Crítica: Amityville 8 - A Casa Maldita (1996) - Sessão do Medo

26 de maio de 2017

Crítica: Amityville 8 - A Casa Maldita (1996)


'Amityville Dollhouse', no Brasil é conhecida como 'Amityville 8: A Casa Maldita', ou ainda como simplesmente 'A Casa Maldita', é o oitavo capítulo da série The Amityville Horror, ela foi lançado diretamente em vídeo em 1996.  A Lionsgate Home Entertainment lançou o filme em DVD em 2004.

'A Casa Maldita' é dirigida por Steve White, pai da Carrie White que foi produtor executivo do péssimo 'Amityville: A Nova Geração', do bonzinho 'Amityville: Uma Questão de Hora' e do 'Amityville: A Fuga do Mal'. Além, é claro, de se envolver com: 'Obsessão Fatal' e 'Advogado do Diabo', que são filmes bem interessantes e vale uma conferida. Estreando no cargo de roteirista está Joshua Michael Stern.

Sem mais rodeios, o filme começa com uma trilha sonora bem legal enquanto partes da casa são mostradas em close, a introdução acaba com um foco em bonecos de voodoos, daí podemos perceber que a casa mostrada na abertura não se trata da residência original, mas sim de uma maquete idêntica a casa original.

A priori, esse filme não tem nada de diferente dos outros capítulos da série (Principalmente das partes 4 e 6) em sua premissa, uma família passa a lidar com criaturas demoníacas que vieram da antiga casa de Amityville através de objetos amaldiçoados e induzem o membro mais fraco dessa família a matar todos que vivem ali, além de apavorar os outros membros com aparições, possessões e fenômenos bizarros. O que vai diferenciar mesmo é o objeto amaldiçoado da vez.

Aqui nós somos apresentados a família Martin. Grupo composto pelo: patriarca e justo Bill Martin (Robin Thomas); A sua segunda esposa, a bela Claire Martin (Starr Andreeff); O seu filho mais velho, o rebelde Todd Martin (Allen Cutler); O seu enteado, Jimmy Martin (Jarrett Lennon); E a sua filha caçula, a doce Jessica Martin (Rachel Duncan). Além de outros personagens como a namorada de Todd, Dana (Lisa Robin Kelly), a irmã de Bill, a tia Marla (Lenore Kasdorf); E o marido de Marla, Tobias (Franc Ross). Todos esses personagens tendo o seu momento durante a trama.   

A história se passa em Long Island no mesmo local dos assassinatos dos DeFeos, mas essa nova casa em Amityville não é a mesma dos assassinatos e da fuga da família Lutz. A nova moradia foi Bill quem construiu encima do terreno onde ficava a casa antiga, ele levara dez meses para terminar a obra. Agora, se vocês viram o filme 'Amityville 6 Uma Questão de Hora', Jacob disse que havia demolido a casa de Amityville para um empreendimento. Se colocarmos uma ordem cronológica, o empreendimento poderia ser a venda do terreno e a construção da casa de Bill. 

Como qualquer outra família, os Martin não tem nada em especial, possuem seus problemas individuais e tentam trabalhar neles como uma família: Jimmy parece insatisfeito com a ideia da mãe estar saindo com Bill, o garoto estranho e aracnofóbico sente que não consegue se encaixar na nova família e sofre muito com a morte de seu pai, vítima da guerra, por esses motivos, ele também não consegue ter uma relação saudável com Todd e nem com Jessica, embora eles tentem. Todd sente falta de sua mãe e fica chateado quando percebe que ela se esqueceu dele, além disso, ele, embora faça um esforço, não consegue se adaptar com Claire e Jimmy.  

Os problemas para eles começam a aparecer quando Bill conta a Todd que a pequena cabana decadente acoplado ao terreno é da antiga casa, Bill decidiu não destruí-la por achar que poderia ter algo interessante dentro dela... O patriarca entra no local para ver o que tem dentro e junto com um bando de velharias está a casa em miniatura de Amityville, uma réplica perfeita da casa original. O fato é: Como um homem que está construindo uma casa, não destrói a cabana velha dentro do seu terreno  e não vê em nenhum momento o que tem dentro dela?... Bill e Todd não vêem, mas na parede dessa cabana tem um recorte de jornal que fala sobre um incêndio que matou toda uma família na casa. Não me perguntem que incêndio foi esse! Nenhum filme havia falado sobre isso antes e esse filme não vai explicar, apenas temos que engolir isso e anexar essa ligação com a vida de Bill, pois seus pais haviam morrido num incêndio que destruiu a sua casa. Bill leva a maquete de brinquedo para a garagem onde tem também uma bicicleta que o homem pretende dar de presente de aniversário para a sua filha. 

Logo, a família começa a sentir os efeitos da casa em miniatura, primeiro a lareira acende sozinha tornando a casa um forno durante a noite, depois alguns aparelhos começam a ligar sozinhos. Bill começa a ver coisas sobre a lareira como a filha pedindo por ajuda e o carro liga sozinho destruindo a bicicleta que o homem ia dar para Jessica... Esse foi só o começo.  


Os eventos estranhos continuam no dia seguinte, quando Bill descobre que a bicicleta fora destruída, ele resolve dar a casa em miniatura para Claire. Na festa de aniversário somos apresentados a Tia Marla e ao Tobias, Jessica ganha a casa de presente e ao abri-la, a lareira libera uma fumaça que deixa a pequena doente, ao mexer num baú dentro do brinquedo, ela encontra bonecos de voodoo que ela adora, Marla e Tobias percebem que existe algo estranho, mas guardam para si naquele momento. Para zoar com o medo de Jimmy de aranhas, Todd coloca uma aranha de brinquedo dentro de uma pichorra. Quando Jimmy quebra o brinquedo, além dos doce, uma aranha de verdade cai sobre ele.  Todd é considerado culpado pelo incidente e fica de castigo.


As coisas ainda pioram quando percebemos que tudo que acontece na casa em miniatura, acontece na casa grande, por exemplo, se uma janela na casa pequena se abre, uma janela na casa grande se abre, se um rato vai parar debaixo de uma cama na casa miniatura, um rato enorme vai estar embaixo da cama na casa de verdade. É um conceito interessante, poderia ter tido mais dessa ideia no filme.

Uma curiosidade dessa foto é a boneca de cabelo vermelho, é uma Raggedy Ann, a mesma boneca da Annabelle verdadeira. Elas eram muito famosas nos Estados Unidos durante os anos 70 e 80.  

Conforme as coisas vão acontecendo, a relação entre a família vai piorando, principalmente entre Jimmy e Bill... Esse ódio que Jimmy sente serve de catalisador para que o fantasma de seu pai apareça e comece a incentivá-lo a matar toda a família. Jimmy deve ser um dos garotos mais chatos dos filmes de terror, nem liga pelo fato de seu pai, morto em batalha, estar ali, em estado de decomposição, falando com ele. Outras cenas muito interessantes merecem destaque como a cena de sexo entre Bill e Claire, relação essa atrapalha por um quadro com a foto de Todd. E a cena em que Todd e Dana estão no depósito e são atacados por uma vespa que estava morta.

A relação entre a família chega a um ponto critico onde Claire passa a sentir atração por Todd e ninguém fala com ninguém. O único que parece tentar unir todos é Bill que, além de alguns pesadelos, não sofre tanta influência da casa de brinquedo como os outros Martins. Tia Marla conversa com Jessica sobre a casa, a tia pede para que a sua sobrinha faça uma lista das coisas estranhas que a casa faz e pega escondido um boneco de voodoo. Mais tarde Darla e seu marido fazem uma sessão de feitiçaria e confirmam que a casa de brinquedo é  responsável pelo mal que acontecem com a sua família.


Tudo vai acontecendo bem freneticamente com todos da família, esse ritmo faz com que a história não fique monótona ou se torne arrastada, o que é muito bom. O legal também é ver como as coisas vão ficando ainda piores, situações que vão desde as coisas estranhas que Jessica vê acontecendo na casa de brinquedo, passa pelas visitas assustadoras do pai de Jimmy pedindo para ele matar Bill, e chega num acidente envolvendo Dana que a deixa bem machucada.

E esse é 'Amityville 8 A Casa Maldita'... Um filme legal, sem dúvidas é o melhor depois da parte 4, ele tem bastante coisa interessante e uma história mais a ver com Amityville do que os outros. Cada personagem tem um problema particular que é usado pelos demônios para atingi-los, as atuações são convincentes e a trilha sonora é bem orquestrada.


O grande problema do longa está no bem no final que oscila entre pontos positivos e negativos. efeito de altas dorgas, é fraco e sem graça... Uma pena, se tivesse outro desfecho, poderia ter sido muito melhor. A forma de como a maldição na casa acaba é o melhor do final... Ao som da trilha do filme, vemos ambas as casas (A de bonecas e a casa de verdade) pegando fogo, mas isso não é o suficiente para torná-lo marcante, quando o filme acaba dá a impressão de que poderia ter sido mais assustador e melhor bolado.


As partes legais envolvem o confronto de Bill e Jimmy com o pai de Jimmy, e a briga de Todd com Dana. No entanto quando Bill e Tobias vão parar num lugar bem conhecido pelos fãs da casa original (Apenas num tom mais sujo e escuro), para resgatar Jessica e se deparam com os demônios, essa parte envolve poderes mágicos, sacrifício humano e muita besteira que faz o ritmo desandar e deixa tudo bobo. Foi uma boa oportunidade jogada no lixo... Poderiam ter colocado um demônio com cara de porco (Como é descrito no livro de Jay Anson), poderiam ter colocado mais coisas que fizessem analogias a história dos DeFeos e dos Lutz. Qualquer uma dessas coisas seria empolgante de ver e daria certo, mas enfim, nada disso acontece e o resultado é fraco.

Essa oitava parte não é nenhuma obra prima, mas de qualquer forma vale uma assistida. A ideia da replica em miniatura da casa original, o voodoo e os demônios físicos, são curiosos e vão render alguns bons momentos, mas poderiam ter sido melhor aproveitados. Depois desse filme, só o seu sucessor (o remake de 2005) presta, depois disso a franquia tem sofrido uma queda exponencial de qualidade cavando tão fundo no fundo do poço que chegou no inferno. Então é bom aproveitar enquanto existia um motivo e coerência na franquia inspirada na casa assombrada mais famosa do mundo. A nota para 'Amityville: Dollhouse' é 6,5.

Curiosidade: Existe um poster do filme que mostra uma menina de costas olhando para uma janela brilhante. Do seu lado direito está a casa de bonecas, e do lado esquerdo está a luminária amaldiçoada da parte 4 'A Fuga do Mal', apesar de estar na capa, a luminária não aparece no filme. A janela é semelhante a uma janela que ficava na clínica psiquiátrica em que um homem havia matado a sua família (Não foi os DeFeos nem os Montellis, foi outra família) na casa de Amityville na parte 7 Uma Nova Geração.


FICHA TÉCNICA:

Direção: John Murlowski


Produção: David Newlon, Zane W. Levitt, Steve White, Mark Yellen, Cheryl Cook , Jennifer Robinson.

Roteiro: Joshua Michael Stern.

Elenco: Robin Thomas, Starr Andreeff, Allen Cutler, Jarrett Lennon, Rachel Duncan, Lisa Robin Kelly, Lenore Kasdorf, Franc Ross.

Musica: Ray Colcord.

Duração: 97 Minutos.

Sinopse:  Homem encontra casa de brinquedo vitoriana, réplica perfeita da casa maldita de Amityville, e sem saber da maldição que cerca a casa verdadeira, dá de presente para a filha. É quando a família começa a mergulhar num pesadelo do mais puro terror.

Por: Michael Kaleel.

2 comentários:

  1. Adoro esse site. Sou apaixonado por filmes de terror! Continuem sempre com o bom trabalho. A crítica ficou maravilhosa, bem detalhista e justa. Abrçs.

    ResponderExcluir
  2. Sei que pode parecer um sacrilégio mas pra mim o melhor Amityville continua sendo Amityville A Possessão de 1982, no youtube tem ele completinho inclusive.
    https://www.youtube.com/watch?v=eDvY_6nE6lY

    ResponderExcluir