Crítica: Ninho de Musaranho (2014) - Sessão do Medo

26 de maio de 2015

Crítica: Ninho de Musaranho (2014)

(O texto abaixo contém spoilers.)
Eu nunca dei bola pro cinema espanhol, sempre me limitei muito ao americano. Mas depois de ver "El Cuerpo" e "O Orfanato", comecei a olhar com outros olhos, mas ainda sim vi muito poucos. Percebi que eles são mega dramáticos (assim como suas novelas), e criativos. Sempre terá uma revelação em suas histórias, e geralmente o elenco é de bom para maravilhoso. Então hoje falarei de um longa que tem tudo isso e mais um pouco, o "Musarañas".

"Em Madri, nos anos 1950 vive Montse (Macarena Gómez), uma mulher que sofre de Agorafobia cuida da irmã mais nova (Nadia de Santiago), já que a mãe morreu durante o parto e o pai abandonou as filhas. A doença de Montse faz com que ela se prenda dentro de um apartamento, piorando a situação. Um dia, a relação entre as irmãs começa a mudar com a chegada de um vizinho Carlos (Hugo Silva)."

Os personagens principais têm suas características bem definidas; Montse: Uma mulher obcecada por cuidar de sua irmã, e carrega com si um trauma que a faz não conseguir sair de casa de jeito nenhum. A irmã: Uma moça de 18 anos delicada, amável, e que discorda totalmente do comportamento obsessivo de sua irmã. Carlos: Um galanteador, simples assim haha.


A loucura de Montse começa a ficar séria a partir do momento em que ela conhece o Carlos, pois ela se sente atraída e começa a imaginar que com ele, quem sabe, poderia finalmente ter uma vida de verdade, com um grande amor ao seu lado. O problema é que essa "paixão","amor", "admiração", não é correspondida.

O lance de Montse manter o seu vizinho preso, pois se apaixona por ele, é algo que lembra muito o filme "Misery" dos anos 90. Outra coisa muito interessante, é o fato de Montse ter visões com o seu pai falecido. Algo que a perturba mais ainda, dando mais força para todos os seus problemas de cabeça.

Destaco a atuação de Macarena Gomez. Não sei nem descrever força que essa atriz tem, e transferiu para a sua personagem. Algo realmente brilhante e emocionante de se ver. Ela conseguiu transmitir perfeitamente bem a loucura, tristeza, e porque não dizer, a doçura de Montse, que apesar de louca (e com motivos de sobra), é uma pessoa carismática. Em nenhum momento consegui torcer contra a sua pessoa. Devo frisar, que todo o elenco está ótimo, desde os personagens secundários até os protagonistas. Todos estão maravilhosos em cena!

Lembram que mencionei sobre as revelações quase sempre presentes nos suspenses espanhóis? Pois então, "Musarañas" não ficou de fora. Eis que surge uma revelação bombástica durante o longa, Montse na verdade é mãe da suposta irmã, que é fruto de abusos sofridos pelo pai. Confesso que achei meio desnecessário. De qualquer maneira faz a gente entender mais ainda o quanto Montse sofria. Não a considero uma vilã, sinceramente. Quem pode dizer que não enlouqueceria caso passasse por tudo que ela passou? Como ela mesma diz: A vida não foi boa comigo.

Considero a história genial, e muito bem desenvolvida, até por se passar em um único ambiente, e mesmo assim a trama não perder a força. Começa leve, logo depois o clima de suspense toma conta, daí mescla com drama, e só  perto do final é que rola a matança, bastante sangue, correria, gritaria, e tensão.

Se você procura algo diferente, que não foca no gore, conta com um bom elenco e te faz sentir um misto de sentimentos, assista correndo. Entrou pra minha lista de favoritos! ATÉ AGORA, O MELHOR LONGA QUE ASSISTI EM 2015! Espero que vocês também gostem!

Por Luiza Souza.