[Top 10] Melhores do Ano 2017 - Sessão do Medo

30 de dezembro de 2017

[Top 10] Melhores do Ano 2017


Não há muita dúvida de que 2017 foi um dos anos mais revigorantes do terror ultimamente. Após rastejar por muita bomba, tivemos um ano estável cheio de filmes diferentes e muito bons. Tanto que foi difícil escolher apenas 10 para figurar a lista principal. Para vocês terem uma noção: na lista de 2015, conseguimos separar cinco filmes realmente bons e foi uma tortura escolher o restante, com tanto filme ruim sendo lançado. Felizmente, 2017 trouxe de palhaços fantasiosos à medos reais e o terror nunca esteve em tanta evidência, guardando grandes expectativas para o futuro. Então confira nosso Top 10 de Melhores do Ano!

>>> Confira também: Piores do Ano de 2017.

10 - O Culto de Chucky (Cult of Chucky)de Don Mancini


O 9º filme da nossa lista vai para um dos filmes mais dividiu opiniões esse ano: Culto de Chucky, o 7º filme da franquia Brinquedo Assassino, ainda com o roteiro de Don Mancini, roteirista de todos os filmes da série e diretor pela 3ª vez, tendo dirigido o horrível O Filho de Chucky e o bom A Maldição de Chucky. O filme mantem o tom sério do longa anterior com alguns momentos de humor bem dosado, é também um dos filmes mais violentos já feitos na franquia. Tem seus problemas de roteiro, reconhecemos isso, mas roteiro nunca foi o forte do Mancini mesmo.

9 - A Transfiguração (The Transfiguration), de Michael O'Shea


Talvez o filme mais desconhecido da nossa lista. A Transfiguração é um filme independe exibido em alguns festivais de cinema e lançado esse ano em DVD e no Netflix na terra do Tio Sam. O filme mescla elementos de filmes como Deixa Ela Entrar, Martin e A Sombra do Vampiro, com uma abordagem realista tirando todos os elementos sobrenaturais desse subgênero. O filme se desenvolve como um drama com alguns elementos de terror psicológico. É importante destacar que não é um filme para todo mundo, é melancólico, cru, frio, pessimista e conduzido de forma muito lenta. A produção aborda temas como depressão, transtorno mental, perda, tensão racial e o próprio vampirismo que é mostrado sobre uma ótica diferente, seguindo o padrão de Martin do George Romero, que assim como Deixe Ela Entrar, é citado alguns momentos e com certeza foram as duas grandes fontes de inspiração.

8 - The Void (The Void)de Jeremy Gillespie e Steven Kostanski


The Void, produção independente canadense feita com financiamento coletivo foi lançado em circuito comercial esse ano depois de estrear e ser elogiado em festivais de cinema ano passado. O filme é fortemente influenciado por produções dos anos 80 como os clássicos Hellraiser - Renascido do Inferno, Terror nas Trevas, O Enigma de Outro Mundo, Príncipe das Sombras, entre outros...Somados com elementos de Lovecraft. O filme foi feito nos moldes dos filmes que referencia, com uso quase inexistente de CGI, apostando em efeitos práticos dignos de produções oitentistas. Um potencial cult classic do gênero no futuro.

7 - O Bar (El Bar), de Álex de la Iglesia


O Bar, produção espanhola lançada esse ano e já disponível no catalogo do Netflix é o mais novo trabalho do consagrado Álex de la Iglesia (O Dia da Besta). O filme tem uma premissa bem simples, mas brilhantemente bem executada nas mãos do La Iglesia que sabe balancear bem os momentos de mistério, tensão, suspense e humor negro. É altamente recomendado assistir sabendo o mínimo possível da trama.

6 - Mãe! (Mother!)de Darren Aronofsky


Um dos filmes que mais dividiu o público e os críticos em 2017. O ambicioso novo projeto do Darren Aronofsky (Cisne Negro) é estrelado pelos ganhadores do Oscar Jennifer Lawrence (O Lado Bom da Vida) e Javier Barden (Onde os Fracos Não Tem Vez), no papel de um casal que mora numa casa isolada e tem sua quietude perturbada com a chegada de estranhos. Cheio de simbolismo e analogias à materiais externos, o filme é uma intensa viagem que te segura pelo pescoço e só te solta com o subir dos créditos.

5 - Jogo Perigoso (Gerald's Game)de Mike Flanagan


Fazia anos que Stephen King não tinha um ano tão grandioso. Além de It, outra adaptação que merece seu lugar na lista é Jogo Perigoso (Gerald's Game), produzida pela Netflix e dirigida pelo competente Mike Flanagan (Hush - A Morte Ouve). Trazendo um conto sufocante de uma mulher (Carla Gugino) algemada em uma cama após uma brincadeira sexual com seu marido dar errado, o filme explora o medo do escuro e as perturbações de uma mente frustrada, culminando numa das cenas mais chocantes do ano (se você viu, sabe do que estamos falando). Apesar de um final problemático, Gerald's Game é um dos grandes destaques do ano.

4 - Fragmentado (Split)de M. Night Shyamalan


O retorno triunfal de M. Night Shyamalan se deu em Fragmentado, embora o bafafá em torno do seu nome tenha acontecido de fato com A Visita (2015). Segunda produção da parceria do diretor indiano com a Blumhouse Pictures, o filme traz James McAvoy (X-Men) numa assustadora performance interpretando Kevin, um cara com 23 personalidades, que sequestra três adolescentes (Anya Taylor-Joy, Haley Lu Richardson e Jessica Sula) para a vinda da 24ª personalidade, conhecida como "A Besta". Guardando uma enorme surpresa no fim, o filme é uma conexão entre outro filme do Shyamalan, Corpo Fechado e prepara os eventos para o "crossover" que será feito em Glass, marcado para Janeiro de 2019.

3 - Predadores do Amor (Houds of Love), de Dan Luscombe


Muitos irão se perguntar "que filme é esse?". E essa é uma das razões para termos insistido em colocá-lo num patamar tão alto nessa lista - além dos seus devidos méritos. Essa produção australiana pouco conhecida retrata uma perturbadora história de um casal de sequestradores que abduzem uma adolescente nos anos 80. A relação entre o casal e a menina é relatada de forma assustadora e forte e é sem dúvidas um dos filmes mais marcantes do ano. Se ainda não viu (o que provavelmente é o caso), por favor, vejam. Logo.

2 - It: A Coisa (It), de Andy Muschietti


É indiscutível que It, adaptação da obra homônima de Stephen King, foi o filme mais comentado do ano. Primeiro, conseguiu uma aprovação de 85% no Rotten Tomatoes e quebrou recordes ao estrear nos cinemas, totalizando uma bilheteria de impressionantes $698 milhões, um montante ainda mais notável por ser de um filme de terror. Além de ter eternizado em pouco tempo a nova caracterização do palhaço Pennywise (Bill Skarsgard), forma assumida pela "Coisa" para atrair e devorar crianças na cidadezinha de Derry, Maine. Misturando um drama coming of age com aterrorizantes sequências de horror, It não poderia faltar no Top 3 dessa lista.

1 - Corra! (Get Out), de Jordan Peele


A disputa foi acirrada mas a grande coroa ficou para Corra! (Get Out), uma das maiores surpresas do ano. O suspense satírico dirigido e escrito pelo comediante Jordan Peele (Keanu) conta a história de um jovem negro (interpretado pelo excelente Daniel Kaluuya) que parte para conhecer os pais da sua namorada caucasiana e descobre planos horríveis guardados pela misteriosa família. Corra! não é apenas O filme de terror do ano mas, com um roteiro inteligentíssimo que brinca com os temas abordados ao mesmo tempo em que passa uma mensagem dolorosamente pontual, ele se concretiza como um dos filmes de terror mais importantes dos últimos tempos. O por que? Mesmo tendo sido lançado em Fevereiro (fora do tempo de seleção), Corra! anda fazendo a limpa nas grandes premiações de cinema e é um dos grandes favoritos para o Oscar, podendo concorrer na categoria de Melhor Roteiro e até mesmo Melhor Filme. Mesmo se isso não chegar a acontecer, Corra! chegou mais longe do que qualquer filme do gênero há anos.

9 comentários:

  1. Gosto do jeito que vc escreve. Não assisti a todos estes ainda. Mas, na minha opinião, O culto de Chucky e O Bar estão na lista errada. Não gostei desses filmes. Chucky é mais do mesmo. E O bar é previsível e simplório. Não tem nada demais, não prende a atenção, parece mais um filme feito por fãs de algum jogo de vídeo game.

    ResponderExcluir
  2. FINALMENTE as listas de melhores e piores do ano! Tava ansioso. Não conheço mesmo alguns filmes daí e PRECISO assistir o Get Out, El Bar e The Void. It claramente tinha que estar nessa lista, assim como Mother, dois filmes fantásticos (eu não gosto do Aronofski mas a competencia dele é indiscutível). Mike Flanagan já se tornou um dos meus diretores favoritos com Hush e Absentia, então vou ver o Jogo Perigoso também. Obrigado, já tenho o que ver nos proximos dias! o/

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus, tanto filme melhor pra colocar na lista e botam O Culto de Chucky? Coragem, tem que ter coragem. Jogo Perigoso e O Bar nem são terror, e O Bar não tem nada demais, filme bastante superestimado.

    ResponderExcluir
  4. essa lista só mostra o quanto o ano foi ruim kkkk! 2017 foi frustrante pra mim! Todos ai achei bem meia boca! Bons mesmo só axei 2, contratiempo e veronica, ambos espanhois!

    ResponderExcluir
  5. Annabelle 2 deveria estar entre os 10 melhores,foi um dos grandes lançamentos do ano!

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do filme a noiva poderia estar ai nessa lista

    ResponderExcluir
  7. Eu só substituiria O Culto de Chucky por The girl with all the gifts no qual ficaria encaixavelmente bem na lista.
    Ainda bem que temos menções honrosas para assistirmos assistidamente bem assistido para quem não conferiu conferidamente bem conferido.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo1/06/2018

    Corra! é um panfleto idelógico travestido de filme de terror. Narrativa recheada de nós x eles e fomento ao ódio.

    ResponderExcluir
  9. Anônimo1/09/2018

    Realmente, questão de gosto não se discute, só gostei de 'O Bar'. E teve melhores em 2017 SIM.

    ResponderExcluir