Crítica: Renascida do Inferno (2015) - Sessão do Medo

10 de março de 2015

Crítica: Renascida do Inferno (2015)

(O TEXTO A SEGUIR CONTÉM SPOILERS)
Assistir terror nos dias de hoje se tornou um desafio. Algo que era pra ser prazeroso, se tornou uma tortura! Depois de assistir essa versão "terror" de Lucy, me pergunto qual é a ideia de terror que as pessoas tem hoje em dia. Portas batendo? Objetos voando? Pois é isso que encontramos em "Renascida do Inferno".

O longa foca em uma equipe de cientistas que estão desenvolvendo uma espécie de soro denominado "Lazarus",que promete trazer as pessoas de volta à vida. Mas como sempre,as coisas não saem tão bem como o imaginado e a desgraça corre solta! A trama também apresenta aquele debate entre religião e ciência, pois a própria protagonista (Olivia Wilde) crê que após a morte muitas coisas acontecem, coisas que vão além da compreensão humana. Já o seu noivo, o cientista Frank (Mark Duplass) cético e teimoso, acha que tudo se resume a "Você morre e pronto". O resto da equipe é formada por Clay (Evan Peters), Eva (Sarah Bolger) e Niko (Donald Glover).


Basicamente, todo o projeto desses cientistas é apreendido por não ser legal, digamos assim. Com isso, a equipe não desiste, e volta ao laboratório para tentar recuperar o pouco que restou,e nessa tentativa as coisas acabam não saindo como o esperado, pois acontece um acidente que resulta na morte de Zoe (Olivia Wilde). PRONTO, o desespero rola solto, ninguém acredita no que está vendo. Zoe morta? Como assim? Até que Frank (Mark Duplass), noivo de Zoe, após várias tentativas de ressuscitá-la, acaba recorrendo ao milagroso Lazarus. Ele injeta o soro, e prontinho, Zoe volta, mas não é a mesma de antes.

A partir desse momento o filme aposta no suspense em torno do retorno de Zoe, pois ela dá sinais de que algo está muito errado, aposta também nos sustos previsíveis até para uma criança de 4 anos. Só que esse "suspense" é muito chato, e não passa de encheção de linguiça para tapar os buracos de um roteiro fraco que não consegue se sustentar durante 1h e 20 (tempo médio do filme).


Após a tentativa fracassada de nos entreter com as explicações e descobertas, Zoe começa sua matança. Em situações idiotas (posso dizer isso), nada inovadoras, a galerinha vai morrendo. O pior de tudo são as mortes quase todas em off. Ou seja, a tentativa de salvar o filme investindo em boas mortes foi por água abaixo. Outro fator que me incomodou muito foram os diálogos. Não convencem! Tentam a todo o momento explicar cada acontecimento,sem sucesso. 

Se é que podemos ver algo positivo em meio a tanta baboseira, eu diria que o elenco se sai bem, principalmente a Olivia Wilde, deu conta do recado apesar de toda a limitação de seu personagem. 

No geral a ideia é até legal. Imagina, ressuscitar alguém, e esse alguém voltar endemoniado, possuído...? O fato é que essa ideia não foi bem desenvolvida, focaram apenas nos efeitos exagerados, apostando nos sustos (que não surtiram efeito algum em mim) e por aí vai... É uma mistura de tudo que já vimos antes de maneira bem executada, só que de uma forma amadora e forçada.

O desfecho deixa uma brechinha para uma possível sequência, o que talvez seja bom para dar uma segunda chance de desenvolverem uma ideia que é bacana, de melhor maneira. Mas pode ser também um péssimo sinal, pois se usarem a mesma fórmula do primeiro... teremos mais uma franquia sem graça e sem sal como "Atividade Paranormal" (fãs,me perdoem).


Se quer ver um filme para passar o tempo, "Renascida do Inferno" é uma boa pedida, só não esperem algo bom!

Por: Luiza Souza. 

"Ficha Técnica"
Renascida do Inferno (The Lazarus Effect, 2015)
Direção: David Gelb
Roteiro: Luke Dawson e Jeremy Slater
Elenco: Mark Duplass, Olivia Wilde, Sarah Bolger, Evan Peters, Donald Glover, Emily Kelavos, Amy Aquino, Cato
Duração: 83 minutos
Gênero: Suspense, Terror
Produção: Jason Blum, Luke Dawson, Matt Kaplan, Jimmy Miller, Cody Zwieg
Distribuição: Paris Filmes
País de Origem: EUA
Estreia no Brasil: 05 de Março de 2015


2 comentários:

  1. Poxa, queria muito que esse filme fosse bom. A história parecia tão interessante e o elenco cheio de atores bons!

    ResponderExcluir
  2. eu gostei obvio que tem suas falhas, mas o filme em si é bem bacana, os sustos são previsivei?são,entretanto o começo do filme é tenso e cheguei a pensar se o filme ia ser todo em found footage(ainda bem que não foi), ora se em supernatural demonios matam a distancia e podem mover objetos com a mente logo não é nenhum absurdo a protagonista conseguir fazer isso, e a reviravolta final foi boa, porém teria sido otimo sem os segundos finais.

    ResponderExcluir