Crítica: Sexta-Feira 13 - Parte 3 (1982) - Sessão do Medo

19 de setembro de 2016

Crítica: Sexta-Feira 13 - Parte 3 (1982)


Estamos de volta falando sobre a franquia do Máscara de Hockey, Jason Vorhees. Quem costuma falar dos filmes Sexta-Feira 13 é o Michael mas resolvi escrever sobre essa parte que é a minha favorita da série. Parte 3 foi lançado em 1982, no auge do sucesso de Sexta-Feira 13, que iniciou dois anos antes com o primeiro filme. Ele foi um divisor de águas pro gênero terror e influenciou uma pancada de produções que hoje são consideradas clássicas.

A Parte 2 foi lançada em 1981, dirigida por Steve Miner, que veio a dirigir também essa parte e filmes como A Casa do Espanto (1986), Halloween H20 (1998) e Pânico no Lago (1999). A princípio, ela não seria uma continuação direta do original e os planos seria transformar a série em uma antologia tematizada com a superstição da sexta-feira 13. Claro que o sucesso do primeiro não deixaria isso acontecer e trouxeram pela primeira vez, o assassino Jason às telonas - apesar dele ter uma cena no primeiro filme. No filme, ele usa um pano para cobrir seu rosto deformado.

O Jason que conhecemos hoje só chegou a ser concebido nessa terceira parte, que é quando ele encontra a sua infame máscara de hockey, que pertencia a uma das vítimas do filme. Mas eu vou falar sobre isso mais à frente.


Olhando pela internet, vejo que o filme recebe ainda muita crítica do pessoal. E olha que eu não sou muito fã da franquia em si. Não foram filmes que eu cresci assistindo, portanto faço muita vista grossa para eles e gosto de poucos (a trilogia original, Freddy vs Jason e o remake). Mas o que eu realmente admiro na Parte 2 e 3 é que eles tem uma dinâmica bem fácil de se desenvolver. Claro, o restante também segue a fórmula (jovens são apresentados, mortos um a um, a final girl enfrenta o Jason e o "mata"), mas para mim, Parte 3 é o último filme da franquia que tem ainda um pingo de suspense.

Apesar de se ambientar na floresta, o primeiro rascunho da terceira parte era bem diferente disso... e bem semelhante à Halloween II - O Pesadelo Continua (1981), lançado no mesmo ano da parte anterior. Nele, Ginny (Amy Steel), sobrevivente, seria mandada para uma clínica psiquiátrica e Jason a acharia, matando todos os pacientes/médicos até chegar a ela. Lembre-se que isso seria possível já que Jason também achou Alice. Essa versão só não chegou a ser produzida por que Amy Steel estava ocupada com outros projetos e a produção veio a descobrir que o roteiro era parecido com o filme citado acima.


A versão que conhecemos continua exatamente após o fim da Parte 2. Jason foge e acha uma pequena mercearia. Ele mata o casal dono do lugar e pega algumas roupas. Enquanto isso conhecemos as novas vítimas: a final girl Chris, seu namorado Rick; o casal Debbie e Andy (que estão esperando um filho); os maconheiros Chuck e Chili; o idiota Shelley e a garota que ele gosta Vera.

O grupo está indo para a casa de campo da família de Chris, que fica nas proximidades do casa do segundo filme, então pode se preparar que Jason chega já já. Enquanto isso conhecemos os personagens. Chris morava na tal casa mas se mudou após um acontecimento traumatizante - que é revelado mais a frente no filme que ela foi atacada por um homem deformado a.k.a. Jason, meses antes do filme.

Enquanto isso, Shelley e Vera vão à cidade comprar comida e acabam arranjando confusão com um grupo de motoqueiros, que bravos, os seguem até a casa para se vingar. Eles então se escondem no celeiro esperando a hora para agir, mas adivinhem... são mortos por Jason, que estava se escondendo lá.

A noite chega e os ataques começam. O assassinato que culmina na nova identidade de Jason é o de Shelley, que estava pregando uma peça em Vera e estava usando a máscara na hora.


Após as sequências de mortes (que envolvem um cara "torado ao meio" por Jason enquanto anda de ponta-cabeça, ou outro que um dos seus olhos estouram para fora da órbita com Jason fazendo pressão na cabeça), temos o embate da final girl Chris e Jason. Devo dizer que esse é um dos finais que mais legais da franquia (o da Parte 2 continua sendo meu favorito), por que a perseguição dos dois acontece sem muitos exageros. Destaque para a cena do carro!

O filme em si foi o que deu um verdadeiro ponta-pé nos roteiros sempre repetidos da franquia. Grande parte dos clichês e fórmulas dos filmes seguintes foram concebidos aqui, portanto é compreensível que muita gente ache esse filme mais do mesmo, mas o considero um dos mais divertidos da franquia.

Separei aqui algumas curiosidades do filme. É isso, gente, até mais!
- Ocorrem 12 mortes no filme.
- O personagem Rick se chamaria Derek mas trocaram o nome por ter uma sílaba a menos, deixando mais fácil de gritar.
- A morte de Debbie é igual à de Kevin no original, trocando apenas a cama por uma rede e uma flecha por um facão. O efeito usado foi o mesmo que Tom Savini fez no original, só fizeram repaginar.
- É o único filme da franquia em que nenhum dos personagens chamam o nome de Jason.
- Um final alternativo foi filmado, em que Jason arranca a cabeça de Chris, mas não o mantiveram por acharem muito depressivo matar a única sobrevivente.  Há somente algumas fotos da cena:

por Neto Ribeiro

Título Original: Friday the 13th - Part III
Ano: 1982
Duração: 95 minutos
Direção: Steve Miner
Roteiro: Martin Kitrosser, Carol Watson
Elenco: Dana Kimmell, Paul Kratka, Richard Brooker, Tracie Savage, Jeffrey Rogers, Catherine Parks, Larry Zerner, David Katims, Rachel Howard


Nenhum comentário:

Postar um comentário