Crítica: Olhos Famintos 2 (2003) - Sessão do Medo

11 de setembro de 2015

Crítica: Olhos Famintos 2 (2003)


Após falar sobre o primeiro filme, estive procurando tempo para falar desse segundo, mas não tinha jeito! Ficava só adiando, mas finalmente consegui fazê-la. Olhos Famintos 2 é aquele filme que todo mundo já viu. Acho que falei isso sobre o primeiro filme, mas ele é mais. Quem nunca assistiu esse filme, se mate, vá lá. Huehue brincando, mas sério. Ele é meio que fundamental. Achar um filme hoje em dia que te garanta uma boa diversão com alguns sustos não é fácil - e isso é algo que Olhos Famintos 2 consegue fazer. Deixe eu falar da história dele antes para depois debater sobre ele:

Inicialmente, essa sequência não tem nenhuma ligação com o primeiro filme (só numa cena). Ela começa com um garoto num milharal, ajeitando alguns espantalhos à mando de seu pai (Ray Wise). O que o garoto não percebe é que um dos espantalhos é ninguém mais ninguém menos do que a Criatura, que logo o ataca. Sem dúvidas, essa cena de abertura é uma das melhores que eu vi em um filme de terror. É bem montada, dá sustos e ainda é ousada o bastante para ser à luz do dia - o que não é muito normal em filmes de terror. Ela mostra para que o filme veio matando logo o garoto de cara.

Após essa abertura, conhecemos os personagens do filme. Um time adolescente de basquete voltando para casa após um jogo. Com eles há seu treinador, um professor e a motorista do ônibus - além de algumas líderes de torcidas. Do nada, um dos pneus estoura, deixando-os isolados no meio da estrada monótona. Eles descobrem que a razão disto ter acontecido foi que alguém jogou no pneu um objeto afiado, parecido com uma estrela ninja, só que feita de ossos e um dente (?).

Resolvendo continuar andando com o ônibus, mais uma vez, outro pneu é furado. Dessa vez, a turma toda percebe que há algo estranho. Quando do nada os professores são atacados, deixando somente os adolescentes no ônibus, eles percebem o que está acontecendo. A Criatura então começa a atacá-los, assustando-os do lado de fora do ônibus enquanto tenta "cheirar" o medo da pessoa que mais lhe agrada.


A partir daí as cenas são mais bizarras do que a outra - mas um bizarro legal. O filme consegue ainda ser mais assustador do que o primeiro. O roteiro pode não ser as mil maravilhas mas consegue construir situações tensas que possibilitam que o espectador leve uns bons sustos, graças à maquiagem assustadora da Criatura.

Como falei no início, o filme gosta de nos pegar desprevenidos. Só pelo começo, percebemos isso ao matar o garoto. Junto o "elemento surpresa" com mais de 10 adolescentes burros e inúteis e pronto. Você não sabe quem é o próximo a morrer. No entanto, enquanto o filme acerta nesse quesito, ele também erra. O excesso de personagens faz a história se perder. Se você analisar os filmes de Salva, irá perceber que ele gosta de focar em poucos personagens. Acho que ele tentou trazer algo novo nessa sequência para não fica na mesma coisa que o primeiro. Infelizmente, acho essa uma falha que atrapalhou o desenvolvimento do filme.


Outra coisa que não gostei foi colocar aquele elemento "medium" na personagem Minxie (Nicki Aycox) e não explicar nada sobre isso. Esse elemento da sequência meio que quebrou outro que havia apreciado bastante no primeiro filme: a falta de informações sobre a criatura. Todo aquele mistério deixava o clima do filme rico, aumentando a qualidade da história.

No elenco só há dois nomes familiares: Ray Wise e Nicki Aycox (que na época não era tão reconhecida assim). O resto serviriam mais como figurantes. As atuações não são boas, mas ajudam na diversão, pois as mortes são criativas e nos pega um pouco de surpresa e no fundo não ligamos muito pra eles, pois são mal desenvolvidos. No entanto, gostei muito da sequência final. Incessante na ação, o desfecho do filme nos traz boas cenas como por exemplo a fuga dos adolescentes do ônibus no campo livre, ao a cena em que a Criatura toda mutilada sai pulando no milharal, tentando achar seus pedaços.

Acumulando acertos e erros, Olhos Famintos 2 é uma ótima sequência que entrega bons sustos, uma diversão garantida. É questão de gosto mesmo dizer se é melhor ou pior do que o primeiro (particularmente prefiro o primeiro), mas independentemente, ele ainda é bom. Espero que Olhos Famintos 3 saia do papel, por que não aguento mais essa novela.

Curiosidades:

- O diretor Victor Salva criou a regra "Em cada 23 anos, durante 23 dias, ele sai para comer..." para o primeiro filme, pois assim não teria uma sequência a não ser que se passasse no futuro. O produtor Francis Ford Coppolla então deu a ideia da história se passar no mesmo período.


- Durante as gravações, Salva se referia ao ônibus como "A Lancheira da Criatura".

- A maquiagem da criatura foi escurecida para que ela parecesse mais assustadora que no original.

- Apesar de Gina Philips ter recusado a proposta de voltar na sequência, Justin Long aceitou.

- No total foram usados 4 ônibus escolares para as gravações.

- A ideia original da sequência era que Trish e Jezelle, do primeiro filme, estivessem caçando a criatura, enquanto a história do ônibus era secundária. Salva então decidiu deixar a história só do ônibus pois a achou bastante interessante enquanto escrevia os rascunhos do roteiro.

- Salva quase cortou a cena em que a Criatura "flerta" com os adolescentes no ônibus, pois a achou muito cômica.

por Neto Ribeiro

Título Original: Jeepers Creepers 2
Ano: 2003
Duração: 104 minutos
Direção: Victor Salva
Roteiro: Victor Salva
Elenco: Ray Wise, Jonathan Breck, Nicki Aycox, Marieh Delfino, Eric Nenninger, Diane Delano, Josh Hammond, Lena Cardwell



Description: Rating: 3.5 out of 5

6 comentários:

  1. A conotacão homo da criatura q só pega os homens heheheh , Salva sabe disso pq é um pedófilo q foi pego e a carreira dele foi p ralo !

    ResponderExcluir
  2. Anônimo6/17/2016

    O único erro dessa postagem foi dizer que o segundo não teve nada do primeiro. Porque se formos analisarmos bem, olhos famintos 2 é a continuação do primeiro, pois n se passaram 23 anos e só alguns dias e ele precisava se alimentar o suficiente para dormir por mais 23 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tecnicamente em termos de história não tem nada a ver com o primeiro. Mas sabe-se que a história se passa no mesmo período de tempo que o primeiro.

      Excluir
  3. Anônimo3/12/2017

    Obaaaaa...
    O terceiro começou a ser gravado

    ResponderExcluir