5 filmes do "maestro" Mario Bava - Parte 1 - Sessão do Medo

23 de novembro de 2017

5 filmes do "maestro" Mario Bava - Parte 1


Confesso que conheci Mario Bava ano passado! A culpa foi minha mesmo de não procurar mais sobre o cinema italiano de terror. Mas também por outro lado conheci bastante gente que Bava influenciou como Dario Argento, Lucio Fulci, Sergio Corbucci, Umberto Lenzi, Sergio Martino, Ruggero Deodato e seu filho Lambeto Bava. Eu o conheci por conta de um podcast que tinha com uns amigos e sugerimos falar sobre ele.

Na época tinha os dvd's da Versátil e acredito que na parte 1 ou 2 tinha algum filme dele e se não me engano foi "Lisa e o Diabo" e a primeira vez que eu vi fiquei maravilhado, mas ao mesmo tempo decepcionado com algumas coisas do roteiro que deixava mais confuso ainda sua estética única do cinema italiano e mundial.

Nessa lista dessa semana vou falar de alguns filmes do diretor que até hoje influencia vários diretores ao redor do mundo e nos últimos anos suas obras estão voltando com tudo, principalmente pelas mãos da Versátil (esse não é um post pago! Minha filosofia é "Se a coisa é boa, vale a pena elogiar").

A Maldição do Demônio (1960)


Acho que esse é um dos principais filmes de Bava e também o mais popular. Acho que todo mundo já viu a capa com a cara da Barbara Steele toda furada. Essa produção é um clássico e acho que foi o que colocou o nome de Mario Bava nos holofotes do mundo e o marcou para sempre. Ele é baseado num conto russo. Uma coisa que ele vai fazer é mexer muito na literatura para ilustrar seus filmes. Coisa que vemos com Edgar Allan Poe e a forma que Roger Corman usa em suas produções ou até H.P Lovecraft que Stuart Gordon gosta de adaptar a maioria dos contos do autor.

Seis Mulheres para o Assassino (1964)


Esse com certeza é um dos meus filmes favoritos de Mario Bava. E de certa forma nos apresenta a forma do "giallo" clássico e também influencia e muito o gênero de "slasher" onde temos o clássico assassino mascarado, mas ao contrário de por exemplo Jason onde ele não é nada furtivo, aqui o assassino é todo preparado para não ser descoberto. Afinal ele é uma pessoa normal que está procurando se vingar de algo.

Mas "Seis Mulheres para o Assassino" apresenta também algo que Bava vai conseguir fazer várias vezes ao longo da sua carreira que é saber fazer a fotografia do filme mesclar com a reação dos atores e embalar cada cena dos seus filmes.

 As Três Máscaras do Terror (1963)


Você curte "Black Sabbath"? Agradeça a esse filme pelo nome da banda. A produção referencial que mudou o mundo do terror e também colocou o formato de contos como uma produção lucrativa.  Fora que a parceria de Mario Bava com Boris Karloff é sensacional.

Lembrando que rolava muito de atores americanos irem para a Europa filmar com os italianos. Via Clint Eastwood com Sergio Leone. Mas enfim, essa produção é o marco zero para mim no gênero de horror e principalmente pelo formato de contos. Que dentro dos filmes de terror é o meu favorito.

Lisa e o Diabo (1973)


Esse como eu disse na introdução foi o primeiro filme que assisti de Mario Bava. Ele tem vários nomes na verdade "The House of Exorcism". Essa produção conta com Telly Savalas, o "Kojack" do seriado dos anos 60-70.

A produção do filme é espetacular. Principalmente a fotografia e cenários, sem falar nas atuações de Savalas, Elke Sommer (que faz Lisa), a atriz veterana Alida Valli que trabalhou em filmes como "Suspiria", "Édipo Rei" e "O Terceiro Homem" com Orson Welles dão um show de interpretação.

O que deixou mais cansativo é o filme é o roteiro sem pé e nem cabeça que mostra uma mansão e um mordomo para lá de estranho, na verdade a trama é bem difícil de entender, pelo menos para mim foi.

Banho de Sangue (1971)


Quem assistir esse filme primeiro vai achar muita coisa parecida com um certo "slasher" clássico americano que saiu em 1980 chamado "Sexta Feira 13". Acho que Sean S. Cunningham nunca admitiu mas muita coisa desse filme é baseado nessa obra de Mario Bava.

Desde as cenas onde vemos o assassino em primeira pessoa, então não sabemos a ação dele ou até a forma como ele mata. O local e etc... É muita coisa mesmo. Mas esse filme é muito bom e também um pouco cansativo no sentido do diretor ficar uns 2 minutos filmando um pé de cama até chegar a vitima e etc. Mas tirando isso, essa obra é perfeita! Atores, trilha, efeitos é simplesmente sensacional.

por João Trettel

2 comentários:

  1. MEU DEUS, NÃO AGUENTO MAIS VER TANTO FILME !
    QUERO TER VIDA SOCIAL, QUERO TER AMIGOS Rss' #Socoorr

    não conhecia esse diretor e seus clássicos.
    Mais alguns pra lista.

    ResponderExcluir
  2. Eduardo Faria Guimarães11/26/2017

    Gostaria muito de uma crítica de Seis Mulheres para o Assassino por vocês,me interessei bastante pelo enrendo do filme.

    ResponderExcluir