Crítica: Anjos da Noite - A Evolução (2006) - Sessão do Medo

26 de novembro de 2016

Crítica: Anjos da Noite - A Evolução (2006)


Embora tenha sido mal recebido pela crítica, Anjos da Noite (2003) conseguiu se sair bem nas bilheterias, obtendo o triplo do orçamento e conquistando alguns fãs que gostaram do embate entre vampiros e lobisomens protagonizado pela bela Kate Beckinsale (Temos Vagas, 2007), uma vampira guerreira que se encontra em meio à uma guerra entre clãs cheias de mentiras enquanto se apaixona por um humano infectado com o sangue de vampiro e lobisomem, virando um híbrido.

O fim do filme anterior traria um ganho para a sequência que viria três anos depois, intitulada A Evolução (Evolution). A cena trazia a volta de Marcus, um dos três vampiros anciões (junto com Viktor e Amelia, ambos mortos no anterior), que foi acidentalmente acordado de seu sono. Há séculos atrás, Marcus e o clã dos vampiros tentavam conter o rastro de destruição que William, seu irmão e primeiro lobisomem, deixava. Nas primeiras gerações, eles não tinham a habilidade de controlar a raiva e voltar à forma humana, ficando permanentemente em forma de lobo.

William foi preso a mando de Viktor de um modo que Marcus não saberia onde ele foi mantido. Agora acordado, Marcus inicia uma jornada atrás de Selene, a única pessoa que pode ajudá-lo a achar William. Enquanto isso, Selene e Michael fogem da própria espécie após matarem Viktor. Os caminhos deles se cruzam, resultando em mais cenas de ação, dessa vez mais bem feitas, devidos ao aumento do orçamento.


Assim como falei na crítica do primeiro filme, o ponto alto de A Evolução é a construção da história por trás dos eventos. Dá para notar que foi algo bem arquitetado desde o início, algumas peças se encaixando nos espaços deixados no filme anterior, novos detalhes e reviravoltas sendo apresentados. É bem legal ver que Danny McBride, o criador/roteirista tinha tudo planejado já. Esse aspecto é evidente também em A Rebelião (2009).

Como sequência, o filme não decepciona. Se inicia logo após o fim do anterior, traz tudo nos mínimos detalhes e agradará os que gostaram do primeiro. Mas me arrisco dizer que é uma sequência destinada exatamente para quem viu o original, pois dessa vez a história é um pouco mais bem elaborada e alguns detalhes só funcionarão se você assistiu o primeiro.

Outra coisa legal foi ver que eles seguraram novamente o CGI, usando eles apenas quando necessário (em cenas de transformação ou nos efeitos das asas de Marcus). É isso o que eu mais gosto nos Lycans desses filmes, em cenas de lutas eles usam efeitos práticos e reais ao invés de lobisomens computadorizados. Well done!


However, algumas coisas me incomodaram no filme: Michael tinha acabado de se transformar num híbrido e nesse filme já está completamente conformado para um humano que há horas foi sequestrado, descoberto um mundo onde vampiros e lobisomens existem e ainda virou uma mistura dos dois. Scott Speedman continua tão apático quanto a Kate Beckinsale (que pelo menos tem o sex appeal).

Outra coisa são os personagens aqui introduzidos: Marcus e William. Os dois foram os primeiros vampiro e lobisomem, respectivamente. William foi responsável por um massacre, levando à sua prisão. Marcus desperta e mata tudo e a todos para resgatar o irmão, que no filme não é visto em nenhuma forma além da do lobo. Creio que para que essa relação fosse mais "engolível", deveriam ter passado flashbacks deles antes da transformação ou pelo menos no início dela. 


Assim como o primeiro, A Evolução é um filme pipoca, visualmente bonito, a fotografia impecável, ótimas cenas de violência (exemplo, um personagem é inesperadamente decapitado), ótimas cenas de ação e uma história condizente, ainda que com pedaços faltando e não completados tão cedo.

CURIOSIDADES:

- A cena de sexo entre Selene e Michael seria mais longa e conteria mais cenas de nudez, principalmente envolvendo a Kate Beckinsale. Essa cena quase fez com que o filme tivesse a classificação máxima dos EUA, o temido NC-17, que não permite menores de 18 anos à sessão mesmo com a presença dos responsáveis.


- Tony Curran, o Marcus, contou que estipulou no contrato que ele mantivesse as presas de vampiro mesmo quando não estivessem gravando.

- Durante a cena da caminhonete, as asas de Marcus desaparecem e aparecem várias vezes.

- A cadeira de Kate Beckinsale no set de filmagens tinha "Meu Amor" escrito ao invés de seu nome. Isso por que ela tinha se casado com o diretor Len Wiseman após as filmagens do primeiro Anjos da Noite. Relatos dizem que tinham corações desenhados no nome, rs.

- A garota que interpretou a Selene pequena é a filha da Kate Beckinsale com o ex-marido Michael Sheen, que atuou no primeiro e terceiro filme no papel de Lucian.

- Em Anjos da Noite, Viktor diz que os anciões começaram seu ciclo do sono há 14 séculos. Apesar disso, a cena inicial de A Evolução, que se passa em 1202, traz os três anciões, Viktor, Marcus e Amelia, acordados ao mesmo tempo.

- No fim, quando Selene joga bombas em Michael mas erra e elas se prendem ao teto da caverna, explodindo em seguida, alguns dos pedaços que caem flutuam na água, indícios das pedras falsas usadas na cena.

- No filme ocorrem 62 mortes.

por Neto Ribeiro

Título Original: Underworld Evolution
Ano: 2006
Duração: 106 minutos
Direção: Len Wiseman
Roteiro: Danny McBride
Elenco: Kate Beckinsale, Scott Speedman, Tony Curran, Steven Macintosh, Shane Brolly, Derek Jacobi, Bill Nighy


Description: Rating: 3 out of 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário