Crítica: Quando as Luzes se Apagam (2016) - Sessão do Medo

24 de agosto de 2016

Crítica: Quando as Luzes se Apagam (2016)

(SEM SPOILERS)
Desde que vi o curta "Lights Out" (2013), fiquei impressionada como em 3 minutos o diretor David F. Sandberg conseguiu causar um impacto que muitos longas do gênero não conseguem. Fiquei pensando naquela historinha por dias, no que haveria por trás daquela aparição que só dá as caras no escuro... Eis que um tempo depois surge a notícia de que James Wan (o queridinho da garotada) produziria um longa sobre essa história, e a direção continuaria a cargo do David. Bem, hoje conferi o filme no cinema e resolvi resenhar pra vocês.

A história  centra-se em uma entidade sobrenatural que ataca uma família, mas só aparece no escuro. Rebbeca saiu de casa pensando que deixaria seus medos de infância para trás. Enquanto crescia, nunca teve realmente certeza do que era e não era real quando as luzes se apagavam… Agora é seu irmão mais novo, Martin, que está enfrentando os mesmos eventos estranhos que antes testaram a sanidade e ameaçaram a segurança dela. Uma entidade assustadora, ressurgiu. Mas desta vez, como Rebecca se aproxima da verdade, não há como negar que a vida de todos eles está em perigo… A partir desse ponto vemos a jovem rebelde Becca voltando às suas origens para ajudar o seu irmãozinho que parece não estar nada bem, pois sua mãe anda conversando com alguém bem estranho, que parece não ser desse mundo. Sim, é uma família típica de filme de terror: mãe perturbada, filha revoltada e um menino carente. Mas calma que vale a pena conferir!


Entretanto vemos um roteiro que me surpreendeu em muitos aspectos. É bem dinâmico, coerente, recheado de cenas bacanas e ainda conta com algumas surpresas. São detalhes, mas que pra mim fizeram o filme não soar totalmente clichê. O desenvolvimento também é bem interessante. Consegue manter o espectador curioso pra saber o que vem a seguir. Isso é um quesito bem importante! Manter a atenção de quem assiste é primordial. Legal também foi ver que a entidade não enrola para aparecer. É bem ativa e agressiva na verdade. Adorei demais isso!

Em contrapartida, mesmo não estando à cargo da direção, James Wan coloca suas manias chatas ali no roteiro, algo que me incomodou demais! O nível de jump scare é alto! Creio que não tinha precisão de colocar aquele barulho todo em várias cenas, pois a criatura por si só já é de dar medo. Aliás, jump scare não é a única marca do diretor que vemos aqui. Existe um cuidado enorme com o visual, que inclusive é muito lindo. Outro detalhe é que há uma super referência à "Invocação do Mal".

Essa é a cena em especial! Não lembra aquela cena famosa das palmas? haha


O ponto alto pra mim é o elenco que se sai muito bem. Teresa Palmer consegue passar o medo e desespero que a personagem pede, nada de cara de paisagem. Outro que se destaca querendo ou não, é o Gabriel Bateman pela pouca idade. Ele cumpre muito bem o papel de menino atormentado/triste. Ah e não posso esquecer de Maria Bello que está sempre impecável em seus papéis.

A conclusão final que tenho é de que não se trata de um terror gratuito. Contém pitadas de drama, uma moral meio "The Babadook" e porque não dizer, uma mensagem reflexiva.

Tem gente que não curte o gênero por afirmar que um filme de terror é sempre bobo, sem atuações competentes, sem história, e "Quando as Luzes se Apagam" mostra que não. Dá pra ter algo bem feito e de qualidade em uma obra de terror. Coisa que está muito difícil nos dias de hoje!

Triste pra mim foi saber que "Quando as Luzes se Apagam 2" já foi confirmado. Quem assistiu ou vai assistir ao filme, entenderá o motivo da minha decepção. De fato não entendo o motivo de uma continuação. Aliás, só mesmo por interesse financeiro, né. Tendo em vista que o orçamento de "Lights Out" foi de apenas US$ 5 MILHÕES e rendeu até o momento mais de  US$ 100. Pelo resultado desse primeiro filme, eu não consigo imaginar uma sequência. Mas o dindin anda movendo esse mercado...

De qualquer maneira, vale a ida ao cinema e digo que é um dos melhores de 2016.

*Curiosidades: A mulher do David F. Sandberg faz uma participação especial no início do filme. Bicha guerreira! Ah, cês repararam na bonequinha bizarra que aparece numa estante logo no início do filme? Elas são uma espécie de marca do diretor. Já as vi em um dos curtas dele.

Ficou curioso assim como eu pra saber quem estava por trás da mais nova vilã dos filmes de terror? Lhes apresento a atriz/dublê Alicia Vela-Bailey. Que aliás, também estará em "Annabelle 2"

Em entrevista a Variety, a atriz conta como foi estranho e surreal passar a maior parte do tempo vestindo um traje preto e tendo o cabelo extremamente bagunçado para se tornar uma criatura demoníaca icônica. Vela-Bailey revelou também que o segredo esteve na forma como moveu suas mãos e ombros durante as gravações: “Com o jeito que movi as mãos e os ombros acho que criei uma criatura besta demoníaca. Acho que esta vilã poderá transcender o tempo como Freddy Krueger ou Jason." - Créditos por Medologia.

por Lu Souza

Título Original: Lights Out
Ano: 2016
Duração: 81 minutos
Direção: David Sandberg
Roteiro: Eric Heisseirer
Elenco: Teresa Palmer, Maria Bello, Gabriel Bateman, Alexander DiPersia, Alicia Vela-Bailey, Lotta Lorsen, Billy Burke



Description: Rating: 3.5 out of 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário