Rápido e Rasteiro # 02: The Voices – Stage Fright – Seres Rastejantes - Sessão do Medo

28 de abril de 2015

Rápido e Rasteiro # 02: The Voices – Stage Fright – Seres Rastejantes


Continuando a ideia do Marcelo de fazer essas mini críticas, resolvi comentar sobre esses filmes que vi recentemente mas tava com preguiça de fazer uma crítica inteira sobre eles (merecendo ou não). Espero que gostem.

The Voices (2015)

A trama do filme acompanha Jerry (Ryan Reynolds), um jovem perturbado mental que quando não toma seus remédios começa a alucinar e falar com seu gato e cachorro... E eles respondem. Após matar acidentalmente sua colega de trabalho, Fiona (Gemma Arterton), Jerry se descontrola e vira um serial killer.
O filme é uma mistura de terror com comédia e drama. É interessante de assistir, pois mostra um lado bem estranho do assassino. Tem algumas ótimas cenas, como por exemplo a da Anna Kendrick. Achei essa bem montada e me deixou tenso. Aquele choque de realidade que tivemos ao ver o verdadeiro mundo sem ser através dos olhos de Jerry foi uma boa jogada.

Ryan Reynolds tá impressionantemente bem e faz tempo que eu não vejo ele numa boa atuação. Acho que a última vez que vi foi em Horror em Amityville, e isso faz 10 anos (!). O filme arranca também algumas risadas. Aquele gato é hilário! Mais psicopata do que o dono! Enfim, muito não irão gostar dele. Eu gostei pois achei ele bem criativo e divertido de assistir.


Stage Fright (2014)

Uma jovem filha de uma famosa atriz (que foi morta na estreia de seu primeiro grande espetáculo) decide honrar a memória da mãe fazendo o mesmo papel que ela fez na peça, numa nova versão organizada por um acampamento musical. Porém, alguém não quer que a peça volte e começa a matar os integrantes.
Vou logo dizendo. O filme é ruim. Mas é ruim mesmo. Não tem como levar a sério um filme como esse! As mortes são legalzinhas mas é tudo muito ridículo! Sem contar com o assassino heavy metal! Roteiro fraco e atores muito ruins. Muito ruins mesmo! Passem longe.


Seres Rastejantes (2006)

Como me sinto quando como demais.
Grant Grant (Michael Rooker) é um dos poucos bem-sucedidos homens de negócios da pequena cidade de Wheelsy. Ele é casado e completamente apaixonado por Starla (Elizabeth Banks), apesar dela não sentir a mesma afeição por ele. Apesar disto, Grant leva uma vida feliz. Entretanto sua vida muda por completo após conhecer Brenda Gutierrez (Brenda James), a irmã caçula de uma antiga namorada. Ao dar uma volta sob o luar eles encontram algo gosmento no meio do mato, que parece ter vindo de destroços de um meteoro. Subitamente esta massa ganha vida e penetra no corpo de Grant, tornando-o seu hospedeiro. Aos poucos o ser alienígena toma conta das ações de Grant, tornando-o uma criatura sedenta de sangue e com a necessidade de infectar outros humanos.
Uma boa homenagem aos filmes trash dos anos 80. Gostei muito dele! É bem nojento e com personagens idiotas, bem como os filmes antigos. Tem várias referências legais à antigos filmes de terror. No final do filme, lembra muito A Noite dos Morte dos Vivos, com as pessoas "possuídas/infectadas/controladas" - sei como definir essa porra não. Não comprei a ideia de ver o Michael Rooker como um pai de família. Só vejo ele como um bad ass (The Walking Dead) ou um vilão (Henry). Os outros do elenco tão bem. Fãs do horror irão gostar desse filme. Tem uma ótima vibe oitentista que muitos irão gostar e se surpreender.

Um comentário:

  1. Também gostei de Seres Rastejantes e concordo que lembra muito os filmes de terror dos anos 80.

    ResponderExcluir