Crítica: Creep 2 (2017) - Sessão do Medo

20 de novembro de 2017

Crítica: Creep 2 (2017)


(O texto contém spoilers do primeiro filme.)

Recentemente eu fui surpreendido por um pequeno filme presente no catálogo do Netflix intitulado apenas como "Creep", um filme bastante simples em seu roteiro e premisa, mas muito eficiente em sua execução. Para quem nunca ouviu falar, recomendo que assistam sem saber NADA sobre a sinopse e evitem o trailer que entrega demais as surpresas da trama. Pra quem não quer ser surpreendido e quer ficar por dentro do enredo antes de ver o filme, segue o texto...

Creep mostra Aaron (Patrick Price), um cinegrafista que responde à um anúncio de jornal para um trabalho de um dia em uma casa nas montanhas. Chegando lá, conhece Josef (Mark Duplass), que o informa que a tal gravação do anúncio seria vídeos para posteridade, já que o mesmo está nos dias finais de vida devido a um câncer terminal.

Creeping around!
(Spoiler do primeiro filme abaixo):

Descobrimos depois que Josef na verdade não é quem diz ser, e que ele é o tal "Creep" do título, um psicopata totalmente perturbado. Descobrimos também que ele usa essa ideia das câmeras para gravar os momentos finais de interação com a vítima como uma espécie de "souvenir" e Anton acaba se tornando uma das vítimas.

O filme termina mostrando que Josef tinha uma enorme coleção com várias filmagens de pessoas diferentes, o quê deixa a porta aberta para uma possível continuação ou prequel...E três anos após o lançamento, cá estamos! Creep ganhou uma continuação direto para o Netflix americano e segue o mesmo padrão do original. Inicialmente, a ideia seria mostrar outros "creeps" em outras gravações, mas Mark Duplass roubou a cena com o personagem Josef e os envolvidos (o próprio Duplass e Patrick Price) decidiram voltar com o personagem, dando continuidade a coleção de vídeos do psicopata título.


Dessa vez, o filme segue Sara (Desiree Akhavan), que está se esforçando para ser uma Youtuber de sucesso com um canal que apresenta pessoas reais com tendências estranhas, em outras palavras, pessoas bizarras que fogem do padrão "normal" da sociedade. Vendo que seu canal não está tendo o feedback esperado, ela decide responder ao mesmo anúncio no jornal que o pobre Aaron no primeiro filme. Chegando a mesma casa do primeiro filme ela encontra Josef, que dessa vez surpreende ao se apresentar de cara como um psicopata, dizendo que queria gravar uma espécie de documentário sobre a sua crise existencial e contando suas experiência de vida. Assustada, mas um pouco incrédula, Sara decide continuar com o projeto e topa continuar gravando visando um futuro vídeo viral em seu canal.

É interessante como Creep 2 subverte as expectativas. A narrativa segue o padrão do primeiro filme em sua premissa, mas segue um caminho diferente do anterior no seu desenvolvimento. Desse vez não há mais um mistério cercando o personagem, sabemos que ele é um psicopata, assim como a protagonista que descobre isso de cara, o quê não sabemos é que rumo isso irá tomar. Isso acaba gerando uma construção de suspense tão boa quanto a do primeiro filme e consegue ser tão imprevisível quanto ele em que não sabiamos ao certo quem Josef era, nesse sabemos, mas não sabemos ao certo quê ele pretende. A dinâmica entre a Sara e o Josef acaba sendo outro ponto positivo do filme e o roteiro tira proveito da relação deles pra dar pequenas pistas do passado de Josef, que até então era um mistério.


Infelizmente o terceiro ato que deveria ser o ápice de toda a tensão é a parte mais fraca do filme pela falta de um clímax e pelo desfecho apressado e até meio abrupto.

Creep 2 certamente irá agradar quem gostou do primeiro filme. É tão imprevisível e competente quanto e novamente Mark Duplass rouba a cena com o seu personagem Josef, talvez um futuro nome na lista de psicopatas mais memoráveis do gênero.
Por Marcelo Alves

Título Original: Creep 2
Ano: 2017
Duração: 80 minutos
Direção: Patrick Price
Roteiro: Patrick Price e Mark Duplass
Elenco: Mark Duplass, Desiree Akhavan

Nenhum comentário:

Postar um comentário