Crítica: Krampus - O Terror do Natal (2015) - Sessão do Medo

3 de março de 2016

Crítica: Krampus - O Terror do Natal (2015)




Atenção: O post contém alguns spoilers sobre cenas do filme, mas não sobre o final!

Um dos filmes mais esperados de 2015 era Krampus, subtitulado aqui como O Terror do Natal. O filme estreou nos EUA no final do ano e era para estrear por aqui também, mas assim como houve com The Green Inferno, não foi lançado e a distribuidora (Universal Pictures) não se pronunciou mais, apesar de ter divulgado o trailer e o poster nacional.

No meio desse atraso todo, muitos ansiosos e desinformados acabaram vendo duas películas que utilizaram o nome do Krampus, mas que são muito inferiores ao mesmo. As mesmas são Krampus: The Reckoning e Krampus: The Christmas Devil (fotos ao lado). Portanto se você acha que você viu o filme que achava ter visto, você não viu!!!

Uma pena, pois se nós tivéssemos assistido esse filme ainda em 2015, colocaríamos ele na lista de Melhores do Ano. Segundo filme dirigido pelo ótimo Michael Dougherty, que comandou a antologia de Halloween Contos do Dia das Bruxas, lá em 2008, Krampus é um projeto que posso chamar de "ambicioso". Sabe por quê? Aqui vai a resposta: Ele tem a difícil missão de construir um filme de terror sem violência nem sangue, na base do suspense e ainda manter o humor!

E sim, meus amigos, ele consegue. O roteiro afiado de Krampus acompanha uma família liderada por Sarah (Toni Collette, a mãe de Charlie Brewster no remake A Hora do Espanto) e Tom (Adam Scott), que recebe toda o resto da família para o Natal, junto com seus filhos Max (Emjay Anthony) e Beth (Stephanie LaVie Owen). Tem a irmã de Sarah, Linda (Allison Tolman) que traz seu marido Howard (David Koechner, Premonição 5) e seus quatro filhos, junto com a irritante tia Dorothy (Conchita Ferrell, Two and a Half Men).


Tudo tendia a ser o mesmo de sempre: as famílias discutindo e comendo. Mas após Max "desistir" do espírito de Natal, ao se chatear com a desunião da família, tudo muda. Na véspera de Natal, a luz acaba e uma tempestade de neve atinge a cidade, deixando-os presos. Parece que não há mais ninguém nas ruas e isso é perceptível quando Beth resolve ir até a casa do seu namorado, quando o mesmo não a responde no celular.

No caminho, Beth acaba sendo atacada por uma figura enorme que estava no telhado de uma das casas. Quando ela não volta pra casa, todos começam a se preocupar. Mas é aí que tudo piora: enquanto dormem, algo leva uma das crianças. A partir daí, eles tem dois dias para sobreviver enquanto criaturas bizarras e o "chefão" delas, uma entidade mitológica chamada Krampus, que tende a ser o "lado negro do Natal", uma versão diabólica do Papai Noel, vinda para punir aqueles que perdeu o espírito de Natal, os espreitam.

Antes de listar os maiores feitos do filme, vou primeiro falar sobre a única falha dele ao meu ver: o filme tem 0 violência, 0 sangue (isso se você não contar uma perna machucada). Michael Dougherty preferiu trabalhar no suspense e fazer um filme mais família, deixando de lado o gore, o que poderia ter melhorado muitas cenas que pra mim já foram ótimas, como a da chaminé ou a do sótão. Pra quem já viu o filme, imagine aí, o garoto sendo partido ao meio enquanto era puxado chaminé acima? Teria dado uma cena linda de se ver!

Só me lembrei dos Gremlins.
Sem a violência na história, Krampus se sai bem usando a sugestão ao seu favor. Exemplo: não vemos o rosto do temido vilão antes do final do filme (nem nos trailers foi mostrado, o que é uma coisa muito boa), criando um grande suspense em relação à sua forma. Você então pode estar se perguntando o que tanto o filme mostra se o vilão só aparece direito no final? Bom, na história, Krampus tem alguns ajudantes, como brinquedos bizarros deformados e os próprios "duendes".

Em relação a produção, eu realmente aprecio que o diretor tenha feito tanto com um orçamento relativamente baixo (15m). Algumas cenas são feitas com CGI (nada que incomode tanto), mas é realmente admirável que ele tenha dado tanta importância ao fazer grandes cenas com efeitos práticos. Um exemplo é a cena lindona do sótão, onde os protagonistas são atacadas por uns brinquedos estranhões, como um urso de pelúcia do demônio, um palhaço bizarro e gigante que engole gente e pra mim, o melhor: uma mistura de pássaro com uma boneca.


O grand-finale é bom e vai de contra à alguns filmes atuais. O melhor é que o diretor foi esperto o suficiente para esconder um spoiler em um lugar que menos esperamos, e quando você se tocar, vai ficar se achando um idiota, rs. O que pode decepcionar alguns é que o filme tem uma vibe meio Gremlins, sabe? Não me incomodou tanto, mas sei que alguns acharão isso meio chato ou desapontante.

Portanto, recomendo bastante Krampus. Se puder, assista o quanto antes possível. Se quiser esperar até o Natal, melhor para entrar no clima. Só não perca esse que foi um dos poucos que se salvaram da safra horrível que foi a de 2015 para os filmes de terror.
por Neto Ribeiro

Título Original: Krampus
Ano: 2015
Duração: 98 minutos
Direção: Michael Dougherty
Roteiro: Todd Casey, Michael Dougherty, Zach Shields
Elenco: Adam Scott, Toni Collette, David Koechner, Allison Tolman, Conchata Ferrell, Emjay Anthony, Stefania LaVie Owen, Krista Stadler

10 comentários:

  1. Anônimo3/10/2016

    Assisti o filme ontem por causa da sua crítica
    E gostei muito achei alguns aspectos inovador e bem divertido.
    E aliás, muita boa sua análise.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo4/24/2016

      eu tambem vi o filme mais o final que me pegou se o krampus realizou o desejo do garoto de ficar com a familia ou n.

      Excluir
  2. Parabéns pela crítica, o filme é muito criativo e cria um clima de suspense, sem apelar para mortes gratuitas, além de ter uma história atraente.

    ResponderExcluir
  3. Pelo que eu entendi o desejo do menino foi realizado, tanto é que o krampus mandar de presente um sino com o seu nome para que o garoto jamais esqueça daquilo tudo que ele passou após odiar o Natal.

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que eles ficaram presos =) e não poderão sair nunca mais ~.^

    ResponderExcluir
  5. Já estou baixando, vou vê-lo amanhã à noite. Está entre os mais compartilhados do Otorrents, no gênero horror.

    ResponderExcluir
  6. Nao entendi nada esse filme😂😣😣😣

    ResponderExcluir
  7. e onde que ta o spoiler que o diretor escondeu que ate agora eu n achei????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está no poster oficial, este aqui:
      http://media.aintitcool.com/media/uploads/2015/nordling/krampus.jpg

      Excluir
  8. Péssimo filme. Pra sentir o suspense tem que ter menos de 12 anos de idade, porque é ridículo. E o terror então, fica só no título mesmo, porque o filme não chegou nem perto. Fora que pra quem entende de filme de terror o final já se mostra previsível antes de chegar aos 30 minutos da trama. Quando vi aquele biscoitinho malvado besta já sabia que seria uma merda. E foi. Filme chato, enjoativo, o humor é infantil e tem muitas cenas descartáveis. Quem escreveu esse texto sofre de demência, só pode.

    ResponderExcluir