Crítica: Olhos Famintos 3 (2017) - Sessão do Medo

1 de novembro de 2017

Crítica: Olhos Famintos 3 (2017)


Eu pensei em muitas palavras para definir o que Olhos Famintos 3 me fez sentir. Esse era um filme extremamente esperado não só por mim, mas por grande parte dos fãs de terror no geral. Os dois primeiros é um filme que fez parte da infância/adolescência de muitos e não é só por saudosismo que são bem lembrados. Olhos Famintos (2001) constrói uma ótima narrativa de suspense e mistério envolvendo uma criatura cuja origem nunca é revelada e a única certeza que temos sobre ela é que é feroz por carne humana e medo. Olhos Famintos 2 (2003), embora inferior ao primeiro, é um divertido e ainda acima da média filme de terror. E após 14 anos conseguimos uma terceira parte da trilogia mas que ao invés de causar medo, divertimento ou algo que rendesse, só rendeu raiva e desgosto.

Olhos Famintos 3 é um absurdo. É realmente um absurdo em como conseguiram fazer um filme ruim neste nível. É um filme em que absolutamente nada funciona, é uma verdadeira vergonha. É triste que a única chance que tínhamos de ter um novo capítulo tenha sido desperdiçada nessa palhaçada em forma de longa-metragem. Não esperem que eu diga sequer um elogio nesta crítica. Não haverá nenhum. Esta será uma crítica especialmente dedicada a insultar Olhos Famintos 3 por que não resta nenhuma outra opção. 


No enredo do terceiro filme se passa logo após os eventos do primeiro. A unidade policial da cidade está em fervor, organizando uma força tarefa para caçar o Creeper (Jonathan Breck). Este grupo é liderado pelo Xerife Dan Tashtego (Stan Shaw), que já o enfrentou há 23 anos e agora quer estar preparado para acabar com ele de vez. A trama também é compartilhada com a personagem da Meg Foster (As Senhoras de Salem), Gaylen e sua neta Addison (Gabrielle Haugh). O filho de Gaylen desapareceu há 23 anos e inclusive, ele fez parte daquela lenda contada no primeiro filme sobre o casal de namorados a caminho da formatura.

Gaylen está constantemente tendo visões do filho, que a avisa que o Creeper está voltando e está atrás de algo enterrado na propriedade. E o que é isto? A mão dele, que caiu do céu! É isso mesmo. O filho da moça encontrou a mão e a enterrou na propriedade, mas Gaylen a encontra e descobre que a mão dá informações sobre o que é o Creeper. Isso é só a metade da bagunça enorme que é Olhos Famintos 3.


Eu poderia vir aqui e dizer que essa raiva que sinto do filme é devido às altas expectativas que eu tinha, mas sei que não é o caso. Minha raiva é que Victor Salva se atreve a tentar fazer um novo filme com uma história que ninguém queria ver ao invés da sequência onde Trish finalmente enfrentaria o Creeper em vingança ao seu irmão. Mas esta história foi empurrada para um hipotético quarto filme que definitivamente não irá acontecer após o desastre que este foi. Some isso a uma história desinteressante e bagunçada, feita nas coxas e com um nível precário de produção.

Menos é mais. Victor Salva, como um diretor que sempre trabalhou com baixos orçamentos, deveria saber disso mas tenta agarrar o mundo com as mãos - ou talvez tenha feito essa escrotice de propósito, nunca se sabe - ao realizar coisas extremamente idiotas, como o carro possesso do Creeper cheio de bugigangas mortais, as acrobacias em câmera lenta da criatura ou cenas cheias de efeitos especiais, que são realizadas porcamente. Uma em questão traz dois personagens em um carro, perseguindo o Creeper. Outro carro entra em cena e o caminhão solta um tipo de bola-explosiva (???), que destrói este segundo carro, mas ele some após a explosão!!! Isso mesmo, vira fumaça, evapora, some no ar. Em outra, a protagonista fere o Creeper e seu olho expande até cair de órbita, parecendo a porra de um desenho animado!

A tentativa de explicar a origem do Creeper, além de extremamente desnecessária já que o charme do personagem era a falta de informações sobre ele, é ainda mais ridícula vista que não dá em nada. A mãozinha decepada serve para mostrar aos personagens o que a criatura é mas nada é revelado à nós (então por que tentar, pra começo de conversa?). Isso tudo culmina no final mais ridículo de todos, que não posso falar pois sei que irão reclamar de spoilers mas vocês mesmos irão conferir a idiotice que é.


Todo mundo tá canastrão aqui e nem a Meg Foster se salva. A protagonista é um poço de antipatia e falta de expressão; o Xerife pelo contrário é um poço de atuação exagerada e no final das contas sobra pra Gina Phillips em seu pequeno cameo na cena final, que ainda por cima, é muito vergonhosa, embora no fundo bata aquela vontade de ver sua personagem de volta à franquia.

Se fosse para fazer essa idiotice, era melhor ter deixado quieto. Olhos Famintos 3 é um filme de terror que fará você sentir vergonha de todos ali envolvidos. É um filme escroto, mal feito, decepcionante e sem nenhuma qualidade. É uma pena pois provavelmente nunca teremos a sequência que sempre pedimos, mas se for pra fazer outro filme desse nível, é melhor enterrar logo a franquia com o caixão virado para baixo para que nunca mais volte!

por Neto Ribeiro

Título Original: Jeepers Creepers 3
Ano: 2017
Duração: 100 minutos
Direção: Victor Salva
Roteiro: Victor Salva
Elenco: Jonathan Breck, Meg Foster, Stan Shaw, Gabrielle Haugh, Chester Rushing, Brandon Smith, Gina Phillips