Crítica: Do Fundo do Mar (1999) - Sessão do Medo

27 de janeiro de 2017

Crítica: Do Fundo do Mar (1999)


Numa época em que o cinema de horror era controlado por filmes slashers, Do Fundo do Mar (1999) foi uma tentativa de trazer o velho tubarão de volta às telonas. O animal veio a ser oficialmente conhecido no gênero com o clássico de Steven Spielberg, Tubarão (1975), que usou todo o suspense da história ao seu favor e se consolidou como um dos principais nomes do gênero. Mas apesar de alguns rip-offs, o dentuço não protagonizou muitos filmes de terror além das sequências da franquia e acabou sendo meio apagado. A Warner então investiu nesta produção, que seria dirigida pelo competente Renny Harlin, que sempre dirige uns filmes clichês mas incrivelmente divertidos. Caso não saiba, ele é o diretor por trás de A Hora do Pesadelo 4 (1988), Risco Total (1993), Caçadores de Mentes (2004), Exorcista - O Início (2004) e o subestimado O Mistério da Passagem da Morte (2013).

Depois que o pobre tubarão virou antagonista das ofensas horríveis do Syfy e sua Shark Week, era difícil imaginar que um filme o traria em grande estilo e suspense como Águas Rasas (2016). Foi depois de ver ele que resolvi revisitar esse velho amigo para trazer algo pro blog.

Bom, o roteiro que é assinado por três mãos, mas a partir da ideia de um deles, Duncan Kennedy, é assumidamente uma repaginação dos shark-movies. Em várias entrevistas, Harlin falou que a ideia veio de uma experiência em que Kennedy viu uma vítima de tubarão em uma praia perto de sua casa. Kennedy, no entanto, queria fazer um roteiro que se distanciasse de Tubarão, já que ele era o único grande e forte exemplar do gênero. Foi daí que surgiu todo enredo de Do Fundo do Mar.


A história acompanha uma equipe de pesquisa para a cura do Alzheimer, numa instalação marítima chamada Aquatica. O grupo, liderado pela Dra. Susan (Saffron Burrows), utilizam tubarões-mako para o estudo, através de um tecido cerebral deles que pode reconstruir o cérebro humano com a doença. Quando o projeto começa a correr risco de ter o financiamento cancelado, após um acidente, o acionista Russell Franklin (Samuel L. Jackson) é mandado para acompanhar a pesquisa, que recebe um ultimato de um final de semana para que os resultados sejam entregues.

O que eles não sabem é que a Dra. Susan e o seu companheiro de pesquisa Jim (Stellan Skarsgard) violaram os códigos de ética, alterando geneticamente os tubarões para que seu cérebro ficasse maior - e por consequência, mais tecido cerebral pudesse ser extraído. O resultado é visto quando os três tubarões fogem e causam destruição na instalação, deixando o grupo preso e sem saída, no fundo do oceano.

Do Fundo do Mar é um filme frenético. Tem muita ação, assim como tem muito suspense e algumas ótimas cenas de terror. Ele não chega a causar tensão e medo, como Tubarão causou em muita gente, mas é um filme bastante comprometido com o entretenimento. O roteiro sempre busca formas novas de surpreender, sendo em táticas das cenas, o destino de personagens ou até mesmo nas cenas dos tubarões.


Uma das cenas mais famosas do filme é justamente no meio dele, onde SPOILER o Samuel L. Jackson é trucidado por um tubarão no meio de um discurso motivacional. É sem dúvidas uma cena que pegou todo mundo de surpresa, você não esperava a maior estrela do filme virar comida de animal antes que o bicho pegue de vez, certo? Essa jogada dá um up no roteiro, que deixa os personagens sem muitas opções, já que o líder aparente acabou de ser feito em pedaços! Como se não bastasse, no final tem outra jogada semelhante (e bem merecida)!

Talvez o maior problema do filme seja os efeitos especiais dos tubarões, usados em cenas que eles estão em movimento embaixo d'água. Algumas dessas cenas acabam parecendo toscas demais, principalmente por que também são usadas em algumas cenas de mortes (como uma em que um personagem é rasgado em dois e parece mais um boneco dentro d'água).


Por mais que seja esnobado pela crítica (fuck that), Do Fundo do Mar é o meu filme de tubarão favorito e graças a suas incontáveis reprises nas noites de sexta da SBT, é o de muita gente também. Eu, pra ser sincero, não sou muito fã do filme de Spielberg portanto chego a preferir esse do que ele, mas cada cá com sua opinião, beleza? O que mais me agrada nele é que é um filme honesto, com ótimas cenas e um elenco canastrão mas que consegue segurar as pontas. Pode não ser uma obra-prima, e nem tenta ser, mas é um filme que realmente ficou marcado na memória de muita gente. E puta que pariu, tem cada cena tensa!
por Neto Ribeiro

Título Original: Deep Blue Sea
Ano: 1999
Duração: 105 minutos
Direção: Renny Harlin
Roteiro: Duncan Kennedy, Donna Powers, Wayne Powers
Elenco: Thomas Jane, Saffron Burrows, Samuel L. Jackson, LL Cool J, Michael Rapaport, Jacqueline McKenzie, Stellan Skarsgard

3 comentários:

  1. Melhor q o Clássico Tubarão do Spielberg ? Hum pegou pesado hein.....

    ResponderExcluir
  2. In the Deep é um dos melhores filmes de tubarão dos últimos anos. Águas Rasas não merece o status que tem.

    ResponderExcluir
  3. Adoro Deep Blue Sea <3 Ótima resenha!

    ResponderExcluir