para a casa do velho Monty, junto com a chave da van. Erin tenta ligar o carro, porém, os pneus saem do lugar, estacando. De repente, Leatherface aparece, atacando-as. Pepper tenta fugir, mas ele a alcança e a mata. É nessa hora que Erin percebe que Leatherface está usando a máscara do rosto de seu namorado.

Cena mais bizarra do filme.

Erin sai pela janela do carro e foge, entrando no bosque, até achar um trailer, onde pede ajuda. Lá, encontra duas senhoras: Henrietta, uma mulher estranha e acanhada, e sua mãe obesa. Erin pede para usar o telefone, mas Henrietta fala que não possui um, mas a oferece um copo de chá. Erin toma um pouco e nota uma foto num porta-retrato, onde estão a garota que pediu carona para eles e sua família. Aos poucos, Erin vai ficando tonta. Um telefone toca e Henrietta atende, segurando um bebê nos braços. Erin percebe que o bebê está na foto que viu da carona, quando de repente desmaia.

Ela acorda na sala da casa de Monty, junto com o xerife, a dona do açougue e Leatherface, que a leva para o porão da casa. Lá ela encontra Andy, erguido nos ganhos, que a pede para matá-lo, pois não aguentava mais. Com resistência, Erin o esfaqueia na barriga, matando-o. Também no porão, ela encontra Morgan, algemado e desmaiado em uma banheira. Quando Jedidiah aparece, por uma passagem de saída, chamando-os, Leatherface retorna ao porão e começa a perseguir-los. Os dois conseguem fugir até uma cabana que encontram no bosque e se escondem, porém Leatherface acha Erin. Tentando salvá-la, Morgan chama sua atenção e acaba sendo morto por Leatherface. Erin foge e é seguida por Leatherface, que acaba tropeçando em uma cerca, derrubando sua serra e sem querer, arranhando sua perna.

Erin acha um abatedouro, onde se esconde dentro de armários. Quando Leatherface abre o armário em frente ao dela, ela sai e o ataca com uma machadinha, arrancando seu braço. Com isso, ela foge e pede carona a um caminhão na estrada, que acaba levando-a de volta ao posto de gasolina, onde está o xerife, a dona e Henrietta com o bebê. Erin pega o bebê, rouba o carro do xerife e o atropela, matando-o. Quando está fugindo com o bebê, Leatherface aparece na estrada numa última tentativa de pará-la, mas não consegue, e Erin vai embora.


Afirmo sem dúvidas que esse filme é ótimo. Para mim, o melhor depois do original. Ao mesmo tempo que cria uma nova geração de terror, homenageia ao filme de Tobe Hopper com cenas memoráveis, perseguições agoniantes e uma das melhores final girls dos filmes de terror: Jessica Biel. Não tem como se apaixonar por ela nesse filme. Se não fosse por Marilyn Burns, essa seria, sem dúvidas, a melhor protagonista da franquia.

Outra que não teve mais espaço no filme foi Erica Leerhsen, que faz Pepper no filme. Erica é uma ótima atriz de filmes de terror. Os gritos dela chegam a ser exagerados de tão altos! Dizem que no teste para o papel, Erica gritou tão alto que pessoas no prédio pensaram que ela estava sendo atacada e chamaram os seguranças.

E o Leatherface? Bom, muitos adoram a máscara original, mas eu gosto muito dessa. É realmente assustadora. Se olharem bem, a costura da boca parece um sorriso, o que faz o negócio ser muito mais horripilante. E, apesar de terem mudado a história do Leatherface e seu nome, esse "novo" faz muito jus ao original. Sem dúvidas, um dos maiores pontos altos do filme.

No filme, pode se notar várias referências ao original:

• Um dos exemplos é o garotinho Jedidiah, que claramente ganhou esse nome por causa do Leatherface original, que se chamava assim.
• Há o velho aleijado Monty, que lembra o irmão de Sally no filme original, Franklin.
• O açougue que eles param para ligar para o xerife.
• A morte de Kemper, com a marretada na cabeça, que homenageia a morte de Kirk, no Massacre original.
• A cena em que Andy é pendurado num gancho de carne, que remete à cena de Pam, no original.
• O caminhão no final do filme e o atropelamento do xerife por Erin. Apesar de não ser igual ao original, a cena lembra muito o mesmo.


Gosto muito desse filme, mas tenho que admitir que ele tem várias falhas. Pra mim, a pior delas é o engodo no final do filme, em que o roteirista começa a abusar dos clichês, sendo o maior deles, a ingenuidade dos personagens. Outro foi a falta de "animação" na nova de família de Leatherface. Além de adicionar alguns personagens inúteis, excluíram totalmente o tema "canibalismo" do filme, que só seria uma melhora nele.

O Massacre da Serra Elétrica é um ótimo filme, que honra o original, apesar de algumas falhas. É um terror bom, que garante alguns sustos e alguns "Eca!" nas pessoas mais fracas. Sempre que tenho a oportunidade, revejo ele. Acho que já deu para perceber o quanto eu gosto dele.
por Neto Ribeiro

Título Original: The Texas Chainsaw Massacre
Ano: 2003
Duração: 98 minutos
Direção: Marcus Snipel
Roteiro: Scott Kosar
Elenco: Jessica Biel, Jonathan Tucker, Erica Leerhsen, Mike Vogel, Eric Balfour, R. Lee Ermey

Um comentário:

  1. Melhor remake ja feito, e um dos melhores filmes de terror,e o meu filme preferido, n so da franquia, como de todos do genero!

    ResponderExcluir