Crítica: Anjos da Noite - A Rebelião (2009) - Sessão do Medo

2 de dezembro de 2016

Crítica: Anjos da Noite - A Rebelião (2009)


Depois que o primeiro filme da franquia foi lançado lá em 2003, a Sony sabia que tinha uma grande franquia em mãos. Mesmo com as críticas não favoráveis, Anjos da Noite e sua protagonista Selene caiu no gosto do público, portanto não podiam perder tempo e encomendaram logo 2 sequências: uma continuação direta e uma prequel. 

A Evolução (2006) seguia um pouco a fórmula do primeiro, trazendo cenas estilizadas de ação, muito tiro e alguns antagonistas novos e interessantes. Para não continuar na risca, A Rebelião se passa quase 1000 anos antes do primeiro e traz uma época bastante diferente, o que permitiu ao filme apresentar ideias um pouco inovadoras à franquia.


A trama de Rebelião acompanha Lucian (Michael Sheen), líder dos Lycans que apareceu no primeiro filme e também foi morto nele. No filme de 2003, vemos superficialmente que Lucian desencadeou uma rebelião na época em que os lobisomens eram escravos dos vampiros. Lucian tinha um caso com Sonja (Rhona Mitra), filha do vampiro ancião Viktor (Bill Nighy). Quando descobriu a relação e que a filha estava grávida de um híbrido de vampiro e lobisomem, Viktor manda matá-la, causando apenas mais fúria à Lucian que foge e começa a planejar um contra-ataque aos vampiros, visto no filme de 2003.

Esse é um resumão cheio de spoilers (rs) de Rebelião. Se você viu os dois primeiros, sabe o que vai acontecer no final das contas, mas não é pela falta de uma história exclusivamente nova que o filme seria ruim. Aliás, o maior mérito dessa prequela é justamente trazer esse novo arco da história e saber trabalhá-lo bem... até certo ponto.


Os dois primeiros atos do filme são focados na história do protagonista Lucian, sua origem e sua vida de lealdade à Viktor, que o salvou quando era bebê, apesar de ter o conhecimento que ele era um lobisomem. Como foi dito, Lucian tem um caso com Sonja, filha de Viktor e que em termos de atitude lembra bastante a Selene (Kate Beckinsale), protagonista dos outros filmes da franquia.

Enquanto a trama se desenrola, vemos vários acontecimentos culminarem num ápice esperado por todos: a revolta dos Lycans, que fogem do controle de Viktor e ataca os vampiros. É um clímax que todo mundo espera, um grande evento cheio de luta e batalhas, mortes violentas como outras franquia.

No entanto, a maior falha de Rebelião está justamente neste terceiro ato, que é fraco e não condiz com o resto do filme. A batalha é pouco explorada e não dura muito tempo, além do enfoque ser principalmente numa luta entre Viktor e Lucian. Tudo bem, eles são o protagonista e o antagonista do longa, mas creio que seria importante focar um pouco na luta dentro do castelo. Anjos da Noite vira um filme de ação a cada capítulo e foi bastante frustante ver um desfecho tão fraquinho para um filme com uma premissa tão interessante.


O sentimento que Rebelião deixa é que é incompleto, quando você acha que o filme vai engatar de vez, ele acaba. Pareceu mais que tiveram preguiça de escrever um terceiro ato mais completo e satisfatório. Mesmo que a diversão seja garantida, com cenas bem feitas (alguns efeitos CGI me incomodaram mas consigo relevar) e personagens diferentes e destacados, pode decepcionar àqueles que procuram uma aprofundação na mitologia da franquia.

3 anos após o lançamento foi lançado Anjos da Noite: O Despertar (2012), trazendo a Kate Beckinsale de volta no papel de Selene e se passa 12 anos após o fim de A Evolução (2006). Particularmente, não curti muito esse quarto capítulo, muitos detalhes forçados, mas o filme fez bastante sucesso. O suficiente para que Guerras de Sangue (2016), o quinto filme, fosse garantido. 

Ps: Um detalhe bacana que eu notei nesse filme (não sei se foi deixado meio implícito nos outros dois) é que Viktor é visualmente inspirado no Nosferatu, um dos primeiros vampiros do cinema. Há uma cena em particular em que ele entra numa sala atrás de seu subordinado, que está a procura de uma chave, e o seu jeito de andar é bastante parecido com o Nosferatu.
por Neto Ribeiro

Título Original: Underworld - Rise of the Lycans
Ano: 2009
Duração: 92 minutos
Direção: Patrick Tatopoulos
Roteiro: Danny McBride, Dirk Blackman, Howard McCain
Elenco: Michael Sheen, Bill Nighy, Rhona Mitra, Steven Makintosh, Kevin Grevioux, David Aston, Elizabeth Hawthorne, Craig Parker


Description: Rating: 2.5 out of 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário