Rápido e Rasteiro # 01: A Pata do Macaco – Hooked Up – Stake Land - Sessão do Medo

28 de abril de 2015

Rápido e Rasteiro # 01: A Pata do Macaco – Hooked Up – Stake Land


Voltando ao Blog depois de um tempo sem postar. É muito filme pra ver e muito pouco tempo pra falar ou pensar sobre eles, por isso agora, além das críticas, vou fazer essa postagem rápida com 3 filmes com rápidos comentários e informações, nem todo filme merece uma resenha completa, ainda mais esses últimos que andam saindo. Então postagens desse tipo vão fazer parte do Blog a partir de hoje. Espero que curtam a ideia!

A Pata do Macaco (2013)



 Jake Tilton (C.J. Thomason) adquire uma pata de macaco mística que concede ao seu dono três desejos e tem seu mundo virado de cabeça para baixo, depois que seus dois primeiros desejos resultam na ressurreição de seu colega de trabalho malévolo, Tony Cobb (Stephen Lang). Cobb tenta pressionar Jake a usar o último desejo de reunir Cobb com seu filho, sua intimidação leva
Filme irregular envolvendo uma trama sobrenatural de magia negra, a ideia do filme já foi usando de forma melhor em outras produções e se torna mais do mesmo. O filme tem momentos de humor completamente deslocados do restante do filme e nunca se decide se é ou não um filme sério.



Hooked Up (2013)



Dois nova-iorquinos viajam para Barcelona para que um deles supere o fim de seu namoro. Eles querem beber, fazer festas e conhecer garotas. Porém, as coisas não saem como esperado: eles ficam presos em uma casa e têm que lutar com uma garota possuída e o mal dentro de si.
Filme em Found Footage produzido pelo diretor Jaume Collet-Serra, e o primeiro a ser completamente rodado no Iphone. A premissa lembra muito o segmento Amanteur Night do primeiro filme da franquia V/H/S. A trama se desenvolve do mesmo jeito: Dois amigos decidem viajar pra Barcelona pra noitadas de festa, depois que um deles terminou o namoro. Gravando tudo, eles vão até uma balada e conhecem duas garotas, que os leva até um conjunto de apartamentos em um prédio estranho, onde são atacados por uma delas, no mesmo esquema do conto do V/H/S.

Começa bem e o estilo de filmagem em primeira pessoa é muito bem usado e eficiente, o ritmo é bom, mas o filme se perde no terceiro ato, muda de rumo e foge completamente da proposta do filme.



Stake Land (2010)


Um filme indie de horror que foi um dos grandes vencedores do Toronto Film Festival do ano passado, juntamente com ‘O Discurso do Rei’, ao vencer o Midnight Madness Award.
Este relata-nos a história de Martin (Connor Paolo), um adolescente que vê o seu mundo cair num buraco de desgraças económicas e políticas, até que uma epidemia arrasa o que resta da uma nação abandonada. Martin junta-se então a Mister (Nick Damici), um caçador de vampiros, que o ajuda a chegar a New Eden.
‘Stake Land’ é realizado por Jim Mickle, que também escreveu o argumento juntamente com o ator Nick Damici.
Imagine uma mistura de Zumbilândia (Sem o humor) com The Walking Dead, e com vampiros no lugar de zumbis. Imaginou? Pois essa é a premissa de Stake Land, um filme pós apocalíptico com ritmo acelerado e com a mesma trama sobre uma epidemia global que obrigou os sobreviventes a serem guerreiros.

Filme simples e eficiente com bom ritmo e momentos gore de encher os olhos...O diretor Jim Mickle já havia dirigido outro filme sobre epidemia, o interessante Infecção em Nova York. Vale a pena conferir os filmes do diretor, também dirigiu Somos o Que Somos, 3 anos após Stake Land.

O filme foi lançado em DVD no Brasil pela Playarte com o titulo Stake Land - Anoitecer Violento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário