"A Morte te Dá Parabéns" mostra que o slasher está vivo! - Sessão do Medo

22 de novembro de 2017

"A Morte te Dá Parabéns" mostra que o slasher está vivo!


Após apenas um mês nos cinemas, A Morte te Dá Parabéns (Happy Death Day), aposta slasher da produtora Blumhouse, ultrapassou os $100 milhões de bilheteria mundialmente. Vocês podem se perguntar o que isso tem demais. Vamos explicar.

Para um filme de terror, alcançar este número já é impressionante, ainda mais quando o orçamento foi de menos de $5 milhões de dólares. Felizmente viemos acompanhando alguns sucessos de bilheteria do gênero ultimamente - sendo grande parte deles da Blumhouse. Só neste ano, Fragmentado (2017) e Corra! (2017) somaram, juntos, $531 milhões mundialmente.

Outro grande feito é que A Morte te Dá Parabéns é um dos poucos filmes slashers que chegaram - ou passarão - deste número. Outros foram Pânico (1996), Eu Sei o Que Vocês Fizeram no Verão Passado (1997) e o remake O Massacre da Serra Elétrica (2003).

Isso fica ainda mais animante ao sabermos que a Blumhouse estará lançado próximo ano o reboot de Halloween, que tem tudo para ser também um sucesso de bilheteria. E se for o caso, o que provavelmente será, poderemos ter os slashers de volta nas telonas e até o retornos de Jason Voorhees, Freddy Krueger, entre outros.

Em A Morte te Dá Parabéns, uma universitária é assassinada e precisa reviver várias e várias vezes o dia de sua morte para descobrir quem é o assassino.

4 comentários:

  1. Infelizmente não pude ir ao cinema contribuir com o sucesso, mas tô muito feliz em saber q foi/é um sucesso !
    Gostaria muito de ter ido vê-lo no telão.. tô aguardando sair pra baixar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa baixar. Vá em algum site de filmes online que já pode vê-lo dubladoe com ótima imagem.

      Excluir
    2. Legal ! Vou procurar ^^

      Excluir
  2. Uma homenagem aos slashers dos anos 80 e também da franquia Pânico. A violência aqui ficou moderada por conta da censura e isso estragou muito. A aparição do assassino é telegrafada demais. Aqui nota-se a falta de experiência do diretor com o gênero. A Jessica Rothe, que faz a Tree, mandou bem com suas expressões faciais, demonstrou mais talento que o filme precisa .O confronto final n gostei, é bem abaixo do esperado e ele n faz jus a toda antecipação que foi criada. "Happy Death Day" tinha tudo pra ser um clássico genérico se tivesse tido mais violência e uma direção mais cascuda e conhecedora do gênero. O filme n é ruim, é divertido e dá pra passar o tempo sem problema.

    ResponderExcluir