Crítica: Perseguidos Pela Morte (2014) - Sessão do Medo

24 de janeiro de 2015

Crítica: Perseguidos Pela Morte (2014)


Se você parar de gravar, você morre.

Depois de uma semana à base de found-footages, achei um pouco gratificante achar um que eu pudesse chamar de bom. Resolvi dar uma olhada nos últimos lançamentos do subgênero e assisti alguns filmes como Abdução, Exists e O Mistério de Grace, e sinceramente, já estava com abuso de ver uma filmagem de câmera. Deixei Mockingbird por último, já sem expectativas.

A história do filme é dividida em subcapítulos que aparece a cada 10/20 minutos de cenas. O primeiro, The Family, The Woman and The Clown (A Família, A Mulher e O Palhaço) nos introduz os personagens do filme: Uma família suburbana formada por um casal e suas duas filhas pequenas - Uma jovem que mora sozinha numa casa de hóspedes - E um homem chegando aos trinta que ainda mora com a mãe. Os quatro personagens recebem uma câmera misteriosa, com um bilhete mandando-os continuarem gravando. Quando o jogo começa a ficar intenso e assustador, os personagens não conseguem achar um jeito de sair e terão que enfrentar quem quer que esteja por trás disso.


O filme é escrito e dirigido por Bryan Bertino, diretor do excelente Os Estranhos. Nesse filme, ele utiliza uma história remetente à seu filme anterior, mas num formato mais abrangente e em mockumentary. Desde o segmento da família até o da mulher, com cenas que remetem à ele. Aqui, Bertino faz um trabalho bem orquestrado, mas podemos perceber uma certa enfeza no roteiro. Apesar de manter um suspense bastante "agradável", o roteiro acaba ficando uma coisa muito longa e cansativa, com cenas que dá vontade de você apenas avançar alguns minutos, por que já está ficando com sono (hueheue).

Porém, no geral, a história é interessante e o final instigante. Eu esperava algo do tipo para o desfecho, porém, ele me fez lembrar muito do segmento Honeymoon do filme V/H/S. O filme acaba sem explicar muita coisa e o deixa para o público interpretar. SPOILERS! Acho que aqueles vídeos dos garotos sendo mortos foram tudo montados por eles para a "brincadeira". Sinceramente, aquela cena inicial pareceu até muito falsa, por isso não me impressionou muito.

O elenco consegue se sair muito bem (menos o cara que faz o palhaço!). Consegui reconhecer a atriz Audrey Marie Anderson, que fez a Lily na 4ª temporada de The Walking Dead. Simpatizo com ela desde a época da Lily e não fazia a mínima ideia de que ela estava nesse filme. E apesar de que, não só com ela mas com outros atores, o formato mockumentary não los dar o devido espaço para mostrar seu talento, ela foi a que mais se sobressaiu, assim como Alexandra Lydon, que faz a universitária Beth.


A fotografia até que é boa para o subgênero do filme, principalmente a cena final, no meio das bolas vermelhas. A ideia de Bertino funciona em deixar o espectador num estado meio "claustrofóbico" no meio daquela imensidão inacabável de vermelho. Uma das boas jogadas de Bertino, que sabe como causar tensão desde Os Estranhos. Aquela jogada de câmera, a utilização correta dos sons e o roteiro tenso faz de Mockingbird um filme bastante aproveitável, se não fosse seu final anticlímax.

Uma cena que explica isso por exemplo é a que a personagem Beth está implorando para que o jogo acabe, enquanto uma mão com uma faca entra sorrateiramente pela janela para matá-la; ou até mesmo nas cenas do casal, em que do lado de fora, um áudio perturbador toca, tirando o silêncio da cena e a deixando um pouco desconfortável.

Mockingbird é criativo, porém não soube aproveitar o espaço que o suspense poderia ter sido colocado. A incessante troca de câmeras e as cenas do palhaço quebravam todo o clima que o filme tentava construir. A falta de sustos deixou o filme debilitado, porém ainda é assistível. Não chega aos pés de Os Estranhos, portanto não vá assistir-lo achando que é comparável.

Ps: Ainda estou esperando Os Estranhos: Parte 2... Bertino, por favor, agilize aí! ¬¬

Nota: 4

por Neto Ribeiro

3 comentários:

  1. Anônimo7/08/2015

    Também quero muito Os estranhos 2

    ResponderExcluir
  2. Anônimo10/11/2015

    Nao recomendo esse filme.
    Uma merda

    ResponderExcluir
  3. Olá...
    quando li a sinopse do filme achei que seria algo diferente de tudo que já assisti.
    A história do filme atrai o telespectador mas o final é decepcionante.
    Final ruim, péssimo e depois você ainda fica ... não entendi essa história. Meio sem noção.

    ResponderExcluir