Crítica: A Casa de Cera (2005) - Sessão do Medo

29 de março de 2016

Crítica: A Casa de Cera (2005)

J
á foi pedido várias vezes na página e apesar da demora, finalmente consegui um tempinho pra escrever sobre um dos meus filmes favoritos (sim, desculpe quem não goste) dos anos 2000. Pode surpreender alguns, pois muitos não sabem que A Casa de Cera é um remake. Na verdade, esse filme de 2005 apenas pegou a ideia de um museu de cera do filme Museu de Cera (1953) com Vincent Price, e transformou no slasher que é tão conhecido hoje. O mais interessante é que esse filme é um daqueles que parece que todo mundo já viu pelo menos uma vez.

A origem de A Casa de Cera divide opiniões até hoje. Claro que oficialmente, o filme de Vincent Price é o original, mas quem já viu o não-tão-conhecido Armadilha Para Turistas (Tourist Trap, 1979), entende as semelhanças que os filmes tem. Particularmente, considero Tourist Trap o original, mas vou comentar sobre os dois filmes aqui.


House of Wax mostra um escultor (Vincent Price) de figuras em cera que possui seu próprio museu mas é bancado por seu sócio, que põe fogo no lugar para poder lucrar com o seguro. O escultor acaba sendo dado como morto após uma explosão. No entanto, dias depois, o sócio é morto - mas parece que se suicidou - por alguém com o rosto deformado. Enquanto isso, um outro museu é aberto na cidade e uma jovem reconhece em uma das esculturas o rosto de sua amiga recém-assassinada.

Armadilha Para Turistas já tem uma história mais semelhante ao filme em questão e merece ser conferido. Ele acompanha um grupo de amigos viajando que após um deles desaparecer ao ir em um posto de gasolina, acabam encontrando um tipo de resort escondido gerenciado por um homem. O resort servia também de museu para esculturas de gesso que o cara fazia. Aos poucos, os amigos vão sendo mortos um por um, por um assassino com máscara de gesso.

Na história, 6 amigos estão viajando para assistir a um jogo de futebol em outro estado. Desde o começo, somos familiarizados com o grupo, como por exemplo: há os irmãos Carly (a ótima e sumida Elisha Cuthbert, Um Show de Vizinha) e Nick (Chad Michael Murray, Evocando Espíritos 2); o casal Paige (Paris Hilton) e Blake (Robert Ri'chard); o namorado de Carly, Wade (Jared Padalecki, o Sam de Supernatural); e o "empata-foda" Dalton (Jon Abrahams, Todo Mundo em Pânico).

Quando anoitece, eles resolvem acampar para descansar, mas são interrompidos por um carro com o farol alto que se recusa a sair do local. Nick então quebra um dos faróis do carro, fazendo com que o motorista desconhecido saia. No outro dia, quando está na hora de partirem, eles descobrem que o próprio carro está quebrado, com uma peça danificada.


No meio do nada, eles acabam conhecendo um residente local estranho, que se dispõe a dar carona à cidadezinha de Ambrose, que fica próxima do lugar. Chegando lá, Carly e Wade percebem que a cidade está completamente quieta - como se fosse uma cidade fantasma, pois a única pessoa que encontram é Bo (Brian Van Holt), o gerente de um posto de gasolina/oficina local.

Eles tem então que esperar umas horas pois o mesmo estava em um velório na igreja. Vagando pela cidade, eles encontram o Museu de Cera de Minnie, uma grande mansão feita completamente de cera, cheia de esculturas. Carly percebe que grande parte das esculturas e outras obras de artes encontradas na casa foram feitas por um artista chamado Vincent.

Quando Bo volta, ele revela que terão que ir até a casa dele, pois a peça que eles precisam está lá. Enquanto Wade entra, Carly fica no carro esperando. Não demora muito para ela perceber que há algo de errado, quando Bo retorna violento (isso já tendo nos mostrado que Wade foi sequestrado por alguém dentro da casa).


Carly acaba virando refém de Bo, enquanto o resto dos amigos começam a ser assassinados um por um por Vincent, o irmão de Bo que tem o rosto deformado e usa uma máscara feita de cera. Ele pega suas vítimas e as transformam em esculturas de cera para o museu.

Dá pra ver desde o início que o filme pega a onda dos slashers teens, além de muitos clichês do subgênero. Os personagens são meio burros? Talvez, mas não podemos julgar muito já que de forma geral, o filme acaba se saindo bem. Isso por que, acho difícil eles reproduzirem uma versão atraente da versão original do filme nos dias de hoje - e como os slashers estavam muito em alta na época da produção, era claramente uma história bem comercial.

Para um fã de horror, A Casa de Cera é um colírio para os olhos, devo admitir. Tem mortes bem violentas e de certa forma originais, um suspense competente, ótimas cenas de perseguições e um assassino muito bem criativo, como o Vincent. Eu realmente não entendo como ele consegue ser tão odiado por alguns. Como um remake, claro que ele não funciona, pois são poucos os resquícios da história original, mas como um slasher em si, funciona e muito!


Curiosidades:

- Nas cenas da igreja e da sala de cinema, grande parte dos bonecos de cera eram apenas figurantes usando máscaras.

- Elisha Cuthbert sempre ficava presa na cera derretida do final do filme. A "cera" era na verdade manteiga de amendoim.

- Na cena em que Bo cola os lábios de Carly (Elisha Cuthbert), a atriz insistiu que usassem cola de verdade.

- O diretor Jaume Collet-Serra dirigiu anos depois A Orfã. Recentemente ele dirigiu também Regressão.

- Há uma cena deletada que seria usada como a primeira cena do filme, mas acabou sendo tirada (ela se encontra nos extras do DVD e do Blu-Ray). A cena mostraria uma personagem chamada Jennifer que encontra problemas com o seu carro no meio da estrada e é morta por um dos irmãos assassinos.

- Para promover o filme, a Warner Bros autorizou Paris Hilton a vender camisas com a frase "No dia 6 de Maio, assista Paris morrer", sendo que dia 6 de Maio foi a data de estreia do filme nos EUA. Interessante comentar que há relatos que muita gente aplaudiu ao ver a cena de morte da socialite nos cinemas.

- O assassino é chamado Vincent em homenagem a Vincent Price, que estrelou o filme "original", Museu de Cera.

por Neto Ribeiro

Título Original: House of Wax
Ano: 2005
Duração: 113 minutos
Direção: Jaume Collet-Serra
Roteiro: Charles Belden, Chad Hayes, Carey Hayes
Elenco: Elisha Cuthbert, Chad Michael Murray, Brian Van Holt, Jared Padalecki, Paris Hilton, Jon Abrahams, Robert Ri'chard

Description: Rating: 5 out of 5

Um comentário:

  1. Esse filme marcou a minha infância, estava revendo esses dias. Ótimo filme!

    ResponderExcluir