Crítica: Sharknado (2013) - Sessão do Medo

19 de maio de 2015

Crítica: Sharknado (2013)


A produtora The Asylum já tem nome em Hollywood e entre os cinéfilos. Se você vê um filme com o selo da produtora, já pode escrever: É ruim. Ela muitas vezes se aproveita de blockbusters pra produzir versões genéricas do mesmo. E copiando na cara mesmo! Muitos chamam esses filmes de mockbusters (mock significa algo como caçoar). Por exemplo, o remake de Piranha (2010) tem o Mega Piranha. Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros tem Abraham Lincoln vs. Zumbis. E não é só filmes de terror. Pompéia ganhou Vulcão: O Apocalipse e a lista continua...

Foi então que a Asylum fez uma parceria com o canal Syfy (outro sinal de bomba) para produzir Sharknado, um trash que mostraria um tornado que chegaria a Los Angeles levando consigo vários tubarões. Surpreendentemente, o filme foi um sucesso em sua primeira exibição, se tornando o mais visto do canal. Pra se ter uma ideia, o filme foi também bem recebido pela crítica e tem 82% de aprovação no site Rotten Tomatoes!

Demorei tanto pra ver esse filme por que não tinha fé nele. E ver uns comentários bons dele só me fez pensar "Mas que porra é essa? Como é que alguém pode achar esse filme bom?". Aí eu assisti e paguei com a língua! Sharknado é tosco, é ruim, é péssimo, é ridículo, é bizarro... já falei que ele é ruim? Mas o caso dele é que, de tão ruim chega a ser bom!


O filme serve mais para a diversão em si do que pra assustar ou causar qualquer emoção que um filme de horror possa passar. As situações são tão absurdas que tudo que resta pra nós é rir e entrar na brincadeira! E isso é um dos pontos fortes do filme. Ele tem consciência do que é, de suas limitações, e simplesmente abraça isso. É melhor ter um filme ruim que tenta ser um filme ruim, do que ter um filme ruim que tenta ser bom.

Os efeitos são toscos ao extremo. Tem horas que até são mal colocados e mal editados. Por exemplo, a edição utilizou filtros na parte superior da tela para mostrar o céu nublado nas cenas de tempestade. Só que em muitas cenas, quando a câmera voltava aos atores, o mesmo filtro continuava, só que dessa vez, na testa deles. Ou o contorno mal feito dos atores no fundo verde. Ou até em uma hora estar chovendo, outra não, outra o céu tá nublado, na outra está fazendo sol. As atuações também são péssimas. Acho que tirando a Cassie Scerbo, o resto é completamente dispensável! Até a Tara Reid, numa de suas piores atuações. E no segundo filme, é pior ainda!

Sharknado é um filme bom pelas razões erradas. Não é um filme deve ver sobre pretensões, esperando um ótimo filme de tubarões como Bait. É completamente o contrário. Você deve vê-lo sem expectativas, pois assim garanto que você se divertirá. Tem umas cenas bem toscas que lembram bastante aqueles filmes trash setentistas. Tem direito até a um cara ser engolido vivo com uma motosserra por um tubarão e sair rasgando o bicho de dentro pra fora. Sendo que, coincidentemente, foi o mesmo tubarão que havia engolido outra personagem, que é salva pelo cara ao sair de dentro do animal! Pra mim, é um dos melhores piores filmes que já vi! 

Nota: 7

por Neto Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário