Crítica: 47 Metros Para Baixo (2016) - Sessão do Medo

10 de maio de 2017

Crítica: 47 Metros Para Baixo (2016)


Ano passado chegou aos cinemas Águas Rasas, um blockbuster de horror que trazia Blake Lively no papel de uma surfista que se vê sem saída em uma praia escondida após um ataque de tubarão. O filme foi um sucesso, caiu nas graças do público e da crítica e ajudou a limpar a imagem dos tubarões no cinema em um filme bem eficiente.

Mas na mesma época também saía In the Deep (Nas Profundezas), também conhecido pelo título de 47 Meters Down (47 Metros Para Baixo), um filme que também trabalhava com tubarões e que passou despercebido perante ao público. O que é uma pena, para ser sincero, já que o filme é superior ao que citei no primeiro parágrafo e merece ser visto o quão antes possível! Então, antes de terminar de ler essa crítica, já providencie!

O elenco é encabeçado pelas competentes Mandy Moore (Um Amor Para Recordar) e Claire Holt (The Originals), nos papéis de Lisa e Kate, duas irmãs em férias no México. Lisa acabou de passar por um término e Kate tenta a todo custo animá-la. Quando a oportunidade de uma atividade diferente chega, ela aceita. A atividade é nada menos que um mergulho em gaiola, onde você pode ver os tubarões de perto. O problema é que a gaiola se desprende do barco e as duas se vêem presas a 47 metros de profundidades, cercadas por tubarões e com o oxigênio diminuindo a cada minutos que elas passam lá.


O mais interessante da produção é que, uma vez que elas caem no mar, a trama se passa inteiramente nas profundezas. Embora o mar seja imenso, o cenário se resume mais ainda à gaiola, já que os predadores rondam o perímetro. Portanto, é de se esperar que o filme seja claustrofóbico, mas não importa o que o roteiro traga, se não tiver uma direção firme, isso não rola.

E que bom que temos uma direção firme! O responsável é Johannes Roberts, que já dirigiu Do Outro Lado da Porta (2016) e foi contratado para dirigir o vindouro Os Estranhos 2, continuação do suspense de 2008. O cara manda bem em utilizar justamente os elementos para te fazer sentir tão sufocado quanto as personagens. O uso da câmera também é essencial nesses termos: ou ela está focada perto demais nas atrizes, dando a sensação de claustrofobia, ou ela está focada longe demais, dando a sensação de solidão.

Toda a técnica de produção ajuda o filme a se sair muito bem, trazendo um suspense incrível e junto com a atuação de Moore e Holt, uma conexão com as personagens carismáticas. O roteiro também faz um ótimo trabalho em colocar situações razoavelmente simples e acaba sendo fácil se colocar na posição das moças. Eu por exemplo, acabei o filme sem unhas, podem acreditar. Há cenas que parecem bastante desesperadoras se você for se imaginar no lugar delas. Talvez a mais desesperadora tenha sido uma em particular, onde Lisa se perde no fundo do mar.


Acho que o que mais curti no filme foi o fato dele ser um filme bem pé no chão. Sem querer começar comparações, mas já começando: por mais que eu tenha gostado de Águas Rasas, algumas situações nele simplesmente pareciam exageradas. É de se entender, já que é um filme blockbuster. Mas ainda assim, não curti muito isso. Aqui já tem um filme mais simples e bem eficiente. Embora devo destacar que há sim, várias cenas envolvendo os tubarões, umas bem assustadoras, pra ser sincero, mas eles não são o foco do filme, já que as garotas acabam tendo outros problemas como o oxigênio acabando e a falta de saídas, já que elas não podem simplesmente nadar para a superfície. Enfim, menos é mais.

Eu sinceramente não tenho ideia se o filme vai chegar no Brasil, seja nos cinemas ou num lançamento direto em DVD, mas seria uma grande pena as distribuidoras deixarem esse filme passar em branco. Para quem gosta de filmes tensos e bastante claustrofóbicos, In the Deep é uma excelente opção.

por Neto Ribeiro

Título Original: In the Deep
Ano: 2016
Duração: 89 minutos
Direção: Johannes Roberts
Roteiro:  Johannes Roberts, Ernest Riera
Elenco: Mandy Moore, Claire Holt, Chris J. Johnson, Yani Gellman, Santiago Segura, Matthew Modine


Description: Rating: 4 out of 5

11 comentários:

  1. Verei assim que puder, adorei a crítica do filme. Só achei desnecessário o filme ter dois títulos, o "In The Deep" é bem melhor como título!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Lisvaldo. Acontece que o título original sempre foi 47 Meters Down. Só que a distribuidora iria lançá-lo direto em VOD (aluguel online) e mudou o nome para In The Deep. Antes do lançamento, outra distribuidora demonstrou interesse e comprou os direitos para lançá-los no cinemas americanos. Daí a nova distribuidora voltou ao título original e o filme sai esse mês em alguns cinemas de lá!

      Excluir
  2. Johannes Roberts fez com o oceano o que Alfonso Cuarón fez com o espaço.

    O filme é tão bom em nos dar agonia que acabei achando ele muito ruim (kkkkk! Mais ou menos isso, se é que vocês me entendem). Nunca vi um filme do subgênero "animais assassinos" com tanto realismo. Uma grande pena ele ter sido tão desvalorizado pelas distribuidoras.

    Se você tem fobia de mar aberto, vai ficar com mais medo ainda. Se não tem, pode ser que passe a ter depois de ver esse filme. Quando vi o nome de Alexandre Aja envolvido, deduzi o porque de tanta tensão. O diretor é esse Johannes, mas tenho quase certeza que tem uma "mãozinha" do Aja ali também.

    Gostei muito da atuação da Mandy Moore e da Claire Holt. Talvez a única coisa que não achei muito conveniente foi a trilha sonora (o silêncio do fundo do mar talvez deixaria as cenas muito mais carregadas). Achei interessante o fato do filme inteiro praticamente se passar no fundo do oceano. Após a gaiola se soltar, não há cenas intercaladas entre elas no fundo e os homens no barco, é somente lá embaixo! Deixando uma extrema sensação de que afundamos junto com elas. (A ultima vez que senti isso, foi em Kill Bill 2, na cena dela sendo enterrada viva. E talvez, tinha sido a única vez)

    Outro ponto que achei muito bom foram os tubarões. Dessa vez, eles não são "monstros-animais". Nada de "super poderes" ou força e inteligencia descomunal (e nem o CGI nos faz pensar de outra forma). Em nenhum momento você acha as cenas exageradas. O filme não é baseado em mostrar "tubarões serial killers", mas mostrar uma situação de sobrevivência em que vários quesitos são levados em conta. Excelente! (ou horrível mesmo!). Spielberg deve ter ficado com inveja.

    Recomendadíssimo!

    Espero que seja lançado nos cinemas por aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo6/07/2017

      Que comentário foda! :D

      Excluir
  3. Esse filme é absurdamente maravilhoso. Só uma dica: NÃO VEJA O TRAILER. O trailer entrega uma das melhores cenas do filme. Eu assisti sem ver o trailer e foi uma experiência ARRASADORA. Vocês entenderão depois que assistirem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo6/19/2017

      vc assistiu o filme em que site?

      Excluir
  4. Heloisa Souza7/20/2017

    Bom dia,
    alguém tem o link onde eu poderia assistir? tks.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo8/11/2017

    Pra quem quer saber onde assistir tem no popcorn time

    ResponderExcluir
  6. Finalmente pude ver essa obra prima hoje (03/10/2017). Fiquei mega tensa do início ao fim! Fiquei desesperada na parte q a gaiola se solta afundando elas na primeira vez. De lá pra cá foi gritos, músculos tensos e os olhos vidrados na tv torcendo por horrores pra elas saírem daquela situação aterrorizante. Gritei demais na parte final quando elas... (Quem assistiu vai se ligar do q tô falando). Fazia algum tempo q eu não ficava tão chocada, tensa, apreensiva do jeito a fiquei nesse. Belíssimo filme ! Nota mil 💜

    ResponderExcluir
  7. Simplesmente o melhor filme de tubarão que já assisti!
    Pra quem ta querendo o link para baixar, recomendo baixarem em 1080p. https://etztorrents.org/47-metros-para-baixo-legendado-dublado2/

    ResponderExcluir