Crítica: Starry Eyes (2014) - Sessão do Medo

5 de fevereiro de 2015

Crítica: Starry Eyes (2014)


AVISO: O post abaixo contém spoilers.

2014 foi um péssimo ano para o terror, pelo menos pra mim. Poucos filmes se salvaram! As minhas maiores surpresas vieram de filmes poucos conhecidos, que nem foram lançados no Brasil.

Resolvi falar sobre uma dessas surpresas, "Starry Eyes". Não tem muita novidade aqui, digamos que o tema é batido, o famoso "satanismo", mas achei diferente até porque não assisti muitos filmes com esse tema.

A história do filme é basicamente sobre uma moça, a Sarah, que sonha em ser reconhecida pelo seu trabalho como atriz. Com toda essa sua vontade de ser famosa, ela enfrenta vários testes para tentar ter a sua grande chance, até que ela finalmente consegue um papel em uma produção misteriosa que parecia ser tudo de bom, mas que por trás, esconde uma péssima intenção.

A protagonista Sarah é alguém meio introvertida, não é de falar muito, até pelo fato de não estar satisfeita com a vida que leva... trabalhando em uma lanchonete e rodeada de colegas com que ela não se identifica.


Preciso dizer que a atriz Alexandra Essoe (totalmente desconhecida por mim até então), interpretou divinamente bem a personagem. A mudança na personagem durante o loga é visível. Palmas para essa mulher! Sarah começa como um menina simples, caladinha, ingênua e de repente se mostra ser alguém capaz de tudo pela fama!

Ahh só pra deixar claro, o desenvolvimento do filme é bem lento. De início é focado apenas na luta de Sarah em busca de seu sonho, em seu dia a dia de garçonete, em sua relação com alguns colegas... Creio que essa lentidão até o terror de fato começar seja necessária para você criar empatia pelos personagens. É um saco quando um filme te joga tudo na cara, várias informações e acaba não desenvolvendo nenhuma.

A partir do momento em que Sarah consegue passar no teste, é que as coisas começam a acontecer. A personagem começa a sofrer drásticas mudanças físicas e até mentais. Seu cabelo cai, surgem feridas em sua pele... (calma, não é mais um Contracted ou Thanatomorphose da vida), a ideia é totalmente diferente!


SPOILERS ABAIXO.

Como é dito no próprio filme, tudo tem seu preço. Após o seu declínio, Sarah já não é mais a mesma. Nem por fora, nem por dentro! Prova disso é que já perto do desfecho, Sarah sai matando todos os colegas. Devo dizer que a matança é muito bem feita. Temos mortes a facadas e até esmagamento de crânio, um verdadeiro banho de sangue.

Por fim, acontece um ritual depois de toda a matança e Sarah renasce, digamos assim. Esse desfecho deixa a entender que aquele é início de todo o sucesso que Sarah almejava.

Agora falando dos pontos negativos, acho que o ritual que ocorre é bem sem graça e corrido,eu esperava algo mais macabro e grandioso. Outra coisa de que não gostei muito, foi o desfecho. Acho que Sarah não deveria se safar. Fiquei esperando uma lição de moral do tipo "quem mandou se meter com o demo, e ainda ferrar com a vida de pessoas inocentes?", mas não é isso que vemos em Starry Eyes. Aqui a ambição ganha nova forma e no final das contas sai vencendo!

FIM DOS SPOILERS.


O maravilhoso Starry Eyes é dirigido e roteirizado pela dupla Dennis Widmyer e Kevin Kolsch, que aliás, eram desconhecidos por mim. Mas tô sabendo que eles são alguns dos envolvidos no projeto Holidays (2016), filme de terror feito por vários segmentos que contarão histórias macabras de vários feriados, entre eles Natal, Páscoa, Halloween, Dia dos Namorados e Dia das Mães.

Pra mim, Starry Eyes é um filme interessante, com um super clima de suspense e que deve ser assistido!

por Luiza Souza

Título Original: Starry Eyes
Ano: 2014
Duração: 98 minutos
Direção: Kevin Kolsch, Dennis Widmyer
Roteiro: Kevin Kolsch, Dennis Widmyer
Elenco: Alex Essoe, Amanda Fuller, Noah Segan

11 comentários:

  1. Anônimo2/21/2015

    Crítica legal, mas só uma retificação, o cabelo dela não cai, ela arranca mesmo, é uma condição que acaba atraindo a "produção" do tal filme O grito de prata...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Mas na parte em que ela está "apodrecendo",o cabelo cai naturalmente,não? Então confundi!

      Obrigada pela observação! :)

      Excluir
  2. Essa moral que vc citou não ocorreu no filme porque, digamos, ela não ocorre na realidade em Hollywood...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo4/19/2015

    Ela passa por um tipo de iniciação oculta macabra da indústria, como e dito no filme, o velho eu tem q morrer e nasce uma nova pessoa, a garotinha boa e ingênua, passa por tudo, degradação do corpo para q venha nascer uma nova pessoa e sacrifício de pessoas para dizer q ela e capaz de tudo pela fama! E no final ela consegue o q quer! Fez uma iniciação, vendeu a alma (em diálogos se percebe isso) a velha garota morre, E nasce A Nova!

    ResponderExcluir
  4. Anônimo4/19/2015

    E segundo as teorias da conspiração, isso realmente acontecem com artistas hj em dia!

    ResponderExcluir
  5. Luiza olha eu aqui de novo kkkkkkk Dessa vez dei sorte duplamente, primeiro: adorei demais o filme e concordo que a protagonista está formidável!!! Segundo: li a crítica depois de ter assistido ao filme 2 vezes, sua opinião é bem semelhante a minha, discordamos apenas em relação ao final, Sarah sofre o diabo(sem trocadilhos) e vai definhando de dentro pra fora, enlouquecendo e surta, matando geral e final feliz hoje em dia nem na revistinha da Mônica, né? Só preciso ressaltar que tive sorte pq vc outra vez contando o final do filme mas dessa vez não me importei kkkkk Abraço luiza.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo2/18/2016

    Boa crítica, exceto por contar basicamente o filme todo, inclusive desfecho. Ou seja, ficou mais para spoiller do que crítica. No mais, reforço que adoro o site.

    ResponderExcluir