Crítica: The Axe Murders of Villisca (2017) - Sessão do Medo

21 de janeiro de 2017

Crítica: The Axe Murders of Villisca (2017)


Em 1912, o ano em que o Titanic naufragou, uma pequena cidade no interior do estado norte-americano de Iowa, se encontrava em choque com o brutal assassinato de oito pessoas, seis delas sendo crianças. As vítimas foram mortas a machadadas e apesar de vários julgamentos, o caso permanece até hoje sem solução.

A nossa primeira crítica de 2017 é de The Axe Murders of Villisca, que em tradução fica algo como Os Assassinatos do Machado em Villisca. A produção dá uma nova interpretação ao caso, de uma forma parecida com O Mistério da Passagem da Morte (2013), mas claro, sem os elementos de ficção científica.


A trama, no entanto, se passa nos tempos atuais e segue três jovens, os melhores amigos Caleb (Robert Adamson) e Denny (Jarrett Spencer), e a moça Jess (Alex Frnka). A dupla está prestes a se despedir, já que Caleb irá embora da cidade e juntos, resolvem fazer um último vídeo para o seu canal paranormal no YouTube. No caminho, eles se deparam com Jess, uma garota de Chicago que mora na cidade há um tempo e o trio seguem até a cidade de Villisca, onde irão visitar a infame casa dos assassinatos.

Como é de se esperar devido ao nível de inteligência desses personagens fictícios, eles resolvem voltar à noite, para fazerem o que querem fazer (tentar contatar fantasmas e tal). E como também é de se esperar, a casa tem forças malignas e blá blá blá.

O que resulta em 78 minutos (sim, pelo menos é curto) de uma mistureba de clichês de filmes de terror, péssimas atuações (o protagonista quando tentava parecer assustado, parecia estar rindo) e um incrível desperdício de uma boa história, que no caso seria o que aconteceu em 1912. Os eventos são brevemente mostrados em flashbacks, no estilo Horror em Amityville e tem uma aparência bacana, seria legal se o filme fosse focado apenas nisso, mas não é o que acontece.


Além de que tem várias coisas toscas no roteiro, como os fantasmas "possuírem" a maioria dos personagens de uma vez só e o único personagem lúcido ter um diálogo completo com os outros SEM NOTAR OS OLHOS ESCUROS! Outra coisa bastante confusa é a história por trás dos assassinatos de 1912, não ficou clara o bastante e creio que devido à duração do filme, o roteirista Owen Egerton tentou jogar vários detalhes num curto espaço de tempo.

Não posso dizer que foi uma decepção por que eu mesmo não tinha grandes expectativas para o filme, mas que foi uma oportunidade de um ótimo horror psicológico de época jogada no lixo, foi. Espero mesmo que esse ano de 2017 traga muito filme bom e seja como 2016 foi!

por Neto Ribeiro

Título Original: The Axe Murders of Villisca
Ano: 2017
Duração: 78 minutos
Direção: Tony E. Valenzuela
Roteiro: Owen Egerton, Kevin Abrams
Elenco:  Robert Adamson, Jarrett Sleeper, Alex Frnka, Conchata Ferrell



Description: Uma oportunidade de um ótimo horror psicológico de época jogada no lixo. Rating: 0.5 out of 5

Um comentário:

  1. vou baixar mesmo assim rsrsrs só pra confirmar que é ruim msm

    ResponderExcluir