Crítica: Boneco do Mal (2016) - Sessão do Medo

7 de fevereiro de 2016

Crítica: Boneco do Mal (2016)


Ele vê. Ele ouve. Ele não faz porra nenhuma. 

Para quem não conhece ou nunca ouviu falar, Boneco do Mal, título ruim para The Boy, é um dos "grandes" lançamentos do terror de Janeiro (mas só lança dia dezoito de fevereiro aqui no Brasil). Apesar de não ser mainstream, obras como The Boy sempre recebem boa divulgação em nosso território e parece que o único motivo para isso é eles serem ruins. Não quero generalizar, mas dos poucos filmes de terror que são lançados nos cinemas brasileiros, 90% são aqueles que faz você se arrepender de ter gastado dinheiro; os outros 10% são os raros bons.

Pegando a onda Annabelle, The Boy é aquele típico longa-metragem feito aos adolescentes para gastarem horrores e gritatrem dentro da sala de exibição. O que mais irrita é, por exemplo, entrar numa página de filmes de terror e ver comentários ou frases de divulgação como "Filme mais assustador do ano" ou algo do tipo.


O leitor deve estar se perguntando: o filme é tão ruim assim? É no mínimo fraco. Apesar de ter curtido a "reviravolta" no final, que me serviu pelo menos para dar uma acordada, ele desconstrói toda a narrativa, cheia de furos e finaliza sem sentido.

Lauren Cohan (que faz a Maggie em The Walking Dead e fazia Bela em Supernatural) interpreta a protagonista, Greta, uma americana que se muda para o Reino Unido para fugir de seu passado conturbado com um ex-marido. O filme já começa com ela em um carro sendo levada até uma grande mansão isolada, onde foi contratada para ser babá integral de um garoto chamado Brahm.

Chegando lá, a moça conhece primeiramente Malcom (Rupert Evans), um cara que entrega o estoque de comida semanalmente na casa. Logo depois ela conhece o senhor e senhora Heelshire (Jim Norton e Diana Hardcastle), que a levam para conhecer o garoto. Ao chegar lá, porém, Greta se depara com um boneco de porcelana realista. De primeiro ela acha que é uma piada, mas depois fica bem claro que o casal está mesmo criando um boneco de porcelana.


Convencida a ficar pelo dinheiro fácil, Greta descobre através de Malcom momentos depois que o verdadeiro Brahm morreu em um incêndio aos oito anos. Um dia, os Heelshire encontraram o boneco de porcelana e começaram a criá-lo como forma de superar a morte do filho.  No entanto, as coisas só começam a ficar mais estranhas a partir do momento em que os Heelshire  fazem uma viagem, deixando a mulher sozinha com uma lista de regras para cuidar de Grahm.

A história pode parecer meio boba e não deixa muito claro que fim será dado, qual será o caminho levado, até por que nunca fica muito claro. Entretanto, achei que o roteiro ficou perdido exatamente nisso. Quando o final do filme é revelado, tudo parece ter sido forçado demais, como se a escolha do desfecho do enredo tivesse sido feito de última hora.


Grande parte das cenas de impacto mostradas no trailer são cenas de pesadelos da protagonista. Quando a primeira acontece, parece ser normal, mas aí vem a segunda, ela acorda, vem a terceira, e acorda, chega num ponto em que não há mais credibilidade. O roteiro ainda joga um subplot envolvendo o ex-marido abusivo de Greta, Cole, que passa o filme inteiro tentando achá-la, e quando acha, a história lembra bastante A Entidade 2, com o homem sendo ignorante, fazendo o que não deve fazer e colocando todos em risco.

A direção fica a cargo de William Brent Bell, que já dirigiu as bombas Filha do Mal e Stay Alive - Jogo Mortal, mas que se saiu bem na obra analisada aqui, já que consegue criar um ambiente de suspense, apesar do roteiro fraco. Há algumas cenas envolvendo o boneco que foram bem dirigidas por ele, como uma em que Greta chega no quarto e encontra Grahm sentado na cama ao lado da lista de regras. A fotografia também é boa e me lembrou a de A Colina Escarlate - claro que não tão afiada quanto.


Boneco do Mal é mais um daqueles filmes ruins lançados no começo do ano, na época de férias. Geralmente são apenas caça-dinheiros e grande parte não possui qualidade (salvo Cloverfield, por exemplo). O longa-metragem é fraco e pode agradar alguns, mas é difícil separar aspectos bons.

por Neto Ribeiro

Título Original: The Boy
Ano: 2016
Duração: 98 minutos
Direção: William Brent Bell
Roteiro: Stacey Menear
Elenco: Lauren Cohan, Rupert Evans, Jim Norton, Diana Hardcastle

5 comentários:

  1. Anônimo2/14/2016

    Hater... 😴😴😴

    ResponderExcluir
  2. Anônimo2/18/2016

    Assisti, não joguem o seu dinheiro fora

    ResponderExcluir
  3. Anônimo2/19/2016

    Não achei tao rum assim

    ResponderExcluir
  4. Anônimo7/07/2016

    Assiste e achei divertido... Claro qe podia ser mais estruturado mas ainda assim acho qe merecia 3 caveiras pelo menos..

    ResponderExcluir
  5. Anônimo9/02/2016

    Horrível, se o boneco ao menos fosse realmente possúido por algum espírito, seria mais interessante, do que aquela reviravolta lixo que fizeram.

    ResponderExcluir