Crítica: Sexta Feira 13: Parte 5 - Um Novo Começo (1985) - Sessão do Medo

3 de maio de 2017

Crítica: Sexta Feira 13: Parte 5 - Um Novo Começo (1985)


Olá pessoal, estou aqui para escrever sobre mais um filme da enorme franquia do vilão da máscara de hockey composta por 12 filmes (por enquanto). A saga 'Sexta Feira 13' é infinita e provavelmente teremos muitos outros filmes do Jason e de sua história aparecendo nos cinemas. Mas, agora eu falarei da quinta parte da franquia intitulada de: 'Sexta Feira 13: Parte 5 - Um Novo Começo', ou 'Friday 13th: Part 5 - The New Beginning'.

'Sexta Feira 13: Parte 4 - Capítulo Final', possui um título ambíguo e paradoxal. O diretor Joseph Zito disse que ele seria o ultimo da franquia... Contudo, o final dava sim um gancho para uma continuação... Então, a parte 4 foi o capítulo final de que, da franquia como um todo ou o fim da história do Jason? Com o aparecimento dessa parte 5 e com a história que está embutida dentro da mesma, é complicado entender essa questão, mas ao que parece, a parte 4 põe fim a história do Jason, mas não da franquia. Ao longo da critica, vou explicando esse ponto que pode ter ficado confuso para você.

O filme começa numa noite chuvosa... O pequeno Tommy Jarvis (Corey Feldman volta a interpretar o pequeno Tommy unicamente nessa parte) aos seus 12 anos de idade, está indo até o túmulo do Jason, ele fica de frente para a cova olhando a sepultura do homem que destruíra a sua família. Logo em seguida ele vê dois jovens curiosos que querem saber se Jason está mesmo morto, Tommy se esconde atrás de uma vegetação e os dois caras começam a desenterrar a cova até baterem no caixão.

Eles tiram a tampa e veem não só Jason, mas um corpo em decomposição. A dupla fica ali 'admirando' o sociopata 'morto' quando de repente, o defunto saca o seu facão e mata os dois... Jason se levanta da cova e vai em direção de Tommy que assustado fica paralisado sem poder correr, apenas encarando o homem que vinha em sua direção. Ele levanta o facão e dá um único golpe seguido de um grito do pequeno Tommy... Era tudo um pesadelo, Tommy acorda num carro, ele está bem mais velho (agora o personagem é interpretado por John Sheperd) e está indo para o 'Instituto de Saúde Mental Unger'.

Não é de hoje que as pessoas sabem que o Jason não é o vilão desse filme, mas essa introdução, antes de descobrirmos que é um sonho, dá ao público a esperança de ver o assassino entrando em ação e enfrentando Tommy mais uma vez, então imagine você no cinema vendo esse inicio! O desapontamento ao descobrir que o Jason não é uma ameaça real na trama deveria ser grande.   


De acordo com o box do DVD 'Friday the 13th: Return to Crystal Lake', Corey Feldman só fez uma participação especial no filme pelo fato de estar filmando 'The Goonies'. Feldman filmou sua participação em 'Parte 5' em um domingo, já que aquele era seu dia de folga das filmagens de 'Os Goonies'. Por isso essa cena inicial é a única aparição de Corey Feldman no filme, depois da cena de entrada, o filme avança no tempo e muda de cara. 

Bem, Tommy chega logo ao seu destino, uma espécie de casa para recuperação de adolescentes problemáticos, é um local muito curioso. Os pacientes podem viver normalmente, mexem em objetos cortantes, vagam livres pela região... Na verdade, parece mais com um acampamento do que uma casa de recuperação. Tommy é levado para o escritório de Matt Peters, onde o médico explica que na clínica é utilizado um sistema especial, com a intenção de preparar o paciente para reinseri-lo na sociedade. Tommy encontra um jovem chamado Reggie, cujo avô George trabalha na casa. Aqui nós percebemos que o Jarvis ainda tem a sua velha mania de criar máscaras, mas a sua personalidade de antes fora drasticamente modificada (é claro, agora ele está mais velho e passou por um enorme trauma quando com o Jason), ele está mais calado e sério, introspectivo, até um pouco violento onde em alguns momentos ele espanca algumas pessoas que o provocam, talvez uma forma de auto defesa que ele tenha desenvolvido com o tempo por causa do trauma.

O xerife Tucker traz dois pacientes, Tina e Eddie, de volta ao instituto. E ainda surgem Ethel e "Junior" Hubbard, um casal de malucos mau humorados cuja propriedade fica perto à casa de recuperação. 'A boca suja' Ethel está furiosa pelo fato dos adolescentes estarem novamente tendo relações sexuais em sua propriedade. Pouco tempo depois, o problemático Vic Hacks (interpretado por Mark Venturine, o Suicide de 'A Volta dos Mortos Vivos') mata Joey com machadadas após ter sido aborrecido pelo jovem. Agora, vamos encarar, deixar um cara em recuperação mexer com machado é pedir para acontecer uma desgraça, na verdade, não existe uma coerência ou tratamento que justifique um ato desses. Enfim, Vic é preso e, em seguida, aparecem Duke Johnson e Roy Burns que são dois paramédicos que chegam para levar o cadáver.


Daqui por diante as mortes começam e não param mais. Nós, a priori, ficamos envolvidos pela certeza (ou quase) de que Jason é o responsável pelo massacre, a única diferença desse assassino com o Jason, são as mãos, aqui elas estão limpas como as de uma pessoa normal, não aparentam estar putrificadas como no filme anterior. As primeiras vitimas dele são uma dupla de rapazes cujo carro quebra numa estrada, seus nomes eram Vinnie e Pete. Na mesma noite, o assassino mata um casal, Joey e Lana que estavam se preparando para um encontro... Casal esse que apareceu na história unicamente nessa cena, para morrer.

Na manhã seguinte, Tommy tem uma alucinação de que Jason está em pé atrás dele, é possível que ele tenha essas visões desde quando ele matara o vilão no capítulo anterior, além disso, o rapaz escuta vozes dele e de Trish quando ele enchera o assassino de terçadadas. Então é bem provável que no final de 'Sexta Feira 13 Parte 4', quando o jovem Tommy está abraçando Trish no hospital, e ele arregala os olhos como se tivesse visto um fantasma, ele poderia estar tendo uma alucinação e vendo o Jason bem na sua frente. 

Naquela noite o massacre final, começa. Não preciso descrever a morte de todos os personagens que lembra bastante a Madonna dos anos 80 foi e é considerada como a musa da parte 5 por esse motivo. Porque é irrelevante no momento, basta dizer que é um banho de sangue. É tanto sangue que a chacina aqui acaba por ser a maior, até então, com cerca de 22 mortes. É tanta gente, que em algumas fatalidades nós nem vemos o assassino matando, as vitimas já aparecem mortas devidamente espalhadas pela região para assustar os personagens principais... E o assassino também sente essa necessidade de matar todo mundo que passa na sua frente, até pessoas que apareceram por 30 segundos. Sobre as mortes, elas também estão repletas de 'criatividade'. Ele mata com arpão, facão, tesoura de jardinagem e até com um cinto. Destaque para a morte de Violet que faz aquela dança robótica antes de ser assassinada, a atriz Tiffany Helm

E também tem outra curiosidade, a máscara do assassino é diferente da usada por Jason nas partes 3D e 4 Capítulo Final, ela tem detalhes azuis ao invés de vermelho. Por muitos fãs ela é considerada como uma das mais bonitas de toda a franquia, só perdendo para a da parte 3D e a da parte 8). 

O Massacre desse filme começa numa noite e só acaba na noite do dia seguinte, sendo assim, esse também é o massacre mais longo até aqui. A policia tenta agir ao ver os corpos espalhados no local, um dos soldados até diz que essas mortes são obras de Jason... Contudo o xerife se exalta e diz que é impossível ser o Jason porque ele havia sido cremado... Aqui nós vemos mais uma tentativa de realmente dar uma nova história a franquia. Essa ideia não foi levada adiante pelos longas que se sucederam.

Reggie e Pam são os dois que sofrem a maior parte da perseguição final. Enquanto eles correm pela mata, vão se deparando pelos corpos espalhados pelo local. Além disso, esse é o primeiro filme em que o vilão para de correr a passa a apenas caminhar atrás das vítimas... E por incrível que pareça, ele consegue chegar no local primeiro. Tipo... Pam e Reggie atravessam a floresta fugindo do assassino que estava na casa, eles chegam numa estrada onde tem um carro parado. Quando Pam abre a porta e vê Duke morto... Surpresa! O assassino já estava lá.

O confronto final acontece num celeiro quando Tommy aparece e encara o seu maior medo, o de Jason voltar a atacar (até então ninguém sabe que não se trata de Jason). Após a briga, o assassino cai encima de várias lanças que oportunamente estavam lá. A máscara do assassino se desprende e finalmente ficamos sabendo quem era o vilão... Roy, o paramédico. Pelo que parece, Roy era pai de Joey e quis vingança pela morte de seu filho.

Essa foi a reviravolta mais sem noção de todos os 5 filmes lançados até 1985. Joey era um jovem com problemas mentais que aparentava ter sido abandonado na clínica. Depois que ele morreu, nenhum parente fora ver seu corpo e seu pai agiu como se o filho fosse um desconhecido. Daí o homem surta e resolve sair matando todo mundo?... Não convenceu pela contradição do próprio roteiro. Até que a história não ruim, o problema todo é que a história não se encaixa com o 'Sexta Feira 13'... Se o filme fosse um spin off ou uma homenagem a franquia, mas com outro título... Ele poderia ter sido melhor recebido pelo público.


Continuando, Tommy vai para o hospital por causa de seus ferimentos, ele finalmente encara os seus demônios. Enquanto isso, Pam e Reggie estão na sala de espera, a moça vai ver como o rapaz está e... Antes que pudesse entrar no quarto, ela escuta barulho de vidro se quebrando, ela entra no local e se depara com a janela quebrada.  Tommy estava atrás dela usando a mascara do Jason e pronto para matá-la. Esse foi o fim de 'Um novo começo', realmente mostrando que o terror nos arredores de Crystal Lake iriam continuar, dessa vez, pelas mãos de Tommy Jarvis que teria ficado louco.


No geral é um filme decepcionante por trazer outro vilão que não chega aos pés do ícone Jason, mesmo que a história seja uma sequência do filme anterior, ele tenta dar uma identidade autônoma para a franquia o que acabou fazendo com que essa seja uma continuidade que não bem aceita pelo público. Ninguém iria querer ver um Friday 13th Part 6 tendo o Tommy como assassino substituindo o Jason, e por esse motivo voltaram atrás e trouxeram o Jason na parte seguinte. Nota: 5,0.
01 - Neil: Foi apunhalado pelo facão no pescoço no sonho de Tommy.
02 -  Les : Foi apunhalado com o facão na barriga no sonho do Tommy.
03 - Joey: Machadadas no corpo.
04 - Vinnie: Um sinalizador foi colocado em sua boca.
05 - Pete: Teve garganta cortada com um facão.
06 -  Billy: Levou uma machadada na cabeça.
07 -  Lana: Levou  machadada no peito.
08 -  Raymond: Levou facada no estômago.
09 - Tina: Teve os olhos arrancados por uma tesoura de jardim.
10 -  Eddie: Teve a sua cabeça esmagada com um cinto.
11 -  Anita: A sua garganta foi rasgada.
12 -  Demon: Teve uma lança enfiada no estômago, dentro de um banheiro.
13 - Junior: Foi decapitado com uma faca de carne.
14 -  Ethel: Teve uma faca de carne enfiada na cabeça e se afogou no ensopado.
15 -  Jake: Levou uma facada no rosto.
16 - Robin: Teve um facão atravessado seu corpo por debaixo do beliche.
17 -  Violet: Teve um facão enfiado no estômago.
18 -  Duke: Teve seu pescoço cortado.
19 -  Matt: Ele é pregado numa árvore com um finco na sua testa.
20 -  George: Teve seus olhos arrancados e depois é jogado pela janela.
21 - Roy: Foi empalado por várias lanças, depois que ele caiu do celeiro.
22 - Pam: Esfaqueada por Tommy, no entanto, foi uma alucinação.

O filme possui algumas curiosidades como: 

- Num determinado trecho do filme, uma das personagens está lendo uma exemplar da revista Fangoria. Não é por acaso: aquele exemplar traz uma entrevista com Tom Savini, o maquiador responsável pelos primeiros filmes da série. 

- Na versão original do script, Violet era para ter sido morta com uma machadada entre as coxas. Mas como os produtores acharam essa cena muita ofensiva, mudaram a morte para uma machadada no peito. 

- Dana Palto pretendia fazer Violet, mas Tifany Helm acabou fazendo a personagem. 

- Este é um dos filmes em que Jason Voorhees não atua. 

Direção: Danny Steinmann.

Roteiro: Danny Steinmann, baseado nas histórias de David Cohen e Martin Kitrosser.

Elenco: Melanie Kinnaman, John Sheperd, Shavar Ross, Richard Young, Marco St. John, Juliette Cummins, Carol Lacatell, Vernon Washington, John Robert Dixon, Jerry Pavlon.

Sinopse: Jason está de volta, com sua máscara e tudo o mais. Lá vem ele de novo com seus velhos truques diabólicos, nesta sequência. Desta vez, ele parece ter lançado seus olhares sobre os jovens pacientes de um isolado sanatório. E um pouco mais que seus alvos adolescentes acabam em metades, pedaços. Pode inventar que Jason bota pra quebrar. Este é o quinto e horripilante capítulo da saga de Sexta-Feira 13





Por: Michael Kaleel. 

5 comentários:

  1. Logicamente que essa parte n é a melhor,até pelo afto de n ser o Jason,mas ainda assim curto muito. O pior de todos é a parte 9.

    ResponderExcluir
  2. Essa parte 5 n é das melhores mas pelos menos é bem melhor que Jason vai para o inferno que foi o pior de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, concordo com você. Só falta o Jason vai para o inferno para terminarmos a franquia 'Sexta 13', fique de olho, pois sua opinião é importante para nós.

      Excluir
  3. Deviam ter abraçado a ideia do Jarvis ser o assassino desde o começo. Em vez de uma simples vingança do Roy, talvez o roteirista tivesse feito a alma do Jason ter incorporado o Tommy aí ele ter 2 personalidades diferentes. E talvez ele mudasse até de aparência tal como o Lobisomem. Seria mais interessante o toque do sobrenatural. Por isso que eu digo que existem fanfics melhores que roteiros de filmes.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo10/24/2017

    Tommy Jarvis no final não mata a moça. Ele só ameaça

    ResponderExcluir