Crítica: Bound To Vengeance (2015) - Sessão do Medo

2 de julho de 2015

Crítica: Bound To Vengeance (2015)

(Crítica sem spoilers)
Vingança sempre foi, e sempre será um argumento válido para filmes. Bons exemplos disso são: O Dia do Terror, Doce Vingança, Sepultado Vivo, Eu Vi O Diabo, e por aí vai... Então hoje venho falar de "Bound To Vengeance" ou "Reversal", dirigido por José Manuel Cravioto.

"Uma jovem, sequestrada e acorrentada no porão de um estuprador, foge e vira o jogo contra seu captor", percebe-se pela sinopse que a sua temática é batida, até por abordar um realidade cruel e frequente, a violência contra mulher, mas ainda sim tem uma pegada diferente, até porque não mostra cenas de estupro, pois tudo fica subentendido com algumas imagens, e pelos diálogos. Ele não é um Doce Vingança da vida, não mesmo.

O longa vai direto ao ponto, até por ter pouco tempo de duração, e é recheado de flashbacks que servem de peças para um quebra-cabeça, digo isso pois existe uma surpresinha na trama. Tá, não é tão surpreendente, mas a tentativa é válida! O legal é que mesmo sendo direto ao ponto, o filme consegue ter os personagens bem desenvolvidos, o espectador consegue criar empatia por eles, ficar vidrado esperando o próximo passo da protagonista poderosa e atrevida, e isso é muito interessante. Não é qualquer filme que consegue fazer isso, sabe. Ele é curto, mas é bem completo e convincente! Confesso que tem umas vaciladas, mas nada imperdoável, nada que influencie no resultado. 


O principal quesito que faz "Bound To Vengeance" ser bacana, é a atuação perfeita da Tina Ivlev. Sim, posso dizer de boca cheia, ATUAÇÃO PERFEITA! Atriz que aliás era totalmente desconhecida por mim. Ficarei de olho em seus passos. Na verdade, o elenco todo tá bacana, desde os personagens secundários, até o captor, interpretado pelo Richard Tyson. Fotografia e trilha sonora, brilhantes também!

Se deixar de assistir por pensar "Ahh, é só mais um sobre vingança", vai perder um filmaço. "Bound To Vengeance" vai muito além disso. Pra mim é sem sombra de dúvidas um dos melhores de 2015.

Muitas vezes o medo, o trauma, se transforma em coragem. Vingança? Não sei não. Acho que a palavra certa seria JUSTIÇA!

Por Luiza Souza

Um comentário:

  1. Tina Ivlev também fez Death Clique. Ela é quem rouba o filme todo.

    ResponderExcluir