5 Jogos do Super Nintendo que vão te dar Medo - Sessão do Medo

6 de março de 2018

5 Jogos do Super Nintendo que vão te dar Medo



Tirando os VHS, Cinema em Casa, Sessão da Tarde e Cine Band Trash. Outra mídia que nos aproximou dos anos 90, principalmente a gente filhos dessa década maravilhosa foi os videos games.
Mas especificamente o "Super Nintendo". Vários jogos com uma temática mais sombria foi lançada e deixava a gente por horas jogando algo que com certeza não ia nos fazer dormir. O mais legal é que os cartuchos tinham um ar de misticismo do que ia encontrar no jogo, por conta que não tínhamos informações nenhuma do seu desenvolvimento e tal.

Se não sabe que estou falando é só dar uma lida em alguns contos da "creepypasta".

Pensando nisso separei alguns jogos que com certeza vai fazer você baixar um emulador para viver essa nostalgia.

1º) Warlock (1994)


Sim! O filme de 1989 onde você tem que deter o bruxo/ filho do capiroto, virou jogo pela mão da "Acclaim Entertainment" a mesma produtora de jogos que fez "Turok", "Mortal Kombat" e alguns jogos da Marvel como do "Homem Aranha e dos X-Men".

O jogo não tem nada demais na verdade, na trama que se passa em 2D no melhor estilo "luta de rua" você enfrenta as "arte manhas" do bruxo e tem que derrotar ele.

2º) Castlevania (1987)


Acho que não tem jogo mais clássico que "Castlevania", nossa como perdia horas jogando isso. O legal desse jogo é como ele lembra bem um RPG, onde você vai conseguindo novas armas e poderes para o seu personagem, ou melhor, Simon Belmont que faz parte de uma família que caça vampiros.

O legal é como você enfrenta várias criaturas do universo de Drácula escrito por Bram Stoker e também os filmes clássicos da Universal como "Frankstein", "A Múmia" e até a "Medusa".  A produtora foi a "Konami" que sempre fez coisas fodas como o clássico "Contra", "Frogger","Silent Hill" e o topzeira " Teenage Mutant Ninja Turtles".

3º) Friday the 13th (1988)


Só joguei esse jogo uma vez e ainda em flash por computador. E tenho certeza de uma coisa, pessoas falam mal do jogo do "E.T" para o "Atari" que é o pior jogo de todos os tempos, é porque não jogou esse baseado no clássico filme de 1980.

Na história você tem que sobreviver contra o Jason e impedir que ele mate outros campistas em "Crystal Lake". Que desenvolveu o jogo foi a "LJN" uma clássica desenvolvedora de jogos e brinquedos que abriu e fez muito sucesso na década de 70, mas fechou as portas em 1995.

Eles desenvolveram vários jogos baseados em filmes como "Tubarão", "A Hora do Pesadelo", "Alien" e outro jogo que foi um dos melhores que é "Spider-Man: The Animated Series".

4º) Doom (1995)


Clássico é clássico, né pai? Quem não se lembra do cartucho vermelho? Quem não se lembra da violência explicita? Quem não se lembra de ir para o inferno e matar demônios na bala? Acho que muitos pais ficaram chocados ao ver "Doom" pela primeira vez e muitas crianças ficaram maravilhadas ao ver tanta violência e sangue nas telas. 

O jogo que é um FPS (First Person Shooter) então você fica realmente emergido dentro das fases. "Doom" foi tão popular que você não precisava nem ter o "Windows" rodando no PC para jogá-lo. 

Quem desenvolveu o jogo foi a "Williams Entertainment" assumiu o controle de "Mortal Kombat", fez o " Double Dragon V" e desenvolveu o clássico " Ms. Pac-Man" ou melhor "A mulher do Pac Man".

5º) Clock Tower (1995)



Esse foi o primeiro jogo que tive a experiência de "Point and Click". Ele é mais um jogo de exploração que fica mais interessante quando você é mais velho e começa a manjar mais do inglês ou japonês. Ma quando você é mais novo, esse jogo vira um tédio sem tamanho.

Outra curiosidade é que ele revolucionou todo um gênero nos games que é o "Survival Horror". Que é o melhor estilo "Alone in the Dark", "Doctor Hauzer" e  depois o jogo que mudou tudo que é "Resident Evil" de 1996. A trama de "Clock Tower" é bem legal, tem um mistério no melhor estilo da "Hammer". Mas como eu disse, quando você fica mais velho é quando você consegue aproveitar mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário