Crítica: O Bar (2017) - Sessão do Medo

29 de agosto de 2017

Crítica: O Bar (2017)


Se você não conhece o Álex De La Iglesia, está perdendo de assistir um dos melhores cineastas dos últimos tempos. Dono de uma visão única sobre o mundo e também como ele relaciona problemas da sociedade moderna com o sobrenatural é simplesmente incrível. Tomando pelo exemplo a "El día de la Bestia" de 1995 onde ele já vai analisar problemas modernos como globalização, imigração e etc. Tudo isso ele coloca dentro do sobrenatural, onde um padre vai procurar o anticristo em Madrid para evitar que ele nasça.

Nisso temos outros filmes que também aposta numa temática semelhante mas ao mesmo tempo é incrível como ele consegue não se repetir em cada tema. Mas esse ano Iglesia lançou um filme que é simplesmente espetacular e com uma visão única de um problema que começa pequeno e vai aumentando até tomar uma saída castastrófica. Estamos falando de "O Bar".


O filme é muito parecido, principalmente na linha narrativa com "O Anjo Exterminador" de Luis Buñuel, onde um grupo de burgueses ficam presos numa sala e eles não conseguem sair até que aos poucos suas verdadeiras faces vão se revelando. E esse é o exemplo desse filme. Na história temos algumas pessoas que entram num bar e a primeira impressão que temos é que estamos julgado a pessoa pela aparência e tal. E  o legal é como isso muda e vamos conhecendo mais a fundo as pessoas com o qual ficamos presos juntos no bar.

O legal são os pontos de viradas que o filme apresenta. E como o diretor trabalha o suspense com o publico colocando várias alternativas do porque eles estarem dentro do bar. Então você vai levantando as suspeitas e demora para entregarem o verdadeiro motivo deles estarem naquele ambiente confinado. E a inteligência de narrar de uma forma no qual não seja cansativa, visto que no primeiro momento você só tem um cenários. É simplesmente genial. Iglesia escreve esse filme junto com o seu parceiro de longa data Jorge Guerricaechevarría e é muito legal o jeito que a narrativa corre.


A história conta que num café no centro de Madrid, tudo acontece normalmente, como se fosse mais um dia qualquer. Porém, um cliente é baleado na cabeça ao sair do estabelecimento, e logo os demais clientes começam a viver a tensão de não saber o que está realmente acontecendo do lado de fora. Sem saída, acabam obrigados a dividir o mesmo espaço, mas a convivência entre eles pode ser tão perigosa quanto fora dali.


É muito legal como ele transforma essa tensão num ponto de escape para os personagens mostrarem suas verdadeiras faces. Principalmente pelo estado irracional que anda o mundo. Como conflitos, imigração, doenças, terrorismo e etc. E o diretor coloca tudo isso na produção e consegue pintar um quadro de medo e euforia. Simplesmente incrível e mostra também toda a versatilidade de Álex De La Iglesia de dirigir e construir um mundo só seu. 

Por João Trettel

Título Original: El Bar
Ano: 2017
Duração: 102 min
Direção: Álex de la Iglesia
Roteiro: Álex de la Iglesia, Jorge Guerricaechevarría
Elenco: Mario Casas, Blanca Suárez, Carmen Machi

7 comentários:

  1. Só vi dois filmes do Iglesia, O Dia da Besta e Crime Ferpeito e os dois são ótimos. Preciso ver esse!!

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Aqui..

      http://filmeseseriesonline.net/el-bar-2017-legendado/

      Excluir
  3. Confesso que eu não criei expectativas do filme, mas me surpreendi novamente pela história que nos faz pensar como o ser humano age quando o medo toma conta = Instinto de sobrevivência.
    Esse envolvimento todo do enredo e das pessoas me fez lembrar 2 filmes: The Belko Experiment e Train to Busan (Invasão Zumbi). Novamente envolvendo o caráter humano.
    Reflitam sobre isso.

    Filmes de origem espanhola também surpreendem! A quadrilogia REC diz muito e também se encaixe nesse contexto de caráter.

    O filme é mais Comédia/Drama/Suspense

    ResponderExcluir
  4. Anônimo10/01/2017

    Achei muito fraco, ainda mais comparado com os outros filmes do diretor. Muitas situações são forçadas, levando a saidas preguiçosas de roteiro. Algumas passagens chegam a dar raiva de tão idiotas. Quanto ao texto da critica do João achei muito rasa, e pouco inspirada, repetindo muitas vezes o adjetivo "legal".

    ResponderExcluir
  5. Gostei mas não entendi mto bem. Afinal... Oq ocasionou o caos interno dos personagens entre eles (além do pânico de estar em um local fechado - o bar - sem poderem sair)?
    Redator da crítica, poderia explicar ?

    Desde o início eu imaginei q a personagem sobrevivente seria aquela.

    ResponderExcluir
  6. Filme muiiiiito ruim. ..

    ResponderExcluir